Capa da Publicação

Quem é o japonês que jogou anos no São Paulo e inspirou o anime Super Campeões?

Por Junno Sena

Com referências ao Brasil e uma dublagem icônica, Super Campeões conquistou o público brasileiro. Mas, antes de Oliver Tsubasa desbravar o futebol na série de anime e mangá, Musashi Mizushima brilhou no time São Paulo como meio-capista entre as décadas de 1980 e 1990.

Atualmente, Mizushima está aposentado, mas sua importância para o futebol nipônico foi tanta que após retornar ao Japão, o jogador se tornou treinador da Universidade Kyushu, uma das mais importantes do Japão.

Assim como Oliver, Mizushima chegou ao Brasil quando ainda era um pré-adolescente, cultivando a esperança de se tornar um jogador profissional que, na época, era uma modalidade vista como amadora no Japão.

O jogador se matriculou na escolinha de futebol de São Paulo em 1975 e passou por todos os times de base. Sua carreira profissional o levou ao São Paulo, como também por São Bento, Portuguesa e Santos, antes de voltar para o Japão e ser um dos fundadores da J League, liga profissional japonesa de futebol criada em 1992.

Mesmo que sua passagem pelo Brasil tenha sido pouco expressiva, Mizushima se tornou um exemplo para o Japão. Tanto que em 1981, apenas alguns anos depois de Musashi chegar ao brasil, o mangaká Yoichi Takahashi começaria a publicar Captain Tsubasa, Super Campeões no Brasil.

Mizushima ao lado de Oliver Tsubasa.

Patrocinada pela Associação Japonesa de Futebol, Super Campeões foi um sucesso instantâneo no país, ajudando a melhorar a imagem e reputação da Seleção Japonesa de Futebol. A história segue Oliver Tsubasa, capitão do time, e seus desafios e aventuras.

O anime marcou uma geração por seu futebol dinâmico, trazendo passes de bola conhecidos, mas com a pitada de fantasia do gênero shonen.

Aproveite e continue lendo:

Imagem de perfil
Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ. Ele | Elu