Capa da Publicação

10 valiosas lições de vida ensinadas por Frozen!

Por Gus Fiaux

Fonte: WC

Imagem de capa do item

Você não precisa de um relacionamento para ser feliz

Algo que desconstrói muitos paradigmas da própria Disney, Frozen trouxe um novo elemento aos contos de princesa: Um príncipe encantado é bom, mas não é tudo. Partindo dessa premissa, o público pode perceber que a felicidade está além de um relacionamento.

Imagem de capa do item

Não prenda suas emoções

Let it Go pode ter enjoado muitas pessoas, mas a música faz certo em dizer que as pessoas precisam ser livres. E deixar suas emoções serem livres. Afinal de contas, algumas sensações como a raiva estrangulam por dentro, e outras como o amor precisam de uma válvula de escape.

Imagem de capa do item

Seus pais nem sempre estão certos

Não, com isso não queremos dizer que você deve se impor sobre seus pais, afinal de contas... eles são seus pais. Mas isso não significa que eles sempre estão certos. Diálogo é essencial para se chegar a um consenso.

Imagem de capa do item

Nem sempre é bom estar sozinho

Elsa se isolou por muito tempo e isso trouxe problemas para ela e para a irmã, já que, se tivesse deixado Anna entrar em sua vida, talvez ela não fosse tão descuidada em relação ao Príncipe Hans. Quanto a Elsa, ela cresceu fria (sem trocadilhos) e despreparada para enfrentar alguns desafios...

Imagem de capa do item

As pessoas vão gostar de quem você é

Não importa quem você seja, sempre haverá alguém ao seu lado. Isso é bem explorado na jornada de Elsa e Anna... Aliás, basta se lembrar do retorno de Elsa para Arendelle para ter uma breve noção do quanto as pessoas ficaram maravilhadas pelos poderes da Rainha, uma vez que ela já possuía domínio de suas habilidades.

Imagem de capa do item

Calma e paciência

Através do filme, Anna toma uma série de decisões precipitadas que quase sempre resultam em um erro. Algumas coisas valem a pena serem resolvidas instintivamente, mas outras precisam ser cautelosamente planejadas.

Imagem de capa do item

Não julgue um livro pela capa

Uma das principais preocupações do filme é narrar uma história que demonstra que não devemos julgar ninguém pela aparência. Não é porque Hans é um belo príncipe encantado que não possa ser o vilão da história. Não é porque Olaf é bobo que possa ser inútil. Não é porque os poderes de Elsa são perigosos que não possam ser controlados e usados para o bem. Os exemplos são inúmeros...

Imagem de capa do item

Faça o que ama e o dinheiro virá do mesmo jeito...

Você pode falar o que quiser de Kristoff, mas tem de admitir que ele é um homem de negócios, mesmo que seus negócios não sejam bons. Apesar de todos os desafios, Kristoff continuou sua jornada profissional, chegando a ser condecorado Oficial Mestre do Gelo de Arendelle. Tudo é possível para aqueles que amam o que fazem e para os que fazem o que amam e acreditam.

Imagem de capa do item

Se não gosta de algo, mude

Frozen é um filme sobre autodescobrimento e mudanças. Sabendo disso, uma das importantes lições que o filme traz é a de que as pessoas não precisam ser estáticas a vida toda ou engolir sapos sempre. Se não gosta de algo, mude, ou adeque ao seu comum.

Imagem de capa do item

Mulheres fortes não são coisas de contos de fadas

Frozen possui três grandes personagens masculinos centrais. O vilão Hans, que considera Anna e Elsa personagens fracas, o duque de Weseltown, que é dominado pelo medo e Kristoff. Desses três, apenas Kristoff reconhece a força e o poder de Elsa e Anna, e as vê além de simples meninas indefesas. Isso fortalece a desconstrução do estereótipo feminino, e se aproxima muito mais da realidade. De fato, Frozen é muito mais que um filme infantil. É um filme pela igualdade.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux