Capa da Publicação

Qual a origem do Jato Invisível da Mulher-Maravilha?

Por Arthur Eloi

A maior heroína da DC Comics, a Mulher-Maravilha tem mais de 80 anos de história nos quadrinhos com diversas origens e vilões, mas alguns elementos fixos em todo esse tempo. Mas, entre todos os equipamentos que Diana sempre usa recorrentemente, seu Jato Invisível é um que levanta muitas questões – especialmente quanto a própria heroína consegue voar. Como então ele surgiu?

Como o próprio site oficial da DC explica, acontece que nem sempre a Mulher-Maravilha conseguia voar. Durante as décadas iniciais dos quadrinhos, poucos heróis realmente voavam, portanto a Amazona precisava de um meio de transporte próprio. O Jato Invisível, que estreou nas HQs junto com sua dona, resolvia essa questão, além de permitir que Diana levasse passageiros (como Steve Trevor) e também entrasse novamente em Themyscira, graças às tecnologias especiais da máquina.

Ao ritmo que os quadrinhos foram amadurecendo, a DC passou a justificar a origem do Jato Invisível. Em algumas histórias, a máquina foi presente de Afrodite, enquanto em outras foi criada pela própria Diana Prince que, vale lembrar, também é uma brilhante engenheira além uma poderosa guerreira.

Já na década de 60, na Era de Prata das HQs, Diana já meio que voava – no caso, planava com auxílio de correntes de ar -, e o Jato Invisível ganhou uma origem ainda mais ousada. Nessa fase, a máquina nada mais era do que uma outra fórmula do cavalo mitológico Pegasus, capaz de se disfarçar no mundo moderno e ficar invisível.

Nas HQs da DC, o Jato Invisível da Mulher-Maravilha já foi até Pegasus em outra forma

Essa versão do Jato Invisível perdurou por alguns anos, até o eventual reboot de 1985 causado pela Crise nas Infinitas Terras. Depois disso, a Mulher-Maravilha ganhou poderes de voo, e a máquina passou alguns bons anos fora das páginas. Ela só foi dar as caras invisíveis novamente em 1996, durante uma fase escrita por John Byrne, que contextualizou o Jato Invisível como sendo, na verdade, feito a partir de um cristal alienígena capaz de tomar a forma de tudo.

Curiosamente, essa origem bizarra foi válida de 98 até 2004, e nesse tempo o cristal até deixou a forma de jato para se tornar uma verdadeira fortaleza invisível flutuante, como um quartel-general móvel para a heroína. Depois disso, o Jato Invisível só voltaria com os Novos 52, onde ganhou justificativa mais realista como um avião militar de ponta, com tecnologias furtivas.

No mais recente reboot nas páginas da DC Comics, concretizado em 2016, o Jato Invisível nada mais é que o avião comum de Steve Trevor que caiu em Themyscira, e que ganha suas características translúcidas por conta da magia das Amazonas. Essa justificativa, inclusive, foi a mesma utilizada pela diretora Patty Jenkins em Mulher-Maravilha 1984 (2021).

De criação da própria Mulher-Maravilha à cristal alienígena, Jato Invisível teve muitas origens diferentes nas HQs

Qual a sua origem favorita do Jato Invisível? Deixe nos comentários abaixo, e aproveite para conferir:

Imagem de perfil
Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117