Capa da Publicação

Marvel sugere que raça alienígena popular dos quadrinhos é a próxima evolução da humanidade

Por Gus Fiaux

Universo Marvel sempre carrega diversas surpresas nos quadrinhos, já que ao longo dos anos tivemos dezenas e dezenas de rebootsretcons, reviravoltas e segredos revelados. E agora, em uma nova HQ da editora, temos várias revelações que podem indicar que o futuro da humanidade não são os mutantes, mas sim os Klyntar!

Caso você não reconheça de nome, Klyntar é o nome “oficial” para designar a raça dos simbiontes – a mesma que deu origem a personagens como VenomCarnificina Grito. Durante anos, eles eram considerados apenas uma raça muito poderosa, mas nos últimos anos ganharam muita importância nas HQs graças a sagas como Carnificina Absoluta Rei das Trevas.

Em Carnage #4 (via ScreenRant), de Ram V e Francesco Manna, descobrimos que Cletus Kasady, o humano que durante anos foi hospedeiro do Carnificina, está morto. Ainda assim, um detetive particular busca encontrá-lo e resolver mistérios ligados ao seu simbionte. Quando esse detetive é ferido mortalmente, o simbionte alienígena do Carnificina aparece para “ajudar”, e aí descobrimos que parte da consciência de Cletus vive nele.

“Eu conheço o Carnificina. Eu sei como o simbionte pensa porque ele pensa igual a mim. Mas o verdadeiro Cletus Kasady… ele não iria apagar as chamas do mundo se ele tivesse queimando. Ele iria derramar gasolina e fazer um churrasco.”

Com isso, temos uma revelação assustadora sobre os simbiontes. Já sabíamos que eles formavam um elo duradouro com seus hospedeiros, mas agora temos a confirmação que parte da consciência dos humanos pode ficar “impressa” no Klyntar.

Pense da seguinte forma: se um humano morre, sua consciência pode continuar viva por anos e anos em uma gosma alienígena. Dessa forma, eles acabam representando o próximo estágio da natureza humana, um estágio que desafia totalmente os limites de vida e morte.

Claro, ainda não sabemos se o Carnificina é o único dos simbiontes capaz de fazer isso – e vale lembrar que Knull, o Deus dos Simbiontes, fez diversas modificações no simbionte para que ele servisse aos seus propósitos. Talvez isso explique como Cletus Kasady continua “vivo”, mesmo depois de morto.

Carnage #4 está à venda nas bancas norte-americanas, sem previsão de publicação no Brasil.

Abaixo, confira também:

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux