Capa da Publicação

10 coisas que queremos ver na série do Falcão e do Soldado Invernal!

Por Gus Fiaux

A Disney e a Marvel Studios estão se preparando para uma jogada de mestre, agora que estão sendo planejadas várias séries dos heróis e vilões do Universo Cinematográfico da Marvel para o streaming do estúdio. E, no meio disso, o Falcão e o Soldado Invernal também ganharão sua série!

Com Bucky Barnes e Sam Wilson sendo dois personagens muito queridos pelos fãs, a dupla merece um grande destaque e uma história formidável. Com isso em mente, listamos 10 coisas que queremos ver na série do Falcão e do Soldado Invernal!

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Uma trama a la 007

O Soldado Invernal e o Falcão, nos quadrinhos, sempre tiveram tramas mais contidas. Com exceção da vez em que Bucky Barnes foi um "guardião espacial" e Sam Wilson se tornou um lobisomem, os dois sempre enfrentaram o crime e o terrorismo de uma forma muito mundana.

A série poderia aproveitar e explorar isso em um núcleo com menos poderes e mais habilidades. Uma possibilidade seria fazer algo voltado para a ação e a espionagem, quase como um filme de 007, mas dentro do Universo Cinematográfico da Marvel.

Imagem de capa do item

Policial bom, policial mau

O que é muito interessante sobre esses dois no cinema é a química e a boa interação entre Anthony Mackie (que interpreta o Falcão) e Sebastian Stan (o nosso Soldado Invernal). Juntos, eles sabem se divertir e conseguem encarnar fielmente em seus personagens, principalmente quando os dois interagem.

Pensando nisso, a série bem que poderia acabar adotando o modelo de um buddy cop movie - sabe aqueles filmes, igual Bad Boys e MiB, onde vemos uma dupla de policiais/agentes da lei agindo juntos? Exatamente isso, mas dessa vez com Sam Wilson e Bucky Barnes.

Imagem de capa do item

S.H.I.E.L.D. na surdina

Voltando para o primeiro item, se a espionagem estiver, de alguma forma, inserida na trama, é preciso que a S.H.I.E.L.D. também esteja. Há um bom tempo que a organização não ganha espaço nos filmes, mas ela poderia retornar com seu núcleo "central" para a série da dupla.

Aqui, veríamos a facção que restou aliada a Nick Fury, e como ela poderia ajudar - ou quem sabe, atrapalhar - a missão do Falcão e do Soldado Invernal. Outra possibilidade seria conectar isso com o "outro lado" da organização, que é representado em Agentes da S.H.I.E.L.D.

Imagem de capa do item

Retornos aguardados

E já que estamos falando de S.H.I.E.L.D., a série bem que poderia trazer algumas participações das quais nós ainda sentimos falta. Adoraríamos ver Sharon Carter, lutando ferozmente como a Agente 13, e talvez auxiliando diretamente os dois heróis.

Outra personagem que também poderia marcar presença é Maria Hill, que parece estar em foco nos cinemas, já tendo sido confirmada em Homem-Aranha: Longe de Casa. E se pudermos sonhar alto, também gostaríamos de ver a Harpia de Agentes da S.H.I.E.L.D..

Imagem de capa do item

Vilões de peso

Verdade seja dita, o Falcão e o Soldado Invernal nunca tiveram vilões muito marcantes nos quadrinhos. Boa parte dos inimigos clássicos dos heróis são, por afinidade, inimigos do Capitão América. E com sorte, a Marvel vai fazer uma boa peneirada nessa galeria de ameaças.

Temos a possibilidade de trabalhar com vários personagens da mitologia do Sentinela da Liberdade. Uma possibilidade seria explorar Pecado - a filha do Caveira Vermelha, que na série poderia ter alguma origem levemente diferente - ou a Sociedade da Serpente.

Imagem de capa do item

Um passado infernal

O Soldado Invernal é um dos personagens mais complexos do Universo Cinematográfico da Marvel - e não é para menos, depois de ter comido o pão que o diabo amassou. Por mais que Bucky Barnes agora esteja livre do controle da HIDRA, seu passado ainda o assombra.

A série pode tratar um pouco mais dessas questões referentes à carreira soviética do personagem. Uma possibilidade seria explorar algum dos casos passados do Soldado Invernal, mostrando como suas ações - ainda que manipuladas - ainda repercutem no presente.

Imagem de capa do item

Mais profundidade

Se o Soldado Invernal teve até uma boa exploração nos cinemas, o mesmo infelizmente não pode ser dito sobre o Falcão. Ele foi apresentado de uma forma bem digna, mas suas participações em Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita são no máximo pontas.

Aqui, no entanto, ele possui a chance de ser bem mais desenvolvido, de forma que o público conheça todas as facetas possíveis de Sam Wilson - desde o herói cômico, que nunca perde a piada, ao homem sério e justo que fará de tudo para defender os seus ideais.

Imagem de capa do item

Defensor social

Já que estamos falando da profundidade de Sam Wilson, não podemos esquecer um de seus traços mais marcantes, que é a luta em prol de oprimidos. Nos quadrinhos, ele soube reconhecer seu background social e foi criticado por alguns por ser o "Capitão América das minorias".

No entanto, isso é justamente o que o torna tão diferente de Steve Rogers ou de Bucky Barnes. Nos cinemas, já vimos que ele está inserido nesse universo, participando de grupos de apoio a veteranos de guerra - e seria bem interessante que a série explorasse melhor esse lado do herói.

Imagem de capa do item

Brigas ideológicas - e físicas

Conforme já vimos anteriormente em O Soldado Invernal e Guerra Civil, os dois heróis possuem uma certa rivalidade, que muito tem a ver com o fato deles terem começado como "inimigos", uma vez que Bucky Barnes estava sofrendo manipulação mental por parte da HIDRA.

Ainda assim, eles possuem histórias e passados que, ainda que sejam muito parecidos, também são muito diferentes. Em determinado momento, seria legal vê-los discutindo por alguma postura ideológica - ou até mesmo partindo para o confronto físico, e usando o melhor de suas habilidades.

Imagem de capa do item

O legado do Capitão América

Antes de mais nada, a série precisa reconhecer que os dois personagens são intimamente ligados ao Capitão América - de forma que tanto Sam quanto Bucky assumiram o manto do Sentinela da Liberdade nas HQs. Aqui, queremos ver o impacto que Steve Rogers (ou sua ausência) deixará na vida dos dois.

A série precisa lidar diretamente com como os dois foram extremamente inspirados ao Capitão América e aos seus ideais. No fim, poderíamos ter até um easter-egg - ou quem sabe, uma pista para o futuro - definindo qual deles assumiria o lugar de Rogers.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux