Capa da Publicação

10 Franquias de filmes que só ficaram melhores com o tempo!

Por Gus Fiaux

Quando falamos de Hollywood, é inegável que a cultura das franquias cinematográficas está cada vez mais presente. Ultimamente, quase não temos ideias originais no cinema blockbuster – e mesmo as que são logo ganham continuações, spin-offs, prelúdios e outros derivados.

Embora isso tenha drenado a criatividade do mercado cinematográfico, não há como negar que algumas franquias acabaram melhorando com o tempo. São casos onde as continuações realmente tiveram uma importância e ajudaram a sedimentar os universos próprios de cada série de filmes!

Para esta lista, não estamos considerando que as franquias mencionadas começaram ruins. Estamos apenas dizendo que, a cada novo filme, elas ganharam força e se tornaram ainda melhores. 

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Missão: Impossível

Com um novo filme chegando aos cinemas nesta quinta-feira, Missão: Impossível sobreviveu ao teste do tempo, mantendo-se como uma das melhores franquias de ação da atualidade. Vale lembrar que o cultuado longa original de Brian De Palma, de 1996, é na verdade, inspirado por uma popular série homônima da década de 60.

Os filmes nos apresentam as aventuras de Ethan Hunt, um agente secreto do IMF, designado para uma série de missões consideradas... impossíveis. Ao longo dos anos, a franquia passou por uma melhora significativa, tanto visualmente quanto em sua narrativa, e agora reside aos cuidados de Chris McQuarrie, responsável pelo mais novo longa da série, Efeito Fallout.

Imagem de capa do item

007

Seu nome é Bond, James Bond. A franquia de filmes 007 é uma das mais longas da história do cinema, e atualmente está comemorando seus cinquenta e cinco anos, com 27 filmes lançados até o presente momento. E é interessante notar como, a cada novo longa, a qualidade geral só aumenta - ainda que alguns filmes deixem o público insatisfeitos, como Spectre.

A franquia, assim como muitas outras desta lista, soube se atualizar ao longo dos anos, trazendo inovações a cada vez que um novo ator assume o papel do agente secreto mais famoso do mundo. Além disso, é importante notar como cada "era" da saga possui um filme muito marcante e excepcional - nesse sentido, podemos citar Goldfinger, GoldenEye e Operação Skyfall.

Imagem de capa do item

Velozes & Furiosos

Um item bem polêmico, há quem diga que Velozes & Furiosos só piorou a cada nova continuação, já que a trama das corridas ilegais de carros foi deixada de lado para inserir histórias cada vez menos realistas e uma narrativa familiar forçada. Esse é um jeito de ver as coisas. O outro é perceber que a franquia finalmente parou de se levar a sério.

As aventuras de Toretto, Brian O'Conner, Letty Ortiz e, mais recentemente, Luke Hobbs se tornaram bem menos pretensiosas, conforme os responsáveis pela franquia perceberam que o público só quer ver ação envolvendo carros. E ação é o que não falta aqui, com um filme mais mirabolante que o anterior, cada qual desafiando os limites - e a física.

Imagem de capa do item

Jurassic Park

Pode ir se acalmando aí. Eu sei - e todo mundo sabe - que nenhum filme jamais vai superar o Jurassic Park original. É um longa encantador, que revolucionou o cinema na sua época e ficou marcado como um dos maiores clássicos atemporais da sétima arte. Mas depois de duas continuações ruins, é imprescindível ver Jurassic World como uma baita melhoria.

Os números falam por si, e a bilheteria da franquia continua surpreendendo a todos. Além disso, os novos filmes estão trazendo um novo começo para uma nova geração de fãs, e se O Mundo dos Dinossauros é basicamente um remake do filme original, Reino Ameaçado, por sua vez, muda drasticamente a compostura da saga e nos apresenta um novo horizonte.

Imagem de capa do item

Star Trek

Também conhecida como Jornada nas Estrelas, essa franquia é um caso interessante, por ter começado originalmente na televisão antes de migrar para os cinemas. E embora tenhamos tido filmes espetaculares como A Ira de Khan e Primeiro Contato, o consenso geral sobre a série original de filmes não é lá muito positiva fora do fandom.

Tanto os filmes da série original quanto de A Nova Geração ficaram datados e foram criticados por serem "episódicos" demais. Contudo, em 2009, J.J. Abrams surgiu para introduzir uma nova série de filmes, que realmente carregou o peso da Enterprise na linguagem cinematográfica. Desde então, a trilogia formada apostou na ação, mas sem esquecer da filosofia e está tendo uma vida longa e próspera.

Imagem de capa do item

Planeta dos Macacos

Outra franquia clássica que teve um revival recente nos últimos anos foi Planeta dos Macacos, e podemos ter a certeza de que a saga nunca foi tão bem trabalhada como nos últimos anos. O que era um clássico da ficção científica e logo se tornou um filme vergonhoso nas mãos de Tim Burton agora é uma franquia sobre humanidade, intolerância e sobrevivência.

Com Andy Serkis à frente do papel do líder macaco César, temos uma história arrebatadora, que se transformou em uma espetacular trilogia nas mãos de Rupert Wyatt e Matt Reeves, que trouxe um significado moderno à obra que se originou em 1963 na literatura, nas mãos de Pierre Boulle.

Imagem de capa do item

Toy Story

É impossível determinar qual é o melhor filme de Toy Story, falando de um ponto de vista narrativo. Considerada a melhor franquia de animação já feita, a trilogia é brilhante em cada aspecto, provando-se o suprassumo do que a Disney e a Pixar podem oferecer ao público quando unidas. E isso sem contar os diversos curtas-metragens e especiais televisivos.

Porém, há uma melhora gritante que nos logo salta aos olhos: o visual. Se o primeiro filme, de 1995, ainda nos trazia um 3D bem prematuro - ainda que impecável para a época -, Toy Story 3 é uma revolução, mostrando todo o potencial artístico por trás dos filmes da franquia. Esperamos que o quarto longa, anunciado para 2019, mantenha a tradição, tanto na história quanto na estética.

Imagem de capa do item

Harry Potter

Um reflexo nítido dos livros em que se baseiam, os filmes de Harry Potter são outro exemplo bem claro de como uma franquia pode ir evoluindo na linguagem cinematográfica. Se A Pedra Filosofal continua sendo um clássico mesmo após quase vinte anos de seu lançamento original, foram os últimos longas que amarraram a história e mostraram a que veio a saga.

Mesmo que não agradem unanimemente os fãs da obra de J.K. Rowling, longas como O Enigma do Príncipe e as duas partes de As Relíquias da Morte possuem um rigor técnico quase impecável. Com sorte, a franquia Animais Fantásticos também vai continuar crescendo, mostrando que o Mundo Bruxo ainda é uma franquia atual e relevante.

Imagem de capa do item

Universo dos X-Men

Um exemplo bem controverso para gerar debates nos comentários, o Universo dos X-Men é uma franquia de super-heróis que só assumiu a postura de franquia compartilhada recentemente, quando passou a ter outros filmes além da trama central dos mutantes. E foi justamente investindo nos filmes derivados que a franquia acabou tornando-se um espetáculo.

Ainda que a qualidade da saga principal tenha caído, como se nota por Apocalipse, não há como negar que investidas como Logan e Deadpool trouxeram um aspecto único para a saga dos X-Men, nos deixando ainda mais ansiosos para alguns projetos paralelos do futuro, como o adiado e aguardado Novos Mutantes.

Imagem de capa do item

Universo Cinematográfico da Marvel

A franquia do momento, o Universo Cinematográfico da Marvel na realidade é um compilado de - até o presente momento - dez franquias diferentes. E conforme o tempo progrediu, percebemos o quanto esses filmes ficaram mais impressionantes, narrativa e tecnicamente, solidificando o "gênero" dos super-heróis no cinema blockbuster contemporâneo.

O efeito pode ser analisado dentro das micro-sagas de cada personagem. Basta notar o Capitão América e o Thor, cujas aventuras foram melhorando gradativamente a cada novo filme. Analisando o quadro geral, a Fase 3 nos presenteou até agora com oito filmes ótimos ou excelentes... e as perspectivas para o futuro estão mais otimistas do que nunca!

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux