Capa da Publicação

10 obras de Neil Gaiman que merecem uma adaptação!

Por Lucas Rafael

O escritor Neil Gaiman se consagrou após assinar uma grande variedade de livros, contos e histórias em quadrinhos. Embora uma boa parcela deste conteúdo já tenha sido adaptada, nesta lista vamos focar em grandes obras do mestre Gaiman que ainda carecem de uma releitura para a televisão ou cinemas.

Faltou algum trabalho de Gaiman na lista que você julga de adaptação essencial? Joga pra gente nos comentários!

Confira 10 obras de Neil Gaiman que merecem uma adaptação!

Imagem de capa do item

Os Eternos

Embora Os Eternos tenha uma adaptação a caminho pela Marvel Studios, seria interessante se eventualmente adaptasse o arco que Gaiman escreveu para a equipe. Nele, estes seres super-poderosos apagam sua própria memória e passam a viver entre a humanidade como seres humanos normais.

Imagem de capa do item

Sinal e Ruído

Sinal e Ruído marca mais uma parceria entre Neil Gaiman e o ilustrador Dave McKean nas HQs. Aqui, temos uma história íntima sobre um cineasta com câncer terminal que escreve mentalmente o roteiro de um filme sobre o fim do mundo.

Com escrita delicada por parte de Gaiman, a HQ conversa muito bem com a mídia dos quadrinhos graças à arte esplendorosa de McKean. Ainda assim, certamente renderia um bom drama de marejar os olhos.

Imagem de capa do item

O Oceano no Fim do Caminho

O Oceano no Fim do Caminho é um livro que sintetiza boa parte das qualidades de Gaiman como um escritor. Temos uma história de crescimento, confronto ao passado, permeado por acordes de aventura, perde de inocência, deslumbramento e até mesmo horror. Algo que, se bem adaptado para as telonas, renderia um filme memorável.

Imagem de capa do item

O Livro do Cemitério

Outro livro que sintetiza a criatividade de Gaiman, a obra O Livro do Cemitério, apesar de contar com um título de horror, se trata de uma aventura repleta de coincidências inesperadas, magia e mistério.

A trama acompanha um garoto cuja família foi assassinada quando ele ainda era criança. Trata-se de Ninguém Owens, que é criado por fantasmas em um cemitério fantástico.

Imagem de capa do item

Lugar Nenhum

Este livro já foi adaptado para História em Quadrinhos e sondado para adaptações audiovisuais. Enquanto um filme/série, não chegam, fantasiamos com o dia que a história de Gaiman ,sobre um homem que quer se tonar invisível à cidade de Londres, receberá o tratamento da sétima arte.

Aqui, após ajudar uma senhora, um homem perde tudo que tinha na vida, subitamente não sendo mais reconhecido por ninguém. Narrativa de fantasia urbana, este livro mostra o protagonista descobrindo uma fantástica nova Londres sob seus pés, trazendo maravilhas e ameaças que ele jamais poderia imaginar.

Imagem de capa do item

Morte

Se tivermos uma adaptação bem-sucedida de Sandman, é quase certo que eventualmente teremos um derivado focado na irmã de Sonho, a icônica Morte, com a história aprofundando ainda mais a mitologia da franquia criada por Gaiman nos quadrinhos da Vertigo.

Imagem de capa do item

Filhos de Anansi

Já temos a série de Deuses Americanos e, dependendo do rumo das coisas, não custa expandir para o livro derivado da franquia, Filhos de Anansi.

A trama tem como foco o deus Anansi, interpretado pelo excelente Orlando Jones na série. A performance hipnotizante de Jones serve como mais um argumento para esta obra de Gaiman ser adaptada.

Imagem de capa do item

Marvel 1602

E se o Universo Marvel fosse ambientado em 1602? Esta é a premissa da HQ Marvel 1602, escrita por Neil Gaiman.

A abordagem de Gaiman na reimaginação dos heróis dentro deste contexto histórico é genial, e merecia ser transposta para as telas seja em uma animação ou filme.

Imagem de capa do item

Mr. Punch

Aqui, temos mais uma história fruto da parceria Gaiman/McKean, tocando nos mesmo acordes sensíveis e dramáticos que permeiam Sinal e Ruído. A história se trata de um garoto que vai passar um final de semana na casa dos avós, se deparando com um período de descobertas enquanto se envolve com um estranho boneco de pano, o Mr. Punch do título.

Daria uma boa animação stop-motion ou um filme dramático, visto que carga emocional é o que não falta nas páginas de Mr. Punch.

Imagem de capa do item

Sandman

Por fim, temos a clássica HQ fantástica de Gaiman que parece sofrer da síndrome do inadaptável.

Com visuais hipnóticos, tramas cativantes e um universo mirabolante, Sandman conquista rapidamente o leitor através das inúmeras histórias que acompanham o percalço de Morfeu, o Senhor dos Sonhos.

Uma das HQs mais importantes do mercado até hoje, se mantendo como uma afirmação artística em prol da criatividade e da criação. Por um lado, é até bom que ainda não adaptaram: quando o fizerem, é imprescindível tratar o material fonte com muito respeito.

Imagem de perfil
Lucas Rafael

Redator. Entusiasta de coisas demais