Capa da Publicação

10 filmes de terror que prometeram muito mas decepcionaram

Por Gus Fiaux

O cinema de horror sempre é um gênero 8 ou 80. De um lado, temos filmes muito bons, que se tornam clássicos para os fãs do terror e ganham muita notoriedade. Do outro lado, temos filmes que são ruins de doer, que se tornam verdadeiras chacotas.

Porém, o que acontece quando um filme promete demais e não cumpre?

Nesta lista, temos 10 filmes de terror que decepcionaram muito. São filmes que tinham muito potencial, seja por fazerem parte de uma franquia famosa ou por terem o envolvimento de grandes nomes do terror, mas que acabaram sendo muito aquém do esperado.

Créditos: Divulgação
Imagem de capa do item

Halloween 3: A Noite das Bruxas (Halloween III: Season of the Witch, 1982)

A franquia Halloween sempre foi calcada em uma figura muito importante: Michael Myers, um assassino poderoso que é conhecido como um verdadeiro "bicho-papão". Porém, em 1982, decidiram "reinventar a roda" e dar início a uma saga antológica, com cada filme contando histórias diferentes.

O resultado disso foi Halloween 3: A Noite das Bruxas, um longa que ignorava a história de Michael Myers para se focar em máscaras assombradas que transformavam seus usuários em assassinos inconscientes. Apesar de ter lá os seus fãs, o filme é um ponto bem baixo de toda a franquia.

Imagem de capa do item

Jogos Mortais: Jigsaw (Jigsaw, 2017)

Falando de franquias famosas, não podemos deixar de citar também Jogos Mortais, a saga que introduziu o modelo do torture porn em Hollywood. Com o passar dos anos, cada filme foi ficando pior, e a franquia perdeu todo o impacto que causou no lançamento de seu primeiro filme.

Dentre todos, o mais decepcionante talvez seja Jogos Mortais: Jigsaw. Embora ainda tenha seus momentos e conte com alguns personagens interessantes, o filme é cheio de clichês e obviedades recorrentes, além de ferrar completamente a cronologia da franquia até ali.

Imagem de capa do item

IT: Capítulo 2 (IT Chapter Two, 2019)

De muitas formas, IT: Capítulo 2 está bem longe de ser um filme de terror ruim. Na verdade, o longa tem várias boas ideias e consegue dar continuidade à história do longa IT: A Coisa de 2017, concluindo a adaptação de uma das histórias mais populares de Stephen King.

Por outro lado, o filme decepciona por seu ritmo lento, seus jump scares altamente previsíveis e pela forma como desperdiça seu elenco em uma trama arrastada e que repete basicamente tudo o que aconteceu no filme anterior. É uma pena que Pennywise tenha perecido dessa forma...

Imagem de capa do item

Natal Sangrento (Black Christmas, 2019)

Lançado no ano passado, Natal Sangrento é mais um dos projetos ambiciosos da Blumhouse que acabou sendo uma baita decepção. O filme é uma espécie de remake de um clássico slasher de 1974 (que já tinha ganhado outra versão em 2006).

Todos os trailers prometiam algo bem interessante, mas o filme acaba se tornando uma catástrofe da metade para o fim, perdido em uma "crítica social" que não funciona, enquanto os elementos de terror são deixados de lado. Pior do que isso, o longa perde toda a essência da versão original.

Imagem de capa do item

A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street, 2010)

Ainda falando de reboots que abandonam completamente a essência da franquia original, não podemos nos esquecer de A Hora do Pesadelo, o filme de 2010 que embarcou na tendência dos remakes da época, com um tom sombrio, uma fotografia escurecida e personagens completamente sem vida.

O filme coloca Jackie Earle Haley no papel do icônico Freddy Krueger, mas seu personagem tem pouquíssimo do charme excêntrico e maníaco do Freddy original de Robert Englund. Para piorar, o filme tem muitos efeitos digitais ruins e sua trama tenta ser inovadora, mas acaba sendo vazia.

Imagem de capa do item

A Colina Escarlate (Crimson Peak, 2015)

Guillermo del Toro é um diretor muito conhecido por seus filmes e sua visão única sobre o cinema, sempre trabalhando personagens como arquétipos e metáforas para problemas do mundo real, especialmente na perspectiva da fantasia. Por isso, A Colina Escarlate decepcionou tanto.

O filme foi lançado em 2015, e foi anunciado por meses como uma das maiores obras da carreira de Del Toro. Quando o longa chegou aos cinemas, no entanto, muitos não gostaram da falta de química entre o elenco e de como os fantasmas são deixados em segundo plano em prol de uma trama familiar.

Imagem de capa do item

A Múmia (The Mummy, 2017)

Em 2020, a Universal Pictures finalmente conseguiu tirar sua franquia de Monstros da Universal do chão graças ao incrível O Homem Invisível, mas durante muito tempo, o estúdio deu murro em ponta de faca tentando fazer essa saga acontecer - como, por exemplo, A Múmia.

Lançado em 2017, A Múmia teria sido o primeiro de um novo universo de monstros, que foi cancelado por conta do fracasso retumbante do longa. Para piorar, o filme foi criticado por não ser um longa de horror como muitos esperavam, e sim uma aventura de ação protagonizada por Tom Cruise.

Imagem de capa do item

Uma Noite de Crime (The Purge, 2013)

Quando foi anunciado, Uma Noite de Crime veio para se tornar uma grande "crítica social [email protected]" dentro de um filme de horror. Uma vez por ano, todos os habitantes dos EUA podem embarcar em uma noite de crime sem temer as punições, em uma estratégia governamental para diminuir a população.

O que tinha potencial para se tornar uma grande franquia cheia de comentários sociais e boas sacadas - quase que a versão de terror da franquia Jogos Vorazes - acabou se tornando um filme bem clichê de invasão domiciliar. As demais continuações até tentam, mas nenhuma consegue fugir do óbvio.

Imagem de capa do item

O Grito (The Grudge, 2004)

Lançado em 2004, O Grito veio em meio a uma onda de sucessos japoneses que estavam ganhando seus próprios remakes nos Estados Unidos, já que o público americano tem uma certa resistência a ler legendas. Curiosamente, o filme foi dirigido pelo criador da franquia original, Takashi Shimizu.

E mesmo seguindo de perto a história do longa original produzido no Japão, O Grito de 2004 sofreu muitas alterações em seu tom e proposta por ser um filme feito para o público ocidental. Ainda que tenha seus fãs, a franquia nos Estados Unidos nunca teve a mesma potência que a original.

Imagem de capa do item

Annabelle (2014)

Quando foi anunciado, Annabelle atraiu muita atenção por ser o primeiro spin-off da franquia Invocação do Mal, vindo logo depois do primeiro longa da saga. O filme veio com a promessa de contar a origem da boneca maldita, além de mostrar como ela chegou às mãos de Ed e Lorraine Warren.

Infelizmente, foi uma bola fora colossal. Além de ser um longa que se baseia apenas em jump scares, cheio de personagens desinteressantes, o primeiro filme da boneca veio para jogar um balde de água fria em todos que tinham altas esperanças no universo compartilhado criado por James Wan.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux