Capa da Publicação

10 grandes trilhas sonoras dos games (Parte 2)!

Por Raphael Martins

Vocês pediram e a gente atendeu! Nessa lista, vocês verão (e ouvirão) mais algumas das melhores trilhas sonoras a história dos games, umas escolhidas por vocês, outras por nós. Quando se fala de game music, é bem difícil escolher apenas 10 para compôr uma lista, mas é o que temos pra hoje, pessoal.

E aí, fone de ouvido a postos? Então solta o som!

Top Gear (Kemco, 1992)

Tá aí uma trilha sonora que marcou a vida de muita gente que passava horas a fio nas locadoras jogando Top Gear com os amigos. Corrida após corrida, pista após pista, parecia que as músicas só ficavam mais legais.

O compositor da trilha do game, Barry Leitch, tem uma história especial com o Brasil: ele também foi o responsável pela trilha do game brasileiro Horizon Chase Turbo, onde entre as composições novas, estava o inesquecível tema de Top Gear.

O vídeo não está mais disponível.

Super Mario Galaxy (Nintendo, 2007)

A franquia do encanador da Nintendo é uma das mais longevas e tradicionais da indústria dos games, e cada um de seus jogos tem trilhas sonoras inesquecíveis. Mas a de Super Mario Galaxy, jogo que vendeu muitos Wii na década passada, é um caso a parte.

Uma grande orquestra foi chamada para executar as músicas do jogo, que só podem ser definidas com uma palavra: mágicas. É pra ouvir e sonhar longe, com aventuras em outros mundos, assim como as que Mario vive no jogo.

Pokémon Red/Blue (Nintendo, 1996)

Mais uma trilha memorável de uma franquia da Nintendo, amada por milhões de pessoas há mais de 20 anos. Pokémon Red & Blue, que começaram tudo no Game Boy, tinham músicas tão sensacionais que, além de ficarem na cabeça, geraram até algumas lendas urbanas.

Ou será que vocês nunca ouviram falar da lenda da música tema de Lavender Town? Se não, eu tenho uma dica esperta pra vocês: é melhor assim.

Metal Gear Solid (Konami, 1998)

A saga de Solid Snake foi criada por Hideo Kojima na Konami ainda nos anos 80, mas foi só em 1998, com o lançamento de Metal Gear Solid para o Playstation 1, que estourou de vez. Acompanhando a trama intrincada de espionagem, estava uma trilha bastante inspirada, composta por vários artistas de dentro da Konami.

A música continou sendo um dos pontos fortes da franquia nos jogos seguintes, se tornando verdadeiros hinos para os fãs da série.

Donkey Kong Country (Nintendo, 1994)

Em 1994, o estúdio Rare explorou o poder do Super Nintendo de maneira bastante eficiente com Donkey Kong Country, que revitalizou o antigo sucesso dos arcades na forma de um envolvente e extremamente desafiador jogo de plataforma.

A música que conduzia a história fazia o jogador se sentir ainda mais preso ao game, de uma maneira que era até difícil largar do controle e parar de jogar. As fases na água, em especial, tem composições belíssimas.

O vídeo não está mais disponível.

Mega Man 3 (Capcom, 1990)

Mega Man é mais uma série conhecida tanto por sua dificuldade quanto pela trilha sonora marcante, um ponto onde a Capcom nunca deixou a peteca cair. A cada novo jogo, eramos surpreendidos com composições ainda melhores que as do anterior.

Mega Man 3 consegue ter uma trilha tão boa quanto a de Mega Man 2, capaz de conseguir reações diferentes dos jogadores. Enquanto que a da abertura é sobria e bela, a da fase de Snake Man, por exemplo, evoca aventura e perigo.

God of War 2 (SCE Santa Monica, 2007)

Quando a esperada sequência da saga de vingança do Fantasma de Esparta chegou ao Playstation 2, veio acompanhada de uma trilha poderosíssima, executada por uma grande orquestra, e ajudou a conduzir a história de Kratos de uma maneira simplesmente sem igual.

O jogo foi bastante elogiado por público e crítica, que também se derreteram em elogios às composições musicais do jogo. God of War não seria a mesma coisa sem sua trilha sonora, sem sobra de dúvidas.

Scott Pilgrim vs the World (Ubisoft, 2010)

Essa é uma gema relativamente desconhecida, não sem razão: feito para ser lançado junto com o filme, o game de Scott Pilgrim empolgava pela ação constante que o gênero Beat'em Up sabe oferecer, mas por questões burocráticas, foi retirado das plataformas online, de modo que não é mais possível adquirí-lo.

A trilha, composta pela banda Anamaguchi, usa e abusa do Chiptune, prestando tributo aos grandes sucessos dos 8 e 16 bits.

The King of Fighters 97 (SNK, 1997)

Marcando o fim da primeira grande saga de The King of Fighters, a saga Orochi, a versão 97 do game trazia novos e velhos lutadores, divididos em equipes de 3, cada um com sua história e motivações para participar de mais um torneio.

Falar das músicas é como falar de um personagem da franquia, sendo esse aspecto um dos pontos mais altos dessa série, que dispensa qualquer tipo de apresentação quando se trata de uma trilha sonora empolgante e marcante.

Street Fighter II (Capcom, 1991)

Não dá pra falar de trilhas musicais inesquecíveis sem mencionar Street Fighter II. O jogo, um verdadeiro divisor de águas na história da Capcom, foi lançado para os arcades em 1991 e ganhou uma versão para Super Nintendo, que vendeu milhões de cópias, um ano depois.

A popularidade desse jogo explodiu como uma bomba atômica nos anos 90, elevando a compositora japonesa Yoko Shimomura, que assina a trilha do jogo, ao status de lenda da indústria. Se a música-tema do Guile se encaixa com absolutamente tudo, é a ela que vocês devem agradecer.

Imagem de perfil
Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael