Capa da Publicação

10 jogos mais decepcionantes de 2018!

Por Lucas Rafael

2018 foi um bom ano para os videogames. Infelizmente, nem só de bons títulos vive o mercado. Nesta lista, separamos jogos que até prometeram, erguendo nossa sobrancelha com trailers e conceitos maravilhosos que acabaram não conseguindo entregar no produto final.

Confiras os 10 jogos mais decepcionantes de 2018! Faltou algum que você julga essencial? Comente!

Imagem de capa do item

Darksiders III

A franquia Darksiders sempre se destacou graças à inventividade de seus visuais e gameplay memorável. O terceiro título, no entanto, sofreu alguns entraves em seu desenvolvimento que acabaram refletindo na qualidade final do produto.

Darksiders III é de longe o melhor game desta lista, entrando justamente por não entregar o mesmo grau de qualidade que esperamos da franquia. Ainda assim, é um bom game.

Imagem de capa do item

Battlefield V

Battlefield V marca o início da decaída de umas das grandes franquias de tiro em primeira pessoa. Se Battlefield 1 era nutrido por boas ideias, o quinto jogo da franquia chegou sem fazer muito barulho, abraçado por uma base de jogadores menor do que as anteriores, permeado por bugs problemas de performance em seu multiplayer.

Imagem de capa do item

Vampyr

Aqui, o jogo da desenvolvedora de Life Is Strange tinia de potencial, trazendo um RPG de ação ambientado na época vitoriana, colocando o jogador no papel de um médico que também é um vampiro.

O sistema de escolha assim como a mitologia deste universo podiam entregar uma das melhores experiências do gênero este ano. Infelizmente, Vampyr fez o feijão com arroz e acabou sendo apenas um título passável.

Imagem de capa do item

State of Decay 2

O primeiro State of Decay foi abraçado pela comunidade gamer, tornando-se um título memorável em seu próprio direito. A popularidade acabou gerando uma sequência que simplesmente não sabe a que veio.

O jogo conta com um gameplay repetitivo e entediante aplicado em um mundo pós-apocalíptico ameaçado por diversos zumbis, bugs e glitches.

Imagem de capa do item

Call of Cthulhu: The Official Video Game

Esse aqui doeu. O jogo prometia finalmente trazer um bom título adaptando a mitologia do autor H.P Lovecraft aos videogames, em uma história intrincada onde cada decisão implica uma consequência.

Infelizmente, o game também ficou só na promessa. O que temos como resultado é uma trama insossa, apresentada em mapas vazios e sem vida que falham em entregar 10% da atmosfera Lovecraftiana. É melhor jogar Bloodborne mais uma vez.

Imagem de capa do item

Jurassic World: Evolution

Um jogo de construção de parques nos moldes de Zoo Tycoon, mas com dinossauros. O conceito tine de potencial, e certamente chamou a atenção de muitos jogadores.

Infelizmente, o que foi entregue se trata de um título genérico, que se aproveita do lançamento do novo filme da franquia para conseguir um lucrinho extra. Nada demais para se ver por aqui.

Imagem de capa do item

The Quiet Man

Aqui a Square Enix errou feio. O jogo prometia trazer a proposta ambiciosa de um protagonista surdo que se envolve em uma espiral de eventos violentos, mas o resultado é um desastre completo permeado por animações estranhas, uma história convoluta e sem graça e diversos bugs, indo na contramão de toda a "pretensão" que a Square vendeu marketeando o jogo.

Imagem de capa do item

Agony

Agony prometia ser uma experiência de terror imersiva e visualmente estarrecedora, mas ficou só na promessa. O design das fases são ruins, o áudio do jogo é estranho, além de ser permeado por diversos bugs e jogabilidade monótona. Um verdadeiro desastre que ficou ainda pior graças à alta expectativa entregada pelo material promocional.

Imagem de capa do item

Metal Gear Survive

Após a saída de Hideo Kojima do comando da franquia, os fãs ficaram receosos acerca da direção para a qual a Konami levaria o título. O resultado é Metal Gear Survive, um jogo que até tenta transcender a ausência de seu autor e executar ideias boas, no entanto, não consegue entregar uma obra final satisfatória.

Imagem de capa do item

Fallout 76

Por fim, temos a bomba do ano. É, Bethesda, vocês pisaram feio na bola aqui.

Fallout 76 traz a franquia pós-apocalíptica para o mundo online, exceto que ele é bem chato. Vazio. Sem NPCs. Apenas jogadores realizando quests repetitivas e sem graça em um mundo quebrado e repleto de bugs.

Pra variar, o jogo se meteu em diversas polêmicas após o lançamento, incluindo uma edição para colecionadores mesquinha que não bate com o que foi prometido, vazamento de dados de jogadores e inclusão de microtransações. A catástrofe jogável do ano.

Imagem de perfil
Lucas Rafael

Redator. Entusiasta de coisas demais