Capa da Publicação

Lightyear: Disney apoiou casal lésbico do filme mas quis censurar beijo, afirma produtora

Por Gus Fiaux

Neste mês, tivemos o lançamento de Lightyear, um spin-off da franquia Toy Story que serve como “o filme que deu origem ao boneco do Buzz Lightyear”. Mas mesmo com tanta coisa para ser dissecada sobre o longa, nada chama mais a atenção do que a história de bastidores envolvendo censura de personagens LGBTQIA+ pela Disney.

Galyn Susman, uma das produtoras de Lightyear, conversou com a Mercury News sobre toda a polêmica ligada ao filme, já que a Disney decidiu trazer de volta um beijo lésbico para o corte final, que havia sido cortado anteriormente. O motivo da restauração da cena se deu por conta de uma revolta dos animadores dos filmes do estúdio, que expuseram a constante censura contra temas e personagens não-heterossexuais.

De acordo com Susman, a Disney chegou a apoiar a inclusão do casal lésbico, composto por Alisha Hawthorne (a personagem tem vozes de Uzo Aduba) e sua esposa. Para o estúdio, a inclusão até aprofundava a trama do próprio Buzz, que precisava lidar com sua solidão. Porém, eles não foram tão amistosos quanto à cena de beijo…

“Eles apoiaram muito toda a ideia. Mas houve uma rejeição bem definitiva ao beijo. […] Mas tivemos a oportunidade de colocar [a cena] de volta no filme, e foi bem animador.”

A cena pode ter sido restaurada, mas a Disney continua sendo motivo de desconfiança por parte do público LGBT+. Toda a polêmica envolvendo censuras dentro do estúdio surgiu pouco depois da notícia de que a empresa teria doado muito dinheiro para a aprovação da lei “Don’t Say Gay” na Florida, que basicamente proíbe que assuntos ligados à sexualidade sejam discutidos em escolas.

Para piorar, o CEO do estúdio, Bob Chapek, passou um bom tempo se recusando a comentar o assunto, o que teria gerado um grande incômodo dentro do estúdio, especialmente com trabalhadores LGBTQIA+. Em 9 de março, surgiu o grande volume de denúncias a respeito de censura interna da Disney, em uma carta aberta de funcionários da Pixar dizendo que o estúdio havia censurado “todos os momentos de afeto LGBT” em seus filmes.

Lightyear está em cartaz nos cinemas.

Abaixo, confira também:

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux