Capa da Publicação

10 Melhores Jogos da Franquia Dragon Ball!

Por Lucas Rafael

A franquia Dragon Ball se mostra firme e forte em pleno 2018, com Super tendo chegado ao seu fim e a promessa de um filme da saga mais pra frente este ano. A verdade é que o universo concebido por Akira Toriyama vêm cativando gerações há anos, e a rica mitologia da franquia transborda dos mangás para animes, filmes e, e é claro, games.

Nesta lista, tentamos sintetizar as melhores oferendas de Dragon Ball para o mundo dos games. Como já foram lançados diversos títulos, fica difícil resumir tudo em 10 itens, então se faltou aquele jogo de Dragon Ball especial pra você, joga nos comentários e contribua para a lista!

Imagem de capa do item

Dragon Ball Z Legends (PS1, Sega Saturn)

Abarcando mais de 20 personagens da franquia, este jogo de PS1 foi motivo de muita amizade sendo desfeita graças à suas mecânicas de batalhas em equipes. O gráfico de Legends não era dos melhores pra época, feito através de sprites 2D, no entanto, a jogatina caótica era extremamente viciante.

O game trazia momentos do anime e diversos golpes especiais que contribuíam para uma poluição visual sem igual na tela. Bons tempos.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Z: Supersonic Warriors (Game Boy Advance, Nintendo DS)

Supersonic Warriors é um joguinho adorável. Este game para os portáteis da Nintendo trazia diversos modos de batalha, 13 personagens divididos em heróis e vilões da franquia, assim como um modo história que brinca com cenários "e se..." do mundo Dragon Ball.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Z: Infinite World (PlayStation 2)

Embora o que Infinite World faça, Budokai Tenkaichi 3 já tinha feito melhor anos antes, o jogo ainda foi fonte de boas memórias para diversos jogadores do PS2.

Infinite World adotava uma câmera 2D no modo batalha, dando uma experiência estética mais classuda ao jogador. Existe uma boa quantidade de conteúdo aqui, embora o jogo empalideça em comparação à seus antecessores, vale a menção na lista.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Z Budokai Tenkaichi 2 (PlayStation 2, Wii)

Tenkaichi 2 merece o lugar na lista por ter mimado muito bem os fãs de Dragon Ball através de uma vastidão de conteúdo: são cerca de 120 personagens, uma trama que abrange de Dragon Ball Z até GT e filmes.

Isso sem falar na jogabilidade mais fluída adaptava com fidelidade as proporções épicas que presenciávamos no anime.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Z Budokai 3 (PlayStation 2)

Com mais de 42 personagens, muitos jogadores colocam Dragon Ball Budokai 3 em um pedestal, e não sem bons argmentos: o gráfico cel-shade acertava a mão em traduzir o visual do anime para os consoles, tanto que FighterZ parece ter elaborado bastante em cima disso.

No entanto, o principal atrativo de Budokai eram suas profundidades mecânicas que traziam uma camada a mais de estratégia para as lutas, tornando um jogo fácil de se jogar, porém complicado de masterizar, como todo bom jogo de luta deve ser.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Advanced Adventure (Game Boy Advance)

Saindo um pouco do molde tradicional do gênero de "luta" da franquia, aqui temos um adorável beat'em up 2D onde controlamos Goku em uma trama derivada do primeiro anime de Dragon Ball.

O jogo é bem completinho, contanto com jogabilidade bastante responsiva, chefes memoráveis e até um modo extra onde dava para jogar com eles.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Z: Burst Limit (PS3, Xbox 360)

Aqui, temos outro jogo de luta bem completinho da franquia, e que por algum motivo ninguém costuma lembrar muito.

Burst Limit oferecia uma campanha que abarcava todos os eventos do anime até a saga de Cll, mais de 20 personagen jogáveis e um gameplay que tentava com muito carinho traduzir a identidade de Dragon Ball para os consoles.

Dava pra atravessar montanhas, estilhaçando-as no processo, e invocar aliados com entradas triunfais para te ajudar. Era bacana.

Imagem de capa do item

Dragon Ball Budokai Tenkaichi 3 (PS2, Wii)

Embora muita gente prefira o Budokai 3, a quantidade absurda de conteúdo oferecida por Budokai Tenkaichi 3 não pode passar despercebida.

Sendo outro jogo normalmente colocado em um pedestal pelos fãs, o título oferece a jogabilidade fluída que consagrou a franquia, equilibrando as batalhas para deixar as coisas mais competitivas. No entanto, o destaque é como os gráficos aliados à jogabilidade traduzem bem o senso de escala épico das lutas do anime.

Imagem de capa do item

Dragon Ball GT: Final Bout (PS1)

Tudo bem que a fase GT de Dragon Ball gera bastante discussão entre os fãs, mas pelo menos ela nos trouxe Final Bout.

A galeria de personagens aqui era bastante inusitada, além dogame contar com aquela pegada meio Tekken na hora das lutas, pra não mencionar a dificuldade elevada que fez muita gente se frustar com o título, e outros se vangloriarem de o terem dominado.

Imagem de capa do item

Dragon Ball FighterZ (PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows)

E para finalizar, vamos com o título mais recente da franquia, FighterZ, com lindos gráficos que enchem os olhos de qualquer entusiasta da franquia. Além disso, FighterZ conta com cenas do anime desbloqueáveis dependendo das variáveis de uma luta, sem falar nos combos destruidores e especiais devastadores, tudo naquela escala épica que a gente aprendeu a gostar graças ao anime.

Imagem de perfil
Lucas Rafael

Redator. Entusiasta de coisas demais