Capa da Publicação

As 11 melhores sagas e eventos da Marvel!

Por Gus Fiaux

Hoje em dia, é fácil olhar em qualquer banca e ver uma minissérie prometendo ser “maior e diferente de tudo que você já viu”, mas já houve dias em que imaginar heróis de diferentes equipes se reunindo em prol de um bem maior era coisa de doido.

Após o já mencionado passo inicial tomado pela Marvel no início da década de 80, as chamadas “mega-sagas” começaram a se popularizar, inclusive espalhando-se para editoras rivais, como a DC Comics em sua aclamada Crise das Infinitas Terras, de 1985. Atualmente, chegamos a ter várias sagas por ano, algumas inclusive acontecendo simultaneamente.

Alguns reclamam que essa saturação de eventos diminui a qualidade das histórias, que estão sempre focadas em ser tão maiores que as anteriores, esquecendo de desenvolver um bom roteiro ou trazer uma boa arte. Se é verdade ou não, temos alguns exemplos de sagas atuais que entram fácil na lista de favoritos de qualquer leitor. Exceção à regra ou prova do contrário, você decide.

Aqui vai uma breve postagem listando 12 das maiores e melhores sagas da Marvel nos quadrinhos. Caso lembre de alguma saga não mencionada, sinta-se livre para deixar nos comentários. E se não concorda com a opinião deste humilde autor, apresente seus pontos, mas lembre da educação.

Imagem de capa do item

Menção honrosa: Spider-Verse

Com a ambiciosa tarefa de "trazer para uma saga todos os Homens-Aranha existentes", Spider-Verse tinha tudo para dar errado, especialmente considerando o histórico das sagas envolvendo realidades paralelas no Universo Marvel... entretanto, o resultado tem sido surpreendente e agradando muitos fãs do aracnídeo. Se estivéssemos mais uns meses à frente, essa poderia ter sido uma presença real na lista, uma vez que a saga ainda está em andamento.

Imagem de capa do item

Inferno

Lançado inicialmente em 1988, Inferno foi uma saga que trouxe um grande impacto na época pela violência e pelo uso de personagens de uma maneira jamais vista antes. Madelyne Pryor descobre que é clone de Jean Grey ao mesmo tempo que um demônio manipula Illyana Rasputin, a irmã de Colossus, para que ela libere o Inferno na terra. Pactos e alianças são feitas... e tudo começa e acaba em sangue.

A saga se ligou a diversos quadrinhos, desde Novos Mutantes até X-Factor, e apesar de uma recepção mista por parte dos fãs na época de seu lançamento, deixa seu legado até hoje, como alguns podem ter visto nos volumes mais recentes de Novos Mutantes.

Imagem de capa do item

Operação: Tempestade Galática

Uma saga relativamente curta (lançada entre março e maio de 1994), Operação: Tempestade Galática trazia grandes heróis da Terra e do cosmo no meio de uma guerra entre os Kree e os Shi'ar. Servindo quase como uma continuação para a Guerra Kree/Skrull, a história foi aclamada pelo seu desenvolvimento de personagens e pelo plot que levou a um final catastroficamente pessimista.

Imagem de capa do item

Saga da Fênix Negra

Mais um arco fechado que uma saga em si - como seu próprio nome já diz, a Saga da Fênix Negra foi um marco para a história dos X-Men. Responsável por introduzir personagens como Emma Frost e o Clube do Inferno, Kitty Pryde e Cristal, a Saga da Fênix Negra revelava um complô da sociedade secreta para dominar mutantes poderosos, dentre os quais, a Fênix, que havia caído sobre os encantos do poder do Mestre Mental. Liberada do controle - de todo o controle, a Fênix libertou os aspectos mais perversos de seu ser, fugindo para o espaço e inclusive destruindo um planeta inteiro...

Eis que Jean volta pra Terra, onde recupera a sanidade, e deve voltar para o espaço, para que possa ser julgada pelos seus crimes. Em uma batalha acalorada, a Fênix se descontrola de novo e Jean, num último momento de lucidez, se suicida para salvar seus amigos.

Imagem de capa do item

Dinastia M

Seguindo os eventos de Vingadores: A Queda e Planeta X, Dinastia M segue uma Feiticeira Escarlate mentalmente desequilibrada que simplesmente havia alterado a realidade para que sua família pudesse ser soberana.

Após recobrar sua memória, a Feiticeira descobre uma trama de manipulação partindo de seu irmão, Mercúrio, e ao encará-lo e ver seu mundo "perfeito" destruído, ela lança um feitiço que altera a realidade, quase dizimando a população mutante.

A série, além de ótima, serviu para arrumar um problema crescente na Marvel: mutantes em excesso. Claro que algum tempo depois, a Feiticeira seria encontrada e tudo reverteria ao normal... mas as consequências disso permanecem até hoje.

Imagem de capa do item

A Cruzada das Crianças

Afinal, um dia, Dinastia M teria de ter suas consequências corrigidas, e melhor que uma Wanda louca, apenas uma Wanda procurando por redenção.

Wiccano é o problema da vez. "Filho" de Wanda e herdeiro de poderes similares, o Jovem Vingador acaba se descontrolando ao lutar com um grupo de criminosos. Isso atrai a atenção dos Vingadores, que morrem de medo que o herói acabe surtando que nem sua "mãe". E eis que, para resolver esse problema, os Jovens Vingadores se juntam a Magneto e Mercúrio para encontrar a perdida Feiticeira Escarlate... e descobrem que ela está amnésica e prestes a se casar com o Dr. Destino.

Notando essa descoberta, tanto os X-Men quanto os Vingadores tentam impedir os jovens heróis de encontrar Wanda... e quando isso acontece, alguns até estão dispostos a matá-la. A saga trouxe de volta heróis como Wanda e Scott Lang, além do Rapaz de Ferro, que termina tudo pronto para assumir seu verdadeiro manto...

Imagem de capa do item

Aniquilação

Em uma época em que os Guardiões da Galáxia nem sequer eram esse sucesso todo, esse épico espacial da Marvel preparava o terreno para a reinvenção do grupo.

O universo contra o Aniquilador. Essa é, basicamente, a premissa que reuniu heróis e vilões para derrotar a onda de destruição que ameaçava cada vez mais o cosmo. A saga trouxe um impacto importante para uma organização muito bem definida no Universo Marvel, a Tropa Nova, e ajudou a pavimentar caminho para futuras equipes cósmicas (como os já mencionados Guardiões da Galáxia), bem como outras sagas - como Aniquilação²: Conquista.

Imagem de capa do item

Guerra Civil

Amigos se tornam inimigos... a linha entre heróis e vilões desaparece... o show começa.

Guerra Civil parte de uma premissa simples, e ainda assim, inovadora: como regular um crescente mundo de super-heróis?

Após uma catástrofe que envolve heróis amadores, o governo sanciona uma lei que obriga os super-heróis a se registrarem. Alguns aceitam, ficando do lado do registro, liderados pelo Homem de Ferro. Já outros, liderados pelo Capitão América, acreditam que essa lei restringiria a liberdade dos heróis. E eis que a Guerra que dá nome à série começa.

Talvez o arco mais memorável dessa lista, Guerra Civil alcançou uma popularidade unânime e entra facilmente para qualquer lista reunindo os melhores quadrinhos de todos os tempos.

Imagem de capa do item

Guerras Secretas

Torneio de Campeões pode ter sido a primeira... mas Guerras Secretas foi a que realmente marcou o início da popularização das mega-sagas.

Criada originalmente como uma maneira de vender bonecos, a saga trouxe Beyonder, um ser quase onipotente que sequestra alguns heróis e vilões da série para que lutem para sua diversão... e algo mais.

Mas as coisas acabam ficando fora de controle, e um dos vilões alcança planos sinistros que lhe dão uma superioridade letal.

Concebida por motivos puramente comerciais, Guerras Secretas teve um desenrolar apaixonante e instigante, o que justifica seu merecido lugar nessa lista.

Imagem de capa do item

Saga Infinito

Aposto que você estava contando os itens da página para saber se o título estava certo, não? Pois bem, vamos lá.

A Saga do Infinito foi uma trilogia publicada nos anos 90, que engloba Desafio Infinito, Guerra Infinita e Cruzada Infinita. Graças a essa trilogia, o vilão Thanos e a parte cósmica da Marvel foram elevados a um patamar altíssimo que reverbera até hoje.

Desafio Infinito trazia uma premissa simples: ao ser requisitado pela Morte para cumprir uma árdua tarefa (tirar a vida de metade do universo), Thanos recupera as joias do Infinito e se torna quase um deus, sendo derrotado apenas por uma fraqueza em seu próprio subconsciente.

Já no segundo capítulo, Guerra Infinita, Adam Warlock recupera a manopla e acaba eliminando suas concepções de certo e errado, transformando-se num ser puramente lógico, que permite o desenvolvimento de seu lado maligno, o Magus, que por sua vez, captura cinco cubos cósmicos e os utiliza para enfraquecer a Eternidade e criar versões malignas dos heróis da Terra. Após muita pancadaria, Magus é derrotado e Warlock entra em coma... e Thanos acaba sendo revelado como possuidor de um papel muito maior.

Em Cruzada Infinita, a Deusa recupera os cubos cósmicos de Magus - e reúne mais alguns, formando um "Ovo Cósmico" capaz de realizar desejos. Ela forma um Paraíso próprio e revela planos deturpados para o universo... culminando em um conflito épico.

Sem falar muito, as três sagas tem um formato similar e ainda assim conquistaram diversos fãs ao redor do mundo. Com sorte, veremos algo similar nos cinemas quando vierem as duas partes de Avengers: Infinity War.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux