Capa da Publicação

10 Jogos brasileiros recentes que merecem sua atenção!

Por Felipe Vinha

O Brasil anda mandando muito bem nos games. Produções de peso foram lançadas nos últimos dias e meses, enquanto temos ainda títulos que ainda títulos em desenvolvimento, que prometem ser destaque nacional e internacional pelas próximas semanas.

São jogos de todos os gêneros: RPG, plataforma, estratégia, exploração, sempre com criatividade e alguma inovação. O melhor de tudo é que muitos saíram em diversas plataformas, como PS4, Xbox One, Switch, PC e até celulares!

Sem mais delongas, confira as dicas, a seguir.

Imagem de capa do item

Alkimya

Produção do estúdio Bad Minions, Alkimya é um jogo de ação em visão isométrica, no melhor “estilo Diablo”. Ele tem gráficos 3D muito bem animados e possui elementos combináveis para realizar magia, de acordo com o que o usuário gastar.

O mapa parece vasto e o jogo é extenso, com muito cenário explorável. Trata-se de um RPG de ação que apresenta combate intenso, quebra-cabeças para avançar e, claro, decisões que definem o rumo do jogador.

Alkimya está em acesso antecipado no Steam e deve ser lançado também no Xbox One e PS4, ainda em 2018.

Imagem de capa do item

Celeste

Celeste é produzido pelo estúdio Matt Makes Games, do mesmo cara que nos trouxe o jogo Towerfall. Porém, ele tem uma boa parte de DNA brasileiro!

Membros importantes da equipe de desenvolvimento de Celeste são brasileiros, do estúdio Miniboss, responsável ainda por Out There Somewhere – o que também o torna “coisa nossa”.

Em Celeste você tem uma aventura de plataforma com alto desafio, no melhor estilo “Super Meat Boy”. Para vencer é preciso avançar pelos cenários, mas você vai morrer bastante pelo caminho.

O enredo é focado em uma jovem que precisa escalar a montanha Celeste e descobrir seus segredos. O título usa ainda gráficos no estilo “pixel art” e está disponível no Switch, PlayStation 4, Xbox One e PC.

Imagem de capa do item

Distortions

Distortions é um game brasileiro que tenta ir além e se baseia em sua narrativa. Desenvolvido pelo estúdio Among Giants, o game ainda deve ser lançado nos computadores e narra uma história sobre superação e autoconhecimento.

A protagonista não tem nome. É uma jovem que desperta e se vê em um mundo onírico, cheio de criaturas fantásticas e com a missão de descobrir como foi parar ali. A jogabilidade envolve música, com o violino da heroína, usado para resolver quebra-cabeças e enfrentar inimigos.

Imagem de capa do item

Sword Legacy Omen

Sword Legacy Omen é mais um jogo no estilo de RPG de ação e gráficos 3D que pinta nesta lista. Com produção de Rodrigo Correa e envolvimento dos estúdios Firecast e Fableware, o game ganhou tanto destaque que fechou contrato com uma publicadora gringa, a Team17, conhecida pela série Worms.

O jogo é um explorador de masmorras clássico. O jogador precisa explorar locais perigosos e enfrentar inimigos com suas habilidades e armas. É preciso estar atento aos cenários e aos acontecimentos em sua volta para não se dar mal.

Seu combate, porém, é em turnos e lembra títulos no estilo “Tactics”. O lançamento está aguardado para o primeiro semestre de 2018, no PC, via Steam.

Imagem de capa do item

Galaxy of Pen & Paper

Galaxy of Pen & Paper é produção dos já veteranos da Behold Studios, que também lançaram o original Knights of Pen & Paper e o mais recente Chroma Squad. Este novo título mantém o estilo “Pen & Paper” que mescla RPG, estratégia e aventura.

O cenário é o mesmo: monte uma mesa para jogar RPG com seus amigos, personagens criados pelo jogador, mas em um cenário de ficção científica, com exploração de planetas, armas laser, contatos com raças alienígenas, entre outros.

Os gráficos também são retrô, muito bem trabalhados. Galaxy of Pen & Paper foi lançado no PC, via Steam, além de plataformas móveis como Android e iOS.

Imagem de capa do item

Wild Glory

Wild Glory é um jogo de combate de arena, no melhor estilo “coliseu romano”, com gráficos retrô e muita violência estilizada. Trata-se de um projeto desenvolvido por cinco amigos, que o produziram para ser mostrado em um evento - SBGames 2017, onde foram premiados como a melhor criação de estudantes.

Ainda não há previsão de lançamento final e nem plataformas confirmadas além do PC, mas é um título para ficar de olho.

Imagem de capa do item

Blazing Chrome

Blazing Chrome é criação do estúdio nacional JoyMasher, especializado em lançar games de plataforma com gráficos que nos lembram das eras do Nintendinho e Super Nintendo – como foi com os títulos anteriores, Odallus e Oniken.

Blazing Chrome está mais para um jogo similar ao Contra, da Konami, mas com personalidade própria. Ele é repleto de referências, inimigos exagerados, protagonistas estilizados e armas potentes para abrir caminho na bala – ou na energia?

Ainda não há previsão de lançamento, mas é possível que saia ainda em 2018, no PC.

Imagem de capa do item

Grand Shooter

Grand Shooter é um jogo de tiro em trilhos, que lembra o clássico Virtua Cop. Produção do estúdio Sanca Ventures, ele já ganhou tanto destaque que ultrapassou a marca de 1 milhão de downloads no Android e iOS, onde está disponível.

O game é focado em um casal de moças e começa quando uma delas é sequestrada. No melhor estilo “filme de ação dos anos 80”, é preciso ir atrás dos bandidos para resgatar sua amada. A jogabilidade envolve tocar na tela para atirar nos inimigos que aparecem com o tempo e, claro, tentar não ser alvo.

Imagem de capa do item

Necrosphere

Necrosphere é produzido pelo estúdio Cat Nigiri e é um jogo de plataformas frenético, com muita ação e desafio. A dificuldade também é um ponto alto e os gráficos retrô são usados em todos os elementos.

Necrosphere utiliza apenas dois botões para jogar, o que delimita sua simplicidade. Mas não se engane, achando que ele será fácil, pois o desafio aparece a todo o momento e o jogador não pode ficar parado nas fases.

O título está disponível no PC, via Steam.

Imagem de capa do item

Dandara

Dandara é um jogo nacional do estúdio Long Hat House, que utiliza uma figura histórica, a própria Dandara, considerada esposa de Zumbi dos Palmares, para criar um cenário de fantasia e com bastante referência à nossa cultura – como a artista Tarsila do Amaral.

O game pega bem forte na questão da representatividade e sua jogabilidade é em plataformas, mas com um ponto bem criativo: Dandara não anda pelo cenário. Ela pode apenas pular, de um lugar ao outro, enquanto avança pelo mapa.

Para atacar os inimigos é preciso utilizar um poder de energia que sai de suas mãos, enquanto explora o cenário e abre o mapa, no melhor estilo “Castlevania”.

Dandara está disponível no Android, iOS, PS4, Xbox One e PC.

Imagem de perfil
Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha