Silent Hill: Todos os jogos da franquia em ordem cronológica

Capa da Publicação

Silent Hill: Todos os jogos da franquia em ordem cronológica

Por Leo Gravena

Uma das franquias de jogos mais aclamadas no mundo dos games, Silent Hill possui uma grande base de fãs, porém muitos acabam não sabendo, exatamente, qual a ordem dos jogos, quando eles foram lançados e se eles realmente possuem uma conexão entre todas essas histórias.

Dessa forma, para o especial de Halloween da LH, listamos os jogos por sua ordem de lançamento e cronologia, dando destaque para os primeiros e principais jogos, criados pela Team Silent. Além de trazer algumas conexões entre as diferentes histórias, que podem ser encontradas nos títulos

Confira todos os principais jogos abaixo:

Silent Hill (1999)

O primeiro jogo da franquia, desenvolvido pela Equipe Silent e publicado pela Konami, Silent Hill é considerado um dos jogos de terror psicológico e sobrevivência mais aclamados de todos os tempos.

Na história acompanhamos Harry Mason, que procura por sua filha na misteriosa cidade de Silent Hill. Na trama, ele se depara com um culto que está tentando trazer uma divindade poderosa à vida e também descobre as origens de sua filha, Cheryl.

O jogo traz uma história cheia de reviravoltas e personagens marcantes como a policial Cybil Bennett e a cultista e vilã Dahlia Gillespie. O destaque fica por conta da jovem Alessa, que marcou vários jogadores como uma figura assustadora e misteriosa dentro da trama. O game também inovou por trazer vários finais diferentes, dependendo das ações tomadas pelo jogador durante a história.

Mesmo sendo figuras importantes, a trama de Harry Mason e Cheryl, só volta a ter destaque em Silent Hill 3.

Silent Hill 2 (2001)

O segundo jogo da franquia segue um novo personagem chamado James Sunderland, que chega em Silent Hill após receber uma carta de sua esposa Mary, que havia morrido pouco tempo atrás, dizendo que ela o esperava na cidade.

O título explora novas partes de Silent Hill, enquanto acompanha James em uma jornada sombria e cheia de monstros. É nele que conhecemos o Pyramid Head, ou “Cabeça de Pirâmide”, que acabou se tornando um dos maiores símbolos da franquia.

O jogo também possui vários finais diferentes, mas nenhum deles é considerado “o real”. A maior parte dos fãs acredita que o final In Water seja o canônico, já que é utilizado na novelização do título e citado em outros momentos da franquia.

A atmosfera do jogo é bem semelhante à do primeiro, porém mais focado no aspecto do terror psicológico, como a carta de Mary que vai desaparecendo aos poucos. Outro fator importante é que Silent Hill 2 se afasta mais da Ordem e dos temas de ocultismo e religião, dando bem menos focos para esses temas que os outros jogos da franquia.

Mesmo não trazendo os mesmos personagens, o jogo cita a Velha Silent Hill, um bloco de anotações parecido com o de Harry aparece, além de citarem o Parque de Diversões de Lakeside.

Silent Hill 3 (2003)

Uma sequência direta do primeiro jogo, Silent Hill 3 segue a jovem Heather Mason que acaba se encontrando no meio de um grande conflito em Silent Hill enquanto descobre mais sobre seu passado e sua verdadeira origem.

O jogo começa fora de Silent Hill e acompanhamos Heather conforme ela luta contra monstros em versões sombrias de um shopping, um metrô e um prédio em construção. Por fim, ela chega em sua casa, apenas para encontrar seu pai morto. É aí que a jornada da garota começa, com ela indo para Silent Hill junto de Douglas Cartland, um investigador particular, em busca de vingança.

O game serve como uma conclusão para a trama envolvendo Deus e o Culto presentes no primeiro jogo, já que se passa 17 anos após o final do primeiro game. Ainda assim, ele faz várias referências à Silent Hill 2, como em um momento em que Douglas diz ter investigado o desaparecimento de um homem na cidade, que muitos acreditam ser James Sunderland.

Silent Hill 4: The Room (2004)

O quarto título da franquia Silent Hill segue um novo personagem, Henry Townshend, um homem aparentemente comum que se encontra preso dentro de seu apartamento. Conforme coisas estranhas começam a acontecer no prédio, Henry passa por mundos diferentes enquanto precisa enfrentar um Serial Killer chamado Walter Sullivan, que havia se matado alguns anos atrás.

Originalmente o jogo seria um derivado da franquia, mas acabou sendo “transferido” para a franquia principal. Ele também é o último game no qual a Equipe Silent trabalhou e traz várias ligações com outros jogos de Silent Hill, como a participação do pai de James Sunderland.

O vilão do jogo, Walter Sullivan, também é mencionado em Silent Hill 2, aparecendo em um recorte de jornal. Já Joseph Schreiber, o antigo morador do apartamento de Henry, é mencionado em Silent Hill 3, tendo escrito uma reportagem sobre um orfanato governado pela Ordem.

O jogo faz também outras referências à títulos anteriores, com notas e um quadro da enfermeira de Mary e um brinquedo do Robbie the Rabbit aparecendo.

Outros jogos:

Silent Hill: Origins, que mostra os eventos na cidade anos antes do primeiro jogo, também é conhecido como “Silent Hill: Zero” no Japão

Após Silent Hill 4: The Room, a equipe de criadores que trabalhou nos jogos não produziu os novos títulos, com cada um indo trabalhar em jogos diferentes. Para dar continuidade à história principal de Silent Hill, a Konami, que queria um “tom diferente para a franquia”, chamou outros criadores.

Eles conseguiram manter a trama bastante interessante e os novos jogos levaram a cidade para mais locais diversos e diferentes, porém muitos fãs dos jogos originais não gostam muito desses títulos.

Outros jogos da franquia principal foram:

Silent Hill: Origins (2007)

Desenvolvido pela Climax Studios e publicado pela Konami, o jogo serve como um prelúdio do primeiro título da franquia, se passando sete anos antes dos eventos de Silent Hill. Aqui acompanhamos Travis Grady, um caminhoneiro que acaba preso na cidade e se envolve com o Culto após tentar salvar Alessa.

O jogo originalmente foi lançado para o PSP e trouxe uma história bem mais simples e direta em relação aos outros games da franquia Silent Hill, o que não agradou a todos os fãs.

Silent Hill: Homecoming (2008)

O sexto jogo da série Silent Hill foi desenvolvido pela Double Helix Games e segue Alex Shepherd, um jovem que retorna para sua cidade natal após ser dispensado do serviço militar e ter passado um tempo no hospital.

Ao chegar em casa, contudo, ele descobre que seu pai e irmão estão desaparecidos e sua mãe está depressiva e em um estado catatonico. Ao buscar seu irmão, ele acaba descobrindo os segredos de sua família e presenciando eventos assustadores na cidade vizinha, Silent Hill.

Silent Hill: Shattered Memories (2009)

Desenvolvido pela Climax Studios, o sétimo jogo da franquia Silent Hill é uma reimaginação do primeiro jogo, que reconta a história de Harry Mason em busca de sua filha, Cheryl.

Na trama, o jogador precisa andar pela cidade e encontrar todas as memórias do personagem dos eventos que ocorreram na franquia, enquanto ainda precisa fazer uma sessão de terapia que faz um “perfil psiquiátrico” do jogador e altera o local, acontecimentos e o final do game.

Silent Hill: Downpour (2012)

O oitavo e último título da franquia principal, Silent Hill: Downpour foi desenvolvido pela Vatra Games e publicado pela Konami. O jogo não dá seguimento às histórias dos outros games e se passa na região sudeste de Silent Hill, que não havia sido mostrada até então.

Na trama, o jogador controla Murphy Pendleton, um presidiário que conseguiu escapar e acaba parando em Silent Hill, ali ele deve confrontar os fantasmas de seu passado, além de vários monstros.

A ordem cronológica

Dessa forma, caso você queira jogar Silent Hill pela ordem cronológica, basta seguir a ordem de lançamento – com exceção de Originsquase todos os jogos se passam na ordem em que foram lançados.

O maior mistério é Downpour, o último jogo lançado oficialmente da franquia; sabemos que devido aos elementos apresentados na trama, ele se passa depois de 2004, mas a data exata é desconhecida.

Mais especificamente, a ordem cronológica é:

  1.  Silent Hill: Origins (2007) – Se passa em 1976
  2.  Silent Hill (1999) – Se passa por volta de 1983
  3.  Silent Hill 2 (2001) – Se passa em 1993 segundo Silent Hill: Homecoming
  4.  Silent Hill 3 (2003) – Se passa em 2000
  5.  Silent Hill 4: The Room (2004) – Se passa por volta de 2001
  6.  Silent Hill: Downpour (2012) – Se passa após 2004, mas sem uma data definida
  7.  Silent Hill: Homecoming (2008) – Se passa em 2007
  8.  Silent Hill: Shattered Memories (2009) – Se passa em 2008

Cena de Silent Hill HD Collection, que traz uma remasterização de Silent Hill 2 e 3.

Então agora você já sabe e pode ir atrás de jogar Silent Hill, seja na ordem de lançamento dos jogos ou da cronologia da história. O mais importante é se divertir e se assustar com uma das melhores franquias de terror criadas para os video games.

Aproveite e confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor | @LeoGravena
Escrevo sobre cultura geek na internet desde 2012
"Don't look back -- the past is exactly where it belongs."