Venom Tempo de Carnificina: Andy Serkis explica por que não usou captura de movimento para o filme

Capa da Publicação

Venom Tempo de Carnificina: Andy Serkis explica por que não usou captura de movimento para o filme

Por Evandro Lira

O diretor de Venom: Tempo de Carnificina, Andy Serkis, explicou o motivo por trás de sua escolha em não usar captura de movimento no filme do universo do Homem-Aranha.

O artista é amplamente conhecido por dar vida a alguns dos personagens de captura de movimento mais famosos do cinema, como Golum em O Senhor dos Anéis, César de Planeta dos Macacos e Snoke de Star Wars. Com uma carreira tão bem sucedida na área, era de se esperar que ele optasse por usar a tecnologia na sequência de Venom. No entanto, não foi o que aconteceu e ele explica a razão.

Segundo Serkis, era importante que Tom Hardy usasse sua imaginação na hora de interpretar Eddie Brock conversando com o simbionte. Sendo assim, eles decidiram usar apenas computação gráfica para colocar Venom em cena:

“Passei boa parte da minha vida interpretando um personagem com dois lados de sua personalidade. Eu sabia que este filme seria como libertar Tom para ele imaginar a presença de Venom. Nós sabíamos que não seria útil para ele atuar com uma figura vestida com um traje esquisito, porque Venom é um simbionte, que sai dele. Queríamos dar a Tom a liberdade em seu processo, para que ele atue da forma que ele quiser.”

Andy Serkis e Tom Hardy no set de Venom 2

Apesar disso, Serkis ainda fez uso de captura de movimento no início da produção, especialmente para criar a fisicalidade do personagem de Woody Harrelson, Carnificina.

“Ao contrário de Venom, Carnificina não precisava ser necessariamente bípede; ele pode mover seus tentáculos de maneiras diferentes”, diz Serkis. “Trabalhei com muitos dançarinos no estúdio para encontrar maneiras interessantes de mover aquele personagem – como se estivéssemos pegando a energia de Venom e a deslocando e nos movendo de maneiras realmente interessantes, mais psicologicamente direcionadas e distorcidas. Foi ótimo ter a oportunidade de trabalhar com a captura de movimento para formar uma base, para encontrar um vocabulário físico para a forma como seria o Carnificina.”

Venom: Tempo de Carnificina estreia no dia 1 de outubro nos Estados Unidos. No Brasil, o filme está marcado para chegar aos cinemas no dia 7 do mesmo mês.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Editor, bacharel em Cinema e Audiovisual, bruxo nascido trouxa, filho dos filhos do átomo, mestre dos quatro elementos, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira