Capa da Publicação

As 10 melhores histórias do Monstro do Pântano!

Por Gus Fiaux

A Panini está re-lançando, agora em junho, os 5 volumes da Saga do Monstro do Pântano de Alan Moore em capa cartão e papel LWC. A edição número 1 já está disponível nas bancas, comic shops e na loja online da Panini.

Você pode comprar a primeira edição aqui.

Monstro do Pântano é um dos personagens mais aclamados da linha Vertigo da DC Comics. Desde sua criação, pelas mãos de Len Wein, o personagem já passou por autores muito consagrados, como Grant Morrison, Jamie Delano e, é claro, o mestre Alan Moore.

Dessa forma, fica até difícil categorizar quais são as melhores fases do personagem, já que ele simplesmente não possui histórias ruins. Ainda assim, fizemos um esforcinho e aqui estão as 10 melhores histórias do Monstro do Pântano, para que você possa mergulhar profundamente nas águas lodosas do habitat do Avatar do Verde!

Créditos: Panini Comics
Imagem de capa do item

Raízes

Publicado no Brasil em: Monstro do Pântano: Raízes 1-2 (Panini Comics)

Como toda história de um bom personagem, é sempre ótimo começar pelo início. E no caso do Monstro do Pântano, estamos bem servidos com as primeiras histórias de Len Wein, que definiram vagamente como essa criação seria fundamental para o universo dos quadrinhos.

O personagem foi criado através de contos de horror gráficos, e isso se mostra bem presente aqui devido à presença de um cientista maluco, um lobisomem e até mesmo bruxas. Além disso, vale mencionar que aqui são apresentados não apenas um, mas dois Monstros do Pântano.

Imagem de capa do item

Pontas Soltas

Publicado no Brasil em: A Saga do Monstro do Pântano #1 (Panini Comics)

Aproveitando a inserção de Alec Holland, que veio a se tornar o Monstro do Pântano mais popular, o icônico mago das HQs Alan Moore assumiu suas histórias, e a partir daqui, vemos uma mudança brusca na direção do personagem: a figura pantanosa se tornou mais filosófica e psicodélica.

No primeiro arco de histórias do escritor, temos uma trama muito interessante e peculiar, onde vemos o personagem enfrentando o Homem-Florônico pelo controle da natureza. Destaque também para a participação especial da Liga da Justiça, tudo com a mais perfeita arte de Stephen Bissette.

Imagem de capa do item

Movido por Demônios

Publicado no Brasil em: A Saga do Monstro do Pântano #1 (Panini Comics)

Ainda no início de sua fase pelo personagem, Alan Moore conseguiu inserir e resgatar elementos de horror muito viscerais. No segundo arco de sua Saga do Monstro do Pântano, o autor britânico passa a trabalhar com a ameaça de demônios, que afetam a vida do herói e de sua amada, Abigail.

Aqui, vemos uma trama um pouco mais pesada, que envolve o satânico Macaco-Rei em uma caçada de vida ou morte. Destaque também para a participação especial do Etrigan e para John Constantine, que aparece pela primeira vez nos quadrinhos aqui.

Imagem de capa do item

O Jardim das Delícias Terrenas

Publicado no Brasil em: A Saga do Monstro do Pântano #5 (Panini Comics)

Embora sempre tenha sido considerado parte do Universo DC, o Monstro do Pântano sempre ficou mais em seu canto, devido ao teor mais adulto de suas histórias - que, por sua vez, pertenciam ao selo Vertigo. No entanto, isso não impediu que Moore o fizesse encontrar com o Batman.

Em uma jornada por Gotham City, vemos o Avatar do Verde em confronto com o Cavaleiro das Trevas, em uma história que fez os fãs perderem a cabeça na época e continua tendo esse efeito até hoje. Além disso, temos a presença de alguns personagens da mitologia do Batman, como o Coringa.

Imagem de capa do item

Amor Alienígena

Publicado no Brasil em: A Saga do Monstro do Pântano #6 (Panini Comics)

Não é surpresa que Alan Moore seja um dos grandes mestres da nona arte. O autor britânico revolucionou os quadrinhos e trouxe um nível artístico jamais visto, e a conclusão de sua Saga do Monstro do Pântano é o exemplo perfeito disso, introduzindo o herói num terreno desconhecido.

O título conta com a presença de um dos maiores vilões do Homem de Aço, o Lex Luthor, e aposta firme no lado filosófico e questionador do herói. Além disso, temos uma conclusão da fase composta por várias histórias paralelas que fecham o ciclo de Moore de maneira magistral.

Imagem de capa do item

Regênese

Publicado no Brasil em: Monstro do Pântano: Regênese #1-3 (Panini Comics)

Após a saída de Moore, quem assumiu total controle das HQs do herói foi Rick Veitch, que já era responsável pela arte durante a fase do mago. Aqui, ele não apenas dá continuidade à história de forma simplória, como cria uma mitologia essencial que expandiu os horizontes do Avatar do Verde.

Com o auxílio de Jamie Delano - o que inclui um divertido crossover com o título do Hellblazer, que era publicado pelo autor na época -, além de várias referências e ligações com o trabalho anterior na revista. É uma fase que resgata elementos mais puxados para o horror, como na origem do herói.

Imagem de capa do item

Raízes do Mal

Publicado no Brasil em: Monstro do Pântano: Raízes do Mal #1-5 (Panini Comics)

Posteriormente, temos uma fase um tanto controversa, mas cujo saldo positivo é muito alto, especialmente considerando os dois envolvidos na criação: Grant Morrison ao lado de Mark Millar, levando o personagem novamente para uma trama de horror densa e bizarra.

Embora o começo da fase não seja muito apreciado pelos fãs, podemos ver Millar se tornando mais confortável com o personagem, de forma que os últimos volumes realmente estão a nível do que o herói merece. Destaque também para o fato de que essa é uma história muito mais contida, já que nessa época, o Monstro do Pântano fazia parte apenas do selo Vertigo.

Imagem de capa do item

O Dia Mais Claro

Publicado no Brasil em: O Dia Mais Claro Especial: A Busca Pelo Monstro do Pântano (Panini Comics)

Embora O Dia Mais Claro não seja lá a saga mais bem-aceita da DC Comics antes dos Novos 52, ao menos ela serviu para nos apresentar uma excelente história especial envolvendo o Monstro do Pântano, que foi reinserido, junto com John Constantine, no Universo DC.

Aqui, vemos a primeira história na qual os dois personagens são trabalhados junto com o restante dos heróis populares desse universo. Temos participações especiais muito interessantes, como Batman e Superman, e é legal ver as repercussões causadas pela saga centrada nos Lanternas Verdes.

Imagem de capa do item

A Batalha pelo Verde

Publicado no Brasil em: O Monstro do Pântano - Os Novos 52 #2 (Panini Comics)

Após o grande reboot dos Novos 52, o personagem ganhou uma nova roupagem e uma série muito elogiada, escrita por Charles Soule. Aqui, vemos o Monstro do Pântano lidando de maneira muito mais acentuada com suas responsabilidades como um Elemental.

Nesse segundo volume de sua nova história, vemos ele tendo que salvar todo o Verde de ameaças muito perigosas, e tendo que lidar diretamente com o Parlamento das Árvores e outros avatares, enquanto espalha uma mensagem sutil de conscientização ambiental.

Imagem de capa do item

O Culto

Publicado no Brasil em: Monstro do Pântano - Os Novos 52 #3 (Panini Comics)

Na continuação direta do título anterior, temos agora uma trama densa e intensa, já que o Monstro do Pântano agora é responsável por toda a representação do Verde, após ter dissolvido o Parlamento das Árvores. Enquanto isso acontece, uma cilada mortal é arquitetada por dois aliados.

A imortalidade do personagem fica ameaçada com a chegada de um culto sinistro: os Sureen, que sempre cultuaram o Verde. A revista é ótima para quem gosta de tramas conspiratórias, já que temos uma presença bem intrigante ameaçando a vida e a própria morte do Monstro do Pântano.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux