Capa da Publicação

SPY x Family: As diferenças entre episódio 3 e o mangá

Por Flávia Pedro

Atenção: Alerta de Spoilers!

Animes, em sua grande maioria, são adaptações de obras originais conhecidas como mangás. Geralmente eles apresentam essas histórias criadas por mangakás de uma forma mais fluída devido a animação e, para isso, às vezes é necessário que cenas extras ou algumas mudanças sejam inseridas à obra.

SPY x Family, o novo sucesso da temporada de primavera seguiu por esse caminho… Mas quais foram essas cenas extras e por quê elas foram feitas nesse terceiro episódio?

O anime SPY x Family tem seguido uma ordem de adaptação de episódios que corresponde à quantidade de capítulos, ou seja: cada episódio animado adaptou exatamente 1 capítulo da obra de Tatsuya Endo. Isso nos levou até o episódio 3, e, no mangá, a família Forger (formada por Loid, Yor e Anya) se reúne como membros pela primeira vez.

No mangá essa mudança de rotina e aproximação entre eles se dá de uma forma mais brusca, mas o anime conseguiu deixar esse processo de formação familiar bem mais natural e fluída, graças as cenas extras e super fofinhas envolvendo os Forger. O primeiro exemplo é a chegada de Yor até à casa de Loid e Anya.

No mangá — como você pode ver abaixo — ela já aparece dentro da casa de seu novo marido, organizando suas coisas e perguntando sobre onde irão dormir. Já o anime se preocupou em tornar a chegada da nova “mamãe” algo importante para a história. Na adaptação Yor aparece na calçada com suas caixas de mudança e Loid está lá para recepcioná-la, sendo bem prestativo e gentil.

Chegada de Yor a casa dos Forger, ela já dentro da casa sem nenhuma recepção

Cena extra do momento em que Yor chega à casa dos Forger no anime, com Loid indo recebê-la e ajudar com suas caixas de mudança

Além disso, um momento muito fofo foi 100% adicionado ao anime: uma tour pela casa onde Anya apresenta à sua nova mamãe diversos cômodos como a cozinha, banheiro, o quarto de Loid e o seu próprio quarto. Além de apresentar o Sr. Quimera – seu ursinho de pelúcia – para Yor.

Também tivemos as cenas inéditas onde Anya aparece tentando ajudar Loid a limpar a casa e a fazer biscoitos para receber a Yor, mas a garotinha acaba se atrapalhando toda e não ajudando tanto quanto queria. No mangá até vemos um momento em que ela ajuda seu papai a arrumar a casa, mas de forma bem resumida e sem o alívio cômico que o anime soube aproveitar muito bem.

Anya ajudando Loid com a limpeza da casa para receber Yor

Cena extra do anime onde Anya acaba tropeçando e espalhando água por todo o cômodo da casa

Momentos sutis como a cena onde Anya pede para segurar a mão de Yor na rua ou quando a garotinha está no museu também sofreram pequenas alterações. A primeira, no mangá Anya se assusta com um pensamento de Yor e apenas corre, mas no anime vemos a garotinha se escondendo. Na segunda, Loid faz uma observação pedindo para que a Anya falasse baixo no museu antes da cena em que ela grita.

Mas a cena final talvez tenha sido a que carregava maior significado, apesar de bem simples e sutil. No mangá, o último quadro conta apenas com a xícara de café do Loid e seus pensamentos de que ao menos 1% de sua missão estava completa, afinal “uma senhora comum os viu como uma família adorável“. No anime a cena final conta com os 3 pires da família, ao invés de apenas o do espião.

Final do capítulo 3 do mangá, onde a xícara de Loid aparece sozinha com seus pensamentos

A cena extra que mostra os mesmos pensamentos de Loid que o mangá, mas dessa vez mostrando os pires de todos os membros da família

Mas por que essas mudanças envolvendo cenas da família Forger foram feitas? Bem, se trata de um anime onde uma família inesperada está se formando, mesmo que a partir de interesses individuais. Mesmo por motivos egoístas, aos poucos passa a ser uma relação genuína de afeto e cuidado. Cenas extras onde eles aparecem interagindo de forma tão confortável são importantes para essa construção.

O público precisa começar a enxergar os Forger como uma família porque essa é a premissa central da obra. Mesmo que o mangá desenvolvesse essa relação já de uma forma satisfatória, a adaptação para anime também tem uma liberdade para estreitar esses laços entre a família com momentos novos e, consequentemente, entre os telespectadores também.

Foi uma decisão muito inteligente, tanto pelo tempo de tela que cada episódio deve ter (sem essas cenas ele seria inferior à média de tempo exibida nos episódios anteriores), mas também nos mostrou como apesar das aflições do espião, eles estão indo muito bem e se tornando uma das famílias mais queridas dos animes!

Você tem assistido SPY x Family? Também tem acompanhado o mangá? Notou mais alguma diferença entre a adaptação e a obra original? Tem gostado do trabalho que os estúdios Wit e Cloverworks tem feito com a animação? Divide tudo com a gente nos comentários!

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Flávia Pedro

Historiadora formada pela UFF e apaixonada por cultura japonesa, animes, mangás, filmes... Criadora de conteúdo no instagram Anime Dicria, viciada em café e leitora de fanfics ruins nas horas vagas. Instagram: fllavia_pedro