Capa da Publicação

10 Melhores HQs do selo Marvel Max!

Por Lucas Rafael

O selo Marvel Max acabou ficando conhecido por trazer uma abordagem para maiores de diversos personagens Marvel, seja no departamento da violência gráfica, ou abordando temáticas mais sérias e densas.

A linha Max da Marvel iniciou em 2001, depois da Marvel abandonar o código de autoridade dos quadrinhos e criar seu próprio sistema de classificação indicativa. Nesta lista, separamos algumas das melhores obras que o selo para adultos da Casa das Ideias oferece. Faltou algum que você julga essencial? Joga pra gente nos comentários!

Imagem de capa do item

Fury Max

Conhecida também como Fury: Minha Guerra Se Foi, esta HQ escrita por Garth Ennis se mostra um retrato seco e incisivo da guerra, sob a perspectiva de um Nick Fury que vai de batalha a batalha coletando cicatrizes físicas e emocionais.

O título é uma leitura obrigatória para os fãs de Nick Fury, assim como um das histórias em quadrinhos mais pungentes abordando questões de guerra.

Imagem de capa do item

Thor: Vikings

Mais uma de Garth Ennis, aqui temos uma divertida e brutal abordagem ao Deus do Trovão.

Doutor Estranho e zumbis vikings atacando Nova York. O que mais você precisa saber? Thor: Vikings é um das HQs mais divertidas (e violentas) do personagem, uma leitura obrigatória e mega-divertida do selo.

Imagem de capa do item

Poder Supremo

Seguimos as aventuras do Esquadrão Supremo da Terra-31916. A trama aborda como o surgimento de seres poderosos afeta a sociedade, trazendo alguns heróis icônicos como Hipérion, que foi criado desde criança pelo governo americano.

Poder Supremo foi escrita por J. Michael Straczynski, com arte de Gary Frank, sendo mais uma leitura obrigatória do selo Max.

Imagem de capa do item

Howard o Pato Max

Sendo escrita por Steve Gerber, a revista MAX de Howard, o Pato foi uma das primeiras publicações do selo.

Aqui, o universo bizarro do personagem ganhava uma crítica social mais ácida, acompanhada também por um humor completamente absurdista.

O bom do selo Max é que não existem limites impostos aos autores, e ler um quadrinho onde Steve Gerber está à vontade é maravilhoso.

E sim, Howard vira um rato.

Imagem de capa do item

Blade Max

Blade encontra seu lar no selo Max da Casa das Ideias, afinal, violência sem censura combina bem com a proposta do caçador de vampiros.

Aqui, vemos o caçador de vampires meio-humano fazendo bom uso de seu arsenal extremo de armas para lidar com corjas de sanguessugas. Uma leitura descompromissada, divertida, que sabe tirar o máximo de sua classificação indicativa.

Imagem de capa do item

Wolverine Max

Outro personagem que clamava por uma história livre das amarras da Marvel, Wolverine Max apresenta uma abordagem extremamente visceral do personagem, fazendo bom uso das garras de adamantium do Carcaju.

A história conta com adornos noir, e já começa com Wolverine sem pernas à deriva no mar, tendo de lidar com um ataque de tubarão, só para dar um gostinho do que está por vir para o leitor.

Imagem de capa do item

Justiceiro Max

Obviamente, o Justiceiro é um personagem que nasceu para ser utilizado em uma abordagem mais adulta. Em Justiceiro Max, o roteirista Garth Ennis (Preacher) tira o máximo proveito da liberdade para entregar alguns dos momentos de ação mais memoráveis de Frank Castle.

Mais que brutalidade gratuita, Justiceiro Max ainda aproveita para explorar o psicológico de Frank Castle mais a fundo, sendo uma leitura indispensável do personagem.

Imagem de capa do item

Strange Tales Max

Aí por 2009, a Marvel resolveu lançar sua mini-série de ficção científica e horror no selo Max, com história diferenciadas a cada edição, envolvendo autores de quadrinhos que não costumavam trabalhar dentro do gênero heroico.

Jason, Stan Sakai e Michael Kupperman foram alguns dos nomes que contribuiram para as edições, e se tratando de uma antologia, alguns capítulos são mais fortes que outros, e ainda que nem todas as histórias funcionem, certamente vale a leitura.

Imagem de capa do item

Deadpool Max

Provavelmente a história mais maluca, ensandecida e bizarra do Mercenário Tagarela, Deadpool Max abraça sem medo toda a insanidade de Wade Wilson em uma história repleta de violência, sensualidade e pura maluquice.

Para muitos, se trata de uma das melhores histórias do personagem justamente pelo fator absurdo que permeia a trama. Para outros, se trata de uma das piores publicações da Marvel Max, justamente por exibir material gráfico de uma maneira um tanto quanto gratuita. Ame ou odeie, Deadpool Max é uma das histórias mais populares do selo adulto da Marvel.

Imagem de capa do item

Alias

Agradeçam à linha Max pela criação de uma dos maiores ícones femininos da Marvel: Jessica Jones. A personagem foi introduzida nas HQs de Alias, do selo adulto da editora, sendo roteirizada de maneira incrível por Brian Michael Bendis.

Criando uma história que prende o leitor, Bendis conseguiu trazer uma protagonista icônica através de uma história sensível, com adornos do gênero noir, explorando a fragilidade dos heróis e expondo assim seu lado mais humano.

Imagem de perfil
Lucas Rafael

Redator. Entusiasta de coisas demais