Capa da Publicação

A Órfã: Entenda a história por trás do crime real que inspirou o filme

Por Gus Fiaux

Lançado em 2009, A Órfã se tornou um grande sucesso entre os fãs de suspense e horror. No filme, acompanhamos a história de Esther, uma menina órfã de nove anos que é adotada por um casal, Kate e John Coleman, que estão lidando com a morte prematura de seu terceiro filho. Inicialmente, Esther parece ser divertida e carinhosa, mas aos poucos conhecemos seu lado sombrio.

No fim — e há um grande spoiler aqui caso você ainda não tenha visto o filme e nem saiba sua trama –, descobrimos que Esther é, na verdade, uma mulher adulta de trinta e três anos, que sofre com uma condição genética rara que, por sua vez, afeta a hipófise. E mais do que isso: Esther se revela uma assassina cruel com planos macabros. Mas você sabia que o filme é baseado em um caso real?

Terror no cinema: A Órfã

A Órfã foi o terceiro longa-metragem do diretor espanhol Jaume Collett-Serra, que na época ficou conhecido por seu trabalho em A Casa de Cera, de 2003. Escrito por David Leslie Johnson, o filme centra na história de Kate e John Coleman, duas pessoas tranquilas e normais, que vivem em uma casa com seus dois filhos, Max Daniel. Após sua terceira filha ter nascido natimorta, o casal inicia o processo para adotar uma jovem russa, Esther.

Inicialmente, a chegada de Esther provoca mudanças grandes na dinâmica familiar. Embora introspectiva, a garota parece ser gentil e carinhosa, o que faz com que ela imediatamente conquiste a confiança de Kate, John e Max. Só Daniel, o filho mais velho do casal, parece estranhar a irmã adotiva e isso logo começa a refletir nas consequências sombrias que vêm quando Esther se prova uma terrível assassina.

Diagnosticada com hipopituitarismo, ela tem problemas hormonais e “estacionou” seu crescimento como se fosse uma menina de nove anos, mas na verdade é uma mulher adulta com trinta e três anos de idade. Esther começa a ficar obcecada com John e sonha em casar-se com ele, eliminando Kate e as crianças da equação e assim, vemos a menina cada vez mais assustadora e estranha, criando problemas para a família e ameaçando a segurança de todos em sua casa.

Vale lembrar que o filme terá uma prequel, intitulado Orphan: First Kill (em tradução literal, A Órfã: Primeiro Assassinato), que vai contar mais sobre as origens de Esther. No longa, ela será novamente vivida por Isabelle Fuhrman, atriz que agora tem vinte e cinco anos. O filme será dirigido por William Brent Bell (de Boneco do Mal) e trará em seu elenco nomes como Julia Stiles Rossif Sutherland.

O crime real: A história de Barbora Skrlová

Quando David Leslie Johnson escreveu o roteiro para o filme, a inspiração mais forte foi uma história surreal que recebeu ampla cobertura em 2007, envolvendo Barbora Skrlová. Como revela o ScreenRant em um detalhado artigo sobre o filme e o caso real, Barbora costumava morar na República Tcheca, onde passou a viver com duas irmãs, Klara Katerina Mauerova, bem como os filhos de Klara, Ondrej e Jakub.

Barbora se aproveitou dos distúrbios psicológicos de Klara e começou a manipular a dinâmica familiar. Primeiro, ela incriminava Ondrej e Jakub de quebrarem coisas e desrespeitarem as regras da casa. Depois, ela passou a influenciar as irmãs para que conduzissem castigos cada vez mais severos contra os meninos. Eventualmente, vizinhos notaram as situações de maus-tratos e chamaram a polícia, que apareceu e prendeu Klara e Katerina em flagrante.

Porém, Skrlová conseguiu fugir e passou um bom tempo desaparecida. Ela só foi descoberta meses depois, morando na Noruega, quando tomou o lugar de um menino desaparecido, Adam. Se passando por um garoto de treze anos, Barbora na época tinha trinta e três, e a polícia local suspeita que o casal que a acolheu — os pais do verdadeiro Adam — na verdade estivessem acobertando os crimes de Barbora e ajudando-a a fugir.

A mulher tinha severos distúrbios psiquiátricos, incluindo uma tendência à agressividade e à violência. Ela também possuía problemas de desenvolvimento em suas glândulas, o que fazia com que parecesse uma adolescente. Quando foi pega na Noruega, ela foi extraditada para a República Tcheca, onde foi julgada junto com as Irmãs Mauerova. Inicialmente, Barbora pegou 5 anos de prisão por seus crimes, mas hoje vive em um hospital psiquiátrico na cidade de Praga.

Consequências e repercussões: O caso Natalia Grace

Apesar de ter se inspirado em um caso real, A Órfã também causou consequências sinistras na cultura pop. O caso mais evidente disso começou em 2010, um ano após o lançamento do filme, quando o casal composto por Kristine e Michael Barnett adotaram a jovem Natalia Grace, uma menina com nanismo que tinha nascido na Ucrânia. Na época da adoção, Natalia tinha seis anos e morava nos Estados Unidos há cerca de dois anos.

Em pouco tempo, Kristine começou a ter problemas com Natalia. Em testemunhos posteriores, ela disse que a garota costumava ameaçar ela e sua família e espioná-los à noite. Kristine acusa Natalia de, certa vez, ter colocado alvejante em seu café da manhã. Eventualmente, a mulher começou a suspeitar que a sua filha adotiva era adulta, devido à sua falta de interesse por brinquedos e vocabulário rebuscado.

Eis que, em 2012, quando Natalia tinha cerca de oito anos, Kristine e Michael decidiram mudar a data registrada na certidão de nascimento da garota, alegando que ela tinha 22 anos. No ano seguinte, eles alugaram um apartamento e a colocaram para morar sozinha ali, enquanto se mudaram para o Canadá. Meses depois, os dois foram intimados a depor quando Natalia reportou às autoridades que tinha sido abandonada pelo casal.

O caso continua um mistério até hoje. Natalia Grace se tornou uma figura popular e já deu diversas entrevistas e declarações oficiais. Michael Barnett chegou a dizer posteriormente que sempre soube que a filha adotiva era uma criança, mas que sua (agora ex) esposa convenceu todos de que esse não era o caso. Kristine Barnett se mantém fiel à sua versão dos fatos, dizendo que Natalia era uma golpista e que tinha planos sórdidos. Em entrevista, Kristine já inclusive disse a seguinte frase: “Aconteceu exatamente como no filme ‘A Órfã’.

Fontes: ScreenRant, G1 e Aventuras na História

Orphan: First Kill, o prequel de A Órfã, já foi anunciado, mas ainda não há uma data de estreia definida.

Abaixo, confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux