Capa da Publicação

10 coisas que você precisa saber sobre a Miss America Chavez!

Por Gus Fiaux
Imagem de capa do item

Origens

America Chavez nasceu e foi criada por suas duas mães no Paralelo Utópico, uma dimensão à parte do Multiverso, criada pelo Demiurgo. Durante seu crescimento, ela absorveu poderes da realidade mágica ao seu redor, o que lhe garantiu uma série de habilidades.

Quando tinha apenas seis anos, o Paralelo Utópico estava na ameaça da destruição. Para salvar a dimensão, as mães de América se sacrificaram, trazendo o Paralelo Utópico para dentro do Multiverso. Desesperada, America fugiu de sua dimensão e começou a viajar nos diversos universos, adotando o codinome Miss America e se tornando uma super-heroína juvenil.

Imagem de capa do item

Brigada Juvenil

Ainda muito jovem, ela acabou parando na Terra-616 e se juntou à nova versão da Brigada Juvenil, ao lado de Angel Salvadore, Bico e Nulificador Total. A equipe teve de rechaçar a ascensão dos Jovens Mestres, uma versão juvenil e sádica dos Mestres do Terror.

Em uma de suas missões ao lado da Brigada, America teve de resgatar o Intermediário, se tornando amiga próxima da entidade. Após finalmente derrotar os Jovens Mestres, America deixou a Brigada Juvenil, devido a "diferenças musicais".

Imagem de capa do item

Jovens Vingadores

Pouco tempo depois, America voltou a viajar pelo Multiverso, até encontrar o jovem Kid Loki em uma de suas viagens pela Terra-212. Lá, o deus da trapaça sugeriu que ela matasse o Jovem Vingador Wiccano, pois ele logo traria a parasita interdimensional Mãe para a Terra-616, pondo em risco a segurança do universo.

America, enojada com a proposta de Loki, partiu para a Terra-616 novamente e resolveu se tornar uma "segurança" de Wiccano, secretamente. Nessa época, ela se juntou aos Jovens Vingadores, onde fez amizade com a Gaviã Arqueira e ajudou a equipe a deter a Mãe.

Imagem de capa do item

Protetora do Demiurgo

Porém, há um motivo muito importante pelo qual America resolveu proteger o herói Wiccano. O mago mutante acabaria se tornando o Demiurgo e criando, num futuro distante, o universo de onde surgiu a heroína. Além disso, America o via como um ídolo e um herói por onde se espelhar.

Ao salvá-lo e lidar com sua humanidade, America se decepcionou com seu criador, ao ver que ele não era perfeito. Ainda assim, ela nunca deixou de protegê-lo, embora jamais tivesse revelado a ninguém os motivos para fazê-lo.

Imagem de capa do item

Guerras Secretas

America continuou com os Jovens Vingadores, até que as ameaças das Incursões começaram e logo a Terra-616 se chocou com a Terra-1610. O Doutor Destino criou seu próprio mundo, juntando pedaços de outras Terras destruídas no Multiverso e criou o Mundo Bélico onde aconteceria a versão mais recente das Guerras Secretas.

Nesse mundo, America fazia parte da Força-V, uma equipe de heroínas, até ser traída por Loki e enviada ao Escudo, uma grande muralha que dividia o Mundo Bélico. Lá, ela conheceu uma nova versão de Kate Bishop, a Gaviã Arqueira e lutou valentemente contra zumbis, Ultrons e as hordas do Aniquilador.

Imagem de capa do item

Os Supremos

Após a reconstrução do Multiverso, America Chavez retornou ao Universo-616 - aparentemente sem memórias de seu período no Mundo Bélico. Agora que os Jovens Vingadores haviam se separado, ela se juntou aos Supremos, um grupo de heróis que desejava impedir ameaças cósmicas.

Nessa época, ela ajudou a repelir invasões e brechas multidimensionais, e também foi responsável pelo plano que transformou Galactus, que passou a ser uma entidade reconstrutora de planetas, em vez do Devorador de Mundos.

Imagem de capa do item

Guerra Civil II

Durante a Guerra Civil II, America encontrou-se em uma delicada situação. Por mais que a Capitã Marvel fosse uma de suas melhores amigas e colega nos Supremos, ela viveu em terras suficientes que provavam que os métodos de Carol eram falhos.

Por conta disso, ela chegou a ajudar a Capitã e seu grupo algumas vezes. No entanto, após a morte do Hulk, resolveu se rebelar, confrontando Carol ideologicamente, embora mantendo-se neutra no conflito de forma geral.

Imagem de capa do item

Relações e personalidade

Embora seja vista como estressada e pavio curto, America Chavez possui uma personalidade muito forte e uma moral muito linear. Ela jamais deixa de seguir sua ética, o que por vezes a põe contra alguns amigos e aliados.

Quanto a relacionamentos, ela se declara lésbica (apesar de ter tido um breve caso com o Nulificador Total). Atualmente, ela namora à distância uma moça chamada Lisa, mas nutre um grande amor por Kate Bishop, algo que já chegou a dizer para a versão alternativa da heroína no Mundo Bélico.

Imagem de capa do item

Poderes

Graças aos poderes absorvidos na realidade mágica do Paralelo Utópico, America possui a habilidade de voar, além de super-força, agilidade e reflexos acerelados, e invulnerabilidade física, se tornando uma das heroínas mais duronas e "tanques" da editora atualmente.

Além disso, outra importante habilidade da personagem é a capacidade de viajar pelo Multiverso. Para isso, ela canaliza energia diretamente para seus pés, abrindo portais com chutes que servem de pontes entre diferentes universos.

Imagem de capa do item

Única no Multiverso

Uma curiosidade importante sobre America é que, por ter nascido no Paralelo Utópico do Demiurgo, a heroína não possui outras versões ao longo do Multiverso. Isso significa que ela é única em toda a existência, sem versões alternativas.

Uma prova disso foram as Guerras Secretas. Enquanto o Mundo Bélico era todo habitado por versões alternativas dos personagens da Marvel, America era a mesma que já vimos antes, por ser única ao longo de todo o Multiverso.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux