Capa da Publicação

10 Motivos que fazem de Homem-Aranha: No Aranhaverso o melhor filme do Aranha!

Por Guilherme Souza

Em 10 de janeiro, finalmente chegou aos cinemas brasileiros a animação Homem-Aranha: No Aranhaverso. Ganhadora do Globo de Ouro, a animação tem feito sucesso nos países em que já estreou e promete ser um belo começo para um universo expandido baseado em personagens do núcleo do Homem-Aranha.

Por mais que o Aranha já tenha protagonizado diversos filmes nos cinemas, em Aranhaverso, vemos uma versão definitiva do herói, extremamente fiel aos quadrinhos, por isso, listamos alguns motivos que o tornam o melhor filme já feito do Aranha.

Imagem de capa do item

O estilo visual

Um dos pontos mais fortes de Homem-Aranha: No Aranhaverso é, sem dúvidas, seu estilo visual único. Misturando animações geradas por computação gráfica e desenhos feitos à mão, o longa parece uma revista em quadrinhos que ganhou vida.

Além dos elementos que contribuem para essa similaridade com o estilo das HQs, todo o tratamento de cores, movimentação dos personagens e o estilo adotado para animação se complementam para criar uma verdadeira obra-prima.

Imagem de capa do item

Peter Parker como mentor

Diferente do Homem-Aranha interpretado por Tom Holland, em Aranhaverso, vemos um Peter Parker mais velho, que já passou por todo tipo de problema em sua carreira de super-herói e que já está estabelecido como o Homem-Aranha definitivo.

Com toda essa bagagem, Parker acaba servindo de mentor para Miles Morales, um garoto que descobriu recentemente que possui poderes aracnídeos, similares aos de Parker. É interessante vermos essa dinâmica entre os personagens, já que Peter teve que aprender sozinho a lidar com seus poderes e isso nos faz pensar: será que, um dia, o Aranha de Tom Holland será mentor de alguém nos cinemas?

Imagem de capa do item

Referências aos filmes de Sam Raimi

Por mais que a Sony tenha cometido alguns deslizes com o Homem-Aranha nos cinemas, não podemos negar que o estúdio também teve muitos acertos, inclusive, o segundo filme da trilogia de Sam Raimi é cultuado até hoje por muitos fãs e tido como o melhor-filme do Aranha.

Sabendo de toda essa popularidade do longa, a Sony abre espaço para homenagear a si mesma, fazendo referências geniais aos filmes da Raimi, dando aos fãs tudo aquilo que eles mais amaram, mostrando que a Sony é o verdadeiro lar do herói.

Imagem de capa do item

Miles Morales

Como dito acima, além de Peter Parker, a grande estrela do longa é Miles Morales, um herói criado em 2011 que se consagrou como um dos personagens mais queridos pelos fãs na mais recente leva da Marvel Comics.

Na verdade, o filme é focado principalmente em Miles - e isso é ótimo! Depois de tantos filmes estrelados por Peter Parker, é bom ver um novo personagem assumindo o manto do Aranha e mostrando que não é só o sobrinho de Ben e May Parker que consegue conquistar os fãs.

Imagem de capa do item

Gwen Stacy

Assim como Miles, Gwen Stacy também é uma peça importante da trama, mas não espere pela Gwen que era o grande amor da vida de Peter Parker e que acabou sendo morta durante um confronto entre o herói e o Duende Verde.

A Gwen Stacy da animação vem de uma realidade alternativa, onde ela é quem ganha poderes aracnídeos e Peter Parker acaba morrendo. O papel de Gwen na trama é muito bom e nos deixa ansiosos para ver mais dela no futuro.

Imagem de capa do item

O Multiverso

Pela primeira vez, vemos um filme do Homem-Aranha abordando o Multiverso Marvel e isso por si só já é motivo de muito crédito para a produção. Acontece que o multiverso da trama não é uma mera referência, ele realmente faz sentido e nos deixa ainda mais curiosos para conhecer novas versões do herói.

Além disso, temos a chance de conhecer algumas versões do Aranha que tinham pouquíssimo destaque e que demonstram um potencial incrível, tais como o Aranha Noir, Peni Parker e o Porco-Aranha, cada um com qualidades únicas e muito carisma.

Imagem de capa do item

Um vilão com uma boa motivação

Nos últimos anos, os fãs de filmes se tornaram cada vez mais exigentes com os vilões que enfrentam seus personagens favoritos, com isso, o conceito básico de um vilão que só busca a dominação mundial foi deixado de lado e os vilões passaram a ser cada vez mais explorados, resultando em Thanos, Killmonger, Mestre dos Oceanos, Loki e por aí vai.

Em Homem-Aranha: No Aranhaverso, vemos os heróis enfrentando um dos melhores vilões do Homem-Aranha nos quadrinhos, contudo, sua motivação é extremamente identificável, o que faz com que o público crie uma certa empatia por ela.

Imagem de capa do item

Ação na medida certa

Como um bom filme do Homem-Aranha, é claro que não podiam faltar cenas de ação. Assim como nos filmes anteriores, vemos o Aranha usando sua agilidade e força nos combates, bem como seus disparos precisos de teia para enfrentar os mais diversos inimigos, porém em Aranhaverso, temos vários tipos diferentes de Homem-Aranha e cada um deles luta no seu próprio estilo.

Seja no divertidíssimo modo cartunesco do Porco-Aranha ou no combate tecnológico de Peni Parker, cada herói tem seu momento de brilhar e de se destacar na hora do quebra-pau.

Imagem de capa do item

Respeito aos quadrinhos

Um dos pontos mais importantes nos filmes de super-heróis é o respeito ao material no qual os personagens se originam e Homem-Aranha: No Aranhaverso dá uma verdadeira aula de respeito aos quadrinhos.

O longa narra com perfeição as origens de cada um dos Homem-Aranha apresentado e faz jus ao cânone de cada um, respeitando suas personalidades, individualidades e transmite tudo o que os fãs mais amam nas HQs para a trama.

Imagem de capa do item

A trilha sonora

Por fim, temos de ressaltar a incrível trilha sonora do filme, que se alia às narrativas de cada personagem e transmite a personalidade de cada um através de melodias e músicas populares.

Seja pelo Hip-Hop de Miles ou por músicas orquestradas que remetem aos sons usados por Sam Raimi em sua trilogia, a trilha se define por uma mistura distópica que casa perfeitamente com o tema de realidades únicas e paralelas.

Imagem de perfil
Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'