Capa da Publicação

10 filmes envolvendo hospitais psiquiátricos!

Por Gus Fiaux

A insanidade sempre teve um papel curioso no cinema. Vários filmes já exploraram bem o estigma de algumas doenças mentais – e um tema recorrente em gêneros como o suspense, o drama e o horror é a presença de hospitais psiquiátricos, asilos manicômios. 

Com isso, sempre tivemos uma representação bem peculiar desses locais que, ao mesmo tempo, são opressivos e assustadores. E agora, selecionamos 10 filmes que se passam dentro de hospitais psiquiátricos, para que você possa ver como a loucura se instala fácil!

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Vidro (Glass, 2019)

Abrindo esta lista, está um exemplar que está em cartaz no cinema mais próximo. Vidro é, essencialmente, a continuação de Corpo Fechado e Fragmentado. Um filme de M. Night Shyamalan, é como uma aventura de super-heróis passada em um hospício.

Aqui, vemos David Dunn, Kevin Wendell Crumb e Elijah Price sendo enviados a um hospital psiquiátrico, onde são tratados por uma doutora que estuda pessoas que pensam ser super-heróis. Mas a realidade é um pouco mais insana do que se deixa transparecer.

Imagem de capa do item

Sucker Punch: Mundo Surreal (Sucker Punch, 2011)

Um dos filmes mais estranhos da carreira de Zack Snyder, esse aqui dividiu os críticos, mas recebeu um clamor do público. Sucker Punch: Mundo Surreal, conta a história de uma menina que é enviada a um hospício por seu padrasto abusivo.

Lá, ela conhece outras meninas que sofrem a opressão do local, e juntas, elas criam uma realidade fantástica que serve de escapismo para a prisão cotidiana. Um filme carregado de simbologia sobre perversidade, abuso psicológico e controle mental, conta com um final de embrulhar o estômago.

Imagem de capa do item

Os 12 Macacos (Twelve Monkeys, 1995)

Filme de ficção científica aclamado, que inclusive foi adaptado em uma série de TV, Os 12 Macacos é justamente sobre um homem que viaja no tempo para impedir uma catástrofe biológica que põe em risco a sobrevivência da humanidade no futuro.

Aqui, vemos James Cole (personagem de Bruce Willis) sendo internado em um asilo, onde conhece Jeffrey Goines (Brad Pitt), um homem louco que possui uma participação crucial nesse desenrolar do futuro. Mas, para que tudo possa mudar, James precisa escapar de seu inferno pessoal.

Imagem de capa do item

Se Enlouquecer, Não se Apaixone (It's Kind of a Funny Story, 2010)

Se você gosta de um romance água-com-açúcar e ainda assim, gosta de contemplar os grandes dramas da vida, uma boa pedida é Se Enlouquecer, Não se Apaixone. Aqui, um adolescente se interna em um hospital psiquiátrico após sofrer com os estresses de sua vida cotidiana.

Embora não seja muito memorável, o longa conquista seu lugar aqui por conta de seu elenco, que conta com nomes como Zach Galifianakis, Zoë Kravitz, Emma Roberts e Viola Davis. Além disso, a direção é de Anna Boden e Ryan Fleck, que vão comandar o filme solo da Capitã Marvel.

Imagem de capa do item

Distúrbio (Unsane, 2018)

Lançado no ano passado e gravado inteiramente com câmeras de iPhone, Distúrbio é um dos filmes mais claustrofóbicos de Steven Soderbergh, narrando a trajetória de uma mulher que é hospitalizada abruptamente, enquanto foge de um stalker.

O interessante aqui é que, durante um bom tempo, não sabemos se acreditamos na história de Sawyer Valentini, já que ela apresenta comportamentos de uma pessoa ensandecida. No entanto, aos poucos a verdade se apresenta - e ela é bem mais assustadora que a loucura.

Imagem de capa do item

Quando Fala o Coração (Spellbound, 1945)

Embora não seja, nem de longe, o filme mais brilhante ou popular de Alfred Hitchcock, o noir Quando Fala o Coração possui seus pontos altos. Aqui, vemos uma psiquiatra que chefia um asilo, e logo precisa lidar com um novo colega de trabalho, que não parece ser quem diz ser.

Embora seja bem previsível e não conte com uma surpresa muito gritante, o filme se sobressai graças à atuação de seus protagonistas, Gregory Peck e Ingrid Bergman. Além disso, uma das melhores sequências do filme foi desenvolvida em parceria com Salvador Dalí.

Imagem de capa do item

O Gabinete do Dr. Caligari (Das Cabinet des Dr. Caligari, 1920)

Um dos maiores clássicos do expressionismo alemão, O Gabinete do Dr. Caligari foi um dos primeiros filmes da história do cinema a contar com um plot twist - que não revelarei aqui, para preservar a surpresa para quem ainda não viu. Mas já adianto: é uma jogada sensacional.

O que vale dizer é que o filme possui uma ligação com a ideia de um asilo psiquiátrico - e isso acaba influenciando toda sua história e seu visual surrealista. É um filme que merece ser visto, e a grande obra-prima do cineasta germânico Robert Wiene.

Imagem de capa do item

Ilha do Medo (Shutter Island, 2010)

De um mestre do cinema a outro, Martin Scorsese possui uma gama bem interessante de obras, que vão do thriller policial ao suspense absoluto. Em Ilha do Medo, temos uma combinação dos dois, conforme um agente federal é enviado para investigar a fuga da paciente de um asilo.

A história brinca com o conceito de insanidade, já que o personagem de Leonardo DiCaprio parece estar descendo na espiral de loucura que afetou todos ao seu redor. Ao fim, temos uma revelação impressionante que eleva a qualidade da obra e mostra como Scorsese é um exímio contador de histórias.

Imagem de capa do item

Garota, Interrompida (Girl, Interrupted, 1999)

Diagnosticada com síndrome de personalidade borderline, a jovem Susanna é internada em uma clínica psiquiátrica, onde lida com seus próprios demônios pessoais e desbrava sua entrada na fase adulta ao lado da sociopata Lisa.

O filme fez um grande sucesso por ser o longa que trouxe Angelina Jolie ao estrelato. Além disso, é um filme interessante por ser baseado nas memórias reais de Susanna Kaysen, que realmente passou dezoito meses de sua vida internada em um asilo.

Imagem de capa do item

Um Estranho no Ninho (One Flew Over the Cuckoo's Nest, 1975)

De todos os filmes da lista, nenhum é tão famoso ou influente quanto Um Estranho no Ninho, dirigido por Miloš Forman e vencedor do Oscar de Melhor Filme em 1976, ano posterior ao seu lançamento. E diferente dos filmes anteriores, aqui temos uma representação bem mais realista.

Na história, um criminoso chamado Randle McMurphy é transferido para uma instituição psiquiátrica, embora esteja convencido de que não é louco. Aos poucos, ele vai conhecendo os pacientes do local, enquanto bola um plano para fugir. Um dos melhores filmes estrelados por Jack Nicholson.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux