Capa da Publicação

Review: Ms. Marvel 1×01 – Geração “Por quê?”

Por Leo Gravena

Assim como qualquer fã da Ms. Marvel nos quadrinhos, estava com vários e vários pés atrás em relação à nova série da Marvel Studios para o Disney+. Seja pela recente decepção causada por Cavaleiro da Lua ou a troca de poderes de Kamala, que por si só traz várias problemáticas, estava pronto para a frustração e sofrimento. Talvez justamente por esperar o pior, o primeiro episódio de Ms. Marvel conseguiu superar todas as expectativas.

Ms. Marvel não é uma série inovadora e diferente que irá mudar o gênero ou tentar replicar o sucesso de outros grandes títulos que fizeram um sucesso estrondoso no passado – pelo menos não nesse começo. A questão mais importante é que em nenhum momento a série tenta ser isso, muito pelo contrário, ela sabe que é uma série divertida e gostosa de se assistir e não tenta em nenhum momento ser mais do que isso.

Dessa forma, ao tentar não ser pretensiosamente complicada ou diferente, Ms. Marvel entrega exatamente o que o espectador espera ao assistir uma série sobre Kamala Khan: uma história focada em amizade, família e descobrir a si mesma enquanto lida com a descoberta de seus novos poderes. É uma trama adorável e cheia de charme, com personagens interessantes e um ótimo roteiro. Mas entre os vários acertos de Ms. Marvel, é impossível não citar justamente a protagonista Iman Vellani e a belíssima fotografia e direção de arte da série.

Amizade de Kamala Khan (Iman Vellani) com Bruno (Matt Lintz) é um dos pontos altos do episódio

Iman Vellani parece ter sido criada especificamente para interpretar Kamala Khan. Como a heroína, Vellani é jovem, relacionável e possui o carisma que vários atores trabalhando em grandes filmes atualmente sonham em ter. Ela apresenta uma Kamala que é a personificação de todas as melhores partes da personagem dos quadrinhos e se prova uma excelente atriz em todos os momentos, seja os cômicos ou mais dramáticos.

Outro grande destaque fica para a dinâmica familiar da série, todos os problemas de Kamala com seus pais superprotetores e que esperam bastante dela certamente vai afetar e fazer com que os espectadores se identifiquem, ainda mais porque fica claro que Kamala é apenas uma adolescente normal, ela não é perfeita e a cena em que ela discute com os pais, ou mais tarde ouvindo o sermão de sua mãe, trazem um ar muito diferente de todas as outras produções da Marvel.

E aqui, uma contradição. Poucas linhas atrás disse que Ms. Marvel não era uma série inovadora – e ela definitivamente não é para qualquer um que já assistiu algo da ABC Family/Freeform; mas quando inserida no Universo Cinematográfico da Marvel, a série é, acima de tudo, completamente original. Pela primeira vez estamos vendo uma heroína verdadeiramente adolescente, com problemas normais e reais lidando com a descoberta de seus poderes e aprendendo a ser heroína, aprendendo que “bem não é algo que você é, é algo que você faz”.

Iman Vellani tem talento e carisma de sobra como Ms. Marvel

A originalidade de Ms. Marvel é ainda mais sentida na fotografia e direção de arte. Diferente de tantos outros filmes e séries do MCU, essa produção é cheia de cor, movimentos de câmera inspirados e locais abarrotados de objetos. Adil El Arbi e Bilall Fallah mostram como é possível dirigir uma produção da Marvel sem usar um visual genérico e sem graça, sem falar que as breves cenas de ação são bem divertidas de se assistir.

Outro destaque do episódio fica com Bruno Carrelli, interpretado por Matt Lintz o personagem é o melhor amigo de Kamala que nos quadrinhos a ajuda em suas aventuras heroicas. Além de ser bem fiel ao material original, Lintz é tão carismático no papel quanto Vellani e certamente vai se tornar um favorito dos espectadores até o fim da temporada.

Ancestralidade de Kamala deve ser abordada na série após heroína ganhar os poderes de um bracelete que é uma herança de família.

Mas mesmo tendo um ótimo primeiro episódio, é inegável que a série acaba perdendo muito ao alterar os poderes da Ms. Marvel. Fazer com que as habilidades da garota venham de um bracelete mágico por si só já é ruim, mas quando a série ainda deixa a entender que isso provavelmente será ligado a uma trama de ancestralidade, algo que recentemente foi feito em Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis e Kung-Fu, só parece uma desculpa preguiçosa para não pensar em uma trama melhor para alterar os poderes da heroína e vender mais brinquedos.

É necessário esperar os próximos episódios para saber como essa trama irá evoluir, mas pode muito bem ser o que afunde Ms. Marvel, ainda assim, pelo menos nesse início quando as origens dos poderes ainda não foram revelados, tudo está indo muito bem. Resta-nos apenas esperar que os próximos episódios continuem trazendo uma história instigante e uma direção inspirada para a história de Kamala Khan, afinal, Iman Vellani já provou que pode cativar o público com pouquíssimo esforço.

O primeiro episódio de Ms. Marvel já está disponível no Disney+. Novos episódios serão adicionados às quartas.

Confira também:

Imagem de perfil
Leo Gravena

Editor | Ele/Dele | @LeoGravena
Escrevo sobre cultura geek na internet desde 2012
"Don't look back -- the past is exactly where it belongs."