Evangelion: Qual a ordem certa para assistir ao anime?

Capa da Publicação

Evangelion: Qual a ordem certa para assistir ao anime?

Por Junno Sena

Com 26 episódios, 6 filmes, 14 volumes do mangá e spin-offs, não é difícil se perder na cronologia de Neon Genesis Evangelion. De testes experimentais por falta de orçamento até o bom e velho “remake”, o trabalho de Hideaki Anno tem diversas elaborações filosóficas, mas também inícios, meios e fins distintos. Pensando nisso, separamos aqui, seis formas para quem quer entrar na cabeça confusa de Anno, mas não sabe por onde.

Como começar a assistir Evangelion?

Ordem cronológica

Imagens do anime Neon Genesis Evangelion

“Começar pelo começo” parece a forma mais simples de dar início a história de Shinji Ikari. Mas, não é assim tão simples. Isso porque o anime exibido pela TV Tokyo não teve um início tão popular como faz parecer. Por ser um anime de mecha (abreviatura de “mechanical”, se referindo a robôs gigantes), Evangelion se inseriu no gosto popular rapidamente, mas o enredo aprofundado e a falta de material promocional, como brinquedos, não manteve a popularidade.

A produção conseguiu se manter até uma mudança de horário, que resultou no título de anime mais popular de 1995. Mesmo assim, cortes nas verbas fizeram com que a história precisasse ser resumida e alguns episódios ficassem vivos apenas na cabeça de Hideaki, pelo menos por um tempo. Por isso, os episódios 25 e 26 do anime são tão confusos e abstratos. Com a falta de apoio do estúdio, o criador precisou encontrar uma alternativa para finalizar sua história.

O final confuso e o amplo universo do anime foi um sucesso e um filme concluindo a história foi anunciado. Mas antes disso, investiram na ideia de um filme resumo, o Neon Genesis Evangelion: Death & Rebirth. Em parte para arrecadar dinheiro para continuar a produção de End of Evangelion, mas também pelo filme ter demorado mais que o previsto para ser concluído. Desta forma, a cronologia do anime segue esta linha:

  • Neon Genesis Evangelion: Episódios 1-26
  • Neon Genesis Evangelion: Death & Rebirth
  • The End of Evangelion (O Final de Evangelion: Ar/Meu Coração Puro por Você)

Ordem Death(True)

A capa emblemática de The End of Evangelion

Porém, seguir essa lógica significa rever algumas cenas emblemáticas do anime. Mesmo que Death & Rebirth seja uma nova produção, ainda é a mesma história dos episódios 1 ao 24. Por isso, é possível seguir o anime e terminar a história com The End of Evangelion ou, se não tiver tempo, resumir a maratona em:

  • Neon Genesis Evangelion: Death & Rebirth
  • The End of Evangelion

Essa ordem abrevia a história de Shinji Ikari, mas promete trazer os principais pontos para que o espectador não fique perdido. Nessa escolha, há mais perdas que ganhos. Por exemplo, os episódios finais e emblemáticos do anime não foram incluídos nos filmes. E mesmo que pareçam confusos, eles se referem à luta interna de Shinji enquanto ocorre a invasão da NERV e o Terceiro Impacto retratados no filme. 

Ordem Rebuild

Uma das artes promocionais do final de Rebuild

Entre relançamentos, reboots e revivals, Neon Genesis Evangelion ganhou, pelo menos, mais duas versões. Algumas com cenas adicionais, como o revival de 1998, outros com uma qualidade de imagem superior, como a remasterização de 2003. Mas o que pode causar confusão é a série Rebuild.

Novamente, encontramos o mesmo Shinji Ikari reencontrando o pai, que lhe pede para entrar no robô gigante. Com uma qualidade visual melhor que a do anime, vamos seguindo boa parte da história do anime, mas com pequenas alterações na primeira e segunda parte da quadrologia. Dessa forma, é possível ignorar todos os trabalhos anteriores da franquia e seguir desta maneira:

  • Rebuild of Evangelion: 1.11 You Are (Not) Alone
  • Rebuild of Evangelion: 2.22 You Can (Not) Advance
  • Rebuild of Evangelion 3.0: You Can (Not) Redo
  • Evangelion: 3.0 + 1.0 Thrice Upon a Time

Ao final dessa jornada, compreende-se boa parte do enredo de Neon Genesis Evangelion, mas com uma obra completamente nova. Mesmo com referências, ganchos e ligações com a série original, Rebuild é uma boa porta de entrada para Evangelion.

Ordem definitiva

Nessa ordem, você pode conferir todo o material de Hideaki Anno

Porém, para os maratonistas, a melhor forma de assistir tudo é seguir o lançamento e, se quiser, ignorar Death & Rebirth:

  • Neon Genesis Evangelion: Episódios 1-24
  • Neon Genesis Evangelion: Episódios 25 e 26 que ocorrem durante The End of Evangelion
  • The End of Evangelion (O Final de Evangelion: Ar/Meu Coração Puro por Você)
  • Rebuild of Evangelion: 1.11 You Are (Not) Alone
  • Rebuild of Evangelion: 2.22 You Can (Not) Advance
  • Rebuild of Evangelion 3.0: You Can (Not) Redo
  • Evangelion: 3.0 + 1.0 Thrice Upon a Time

Mangá

Arte do mangá de Neon Genesis Evangelion

Para os curiosos e aficionados, ler o mangá de Neon Genesis Evangelion pode se tornar mais uma experiência nova. O anime foi reproduzido na forma de mangá, porém, escrito e ilustrado por Yoshiyuki Sadamoto. Com início da publicação em 1994 e finalizado em 2013, diversos plots foram adicionados ou modificados. Inclusive, sendo o melhor lugar para compreender melhor o personagem Kaworu.

Angelic Days

Imagem do mangá Angelic Days

O sucesso de Neon Genesis Evangelion o levou a se tornar uma grande parte da cultura japonesa. Por isso, outras produções foram sendo criadas com o tempo, dando novos rumos para a história. Esse é o caso de Neon Genesis Evangelion: Angelic Days. Ao invés do tom sombrio do anime e mangá original, Fumino Hayashi toma a liberdade de colocar os personagens em um mundo alternativo, visto no episódio 26, onde Shinji, Asuka e Rei vivem uma comédia romântica.

É esse extenso e curioso universo de Evangelion que possibilita abrir brechas para essas criações. Além de Angelic Days, é possível encontrar “variantes” desses personagens em Shinji Ikari Raising Project, Campus Apocalypse e Petit Eva: Evangelion@School

Com esse ponto final, o que se pode fazer é conferir alguns curtas em 3D de Neon Genesis Evangelion, como It Can (Not) Be True, feito pelo artista chinês Somei Sun. Confira abaixo:

O vídeo não está mais disponível.

Aproveite e continue lendo: