Capa da Publicação

Doutor Estranho 2: Como surgiu o multiverso nos quadrinhos de super-heróis?

Por Melissa de Viveiros

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura promete continuar a jornada multiversal do MCU iniciada por obras como Loki Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa. O conceito de multiverso, porém, não é novidade nos quadrinhos, onde vem sendo explorado há décadas. Mas você sabe como as realidades alternativas começaram a surgir nas HQs?

O primeiro caso de uma história de super-heróis envolvendo viagem entre realidades alternativas ocorreu em Wonder Woman #59, de 1953, de acordo com o ComicBook. Na trama, a amazona da DC acaba se encontrando com uma versão quase idêntica de si mesma, mas que vinha de uma realidade onde o mundo era governado por um de seus vilões, o Duque Dazam.

Parte da capa de Wonder Woman #59.

Anos depois, em 1956, a DC começou a introduzir novas versões de seus antigos heróis, além de personagens completamente novos assumindo mantos anteriormente ocupados por outros, em uma tentativa de revitalizar as histórias da editora. O público, no entanto, lamentou a perda de alguns personagens da Era de Ouro que haviam sido apagados, o que levou ao surgimento de uma nova interação entre realidades alternativas.

Isso ocorreu apenas em 1961, com a HQ do Flash que colocou Jay Garrick e Barry Allen cara a cara. Os dois personagens ocuparam o manto de Flash durante a Era de Ouro e a Era de Prata, e não haviam se encontrado nas histórias antes. Assim, a justificativa apresentada para a situação foi de que Barry acreditava que Jay era um personagem fictício, e foi só quando eles atingiam a frequência de vibração certa que seus universos puderam interagir.

Já por parte da Marvel, os universos alternativos começaram a aparecer um ano depois, em 1962. O primeiro herói da editora a visitar uma outra realidade foi Johnny Storm, o Tocha-Humana, que na HQ Strange Tales #103 visitou a Quinta Dimensão.

Tocha Humana acabou na Quinta Dimensão em Strange Tales #103.

Ao mesmo tempo, a DC começou a se aprofundar cada vez mais na ideia após o sucesso de sua história do Flash. Como consequência, heróis da Sociedade da Justiça da América passaram a se encontrar em crossovers com a Liga da Justiça da América todo ano, e seus universos receberam as designações de Terra-2 Terra-1, respectivamente.

A editora continuou expandindo a ideia a partir disso, incluindo mais mundos alternativos em suas histórias. Além disso, alguns desenvolvimentos consideráveis começaram a ocorrer nesses crossovers, como a Canário Negro da Terra-2 deixando seu universo original após a morte de seu marido, e passando para a Terra-1.

Ainda na década de 60, o Doutor Estranho interagiu com o multiverso pela primeira vez ao enfrentar Dormammu na Dimensão Negra em Strange Tales #126. O Quarteto Fantástico também se envolveu em problemas relacionados a dimensões alternativas, eventualmente buscando viajar pelo multiverso e acabando na Zona Negativa, em Fantastic Four Annual #6, de 1968.

O termo “multiverso” só foi introduzido de fato nas histórias da Marvel na década de 70, com o lançamento da série What If…?. Os primeiros volumes da HQ, cujo foco são realidades alternativas, foram os primeiros a citar a palavra diretamente. Já na década de 80, os universos da Marvel começaram a receber suas icônicas designações, com o mundo principal sendo chamado de “Terra-616” na HQ Daredevils #7, de 1983.

A partir disso, ambas as editoras exploraram o conceito de modos cada vez mais ambiciosos. Enquanto do lado da DC eventos como Crise nas Infinitas Terras celebrava o legado das múltiplas histórias e personagens criados pela editora, a Marvel também desenvolveu suas próprias tramas dependentes da existência de vários universos, como as Guerras Secretas. O multiverso também acabou sendo usado pra justificar mudanças e reboots de ambos os lados, com os Novos 52 e o Universo Ultimate, por exemplo.

Guerras Secretas é um dos eventos da Marvel que lida com o Multiverso.

Recentemente, o conceito chegou também às produções live-action baseadas tanto na DC, quanto na Marvel. As séries do Arrowverso adaptaram certos elementos das Crises dos quadrinhos da DC, e o filme The Flash promete mergulhar na ideia da realidade alternativa apresentada na HQ Flashpoint.

Por sua vez, a Marvel trouxe o multiverso para o MCU em ambos filmes e séries. Loki foi a única produção do Disney+ a lidar com as realidades alternativas até agora. Ainda assim, produções como Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa e Doutor Estranho no Multiverso da Loucura indicam que a jornada por diversos universos nos live-actions do estúdio está apenas começando.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Editora. Graduanda em Letras na UFMG. Elfa noturna em Azeroth, Au'Ra em Eorzea, apoiadora da Casa Martell em Westeros, LoLzeira noxiana e grisha etherealki. Fã de coisas demais e sempre hiperfocada em algo diferente. || @windrunning_