Capa da Publicação

Round 6: Como sobreviver ao jogo?

Por Gabriel Mattos

Do momento em que nascemos, começamos a morrer. E muitos aproveitam a finitude da existência para viver como se não houvesse amanhã — gastando um dinheiro que não tem e acumulando uma dívida cada vez mais difícil de pagar. Nessas horas, um estranho narigudo pode te oferecer uma saída simples, um jogo inocente que vai te pagar uma bolada. Você aceitaria fazer parte do jogo de Round 6, a série coreana da Netflix?

Quem achou que eu estava falando de alguma gincana do Luciano Hulk provavelmente nunca ouviu falar do estrondoso sucesso da plataforma de streaming. Nesta série, um grupo de pessoas endividadas, por diferentes motivos, aceita participar de seis jogos que podem render um prêmio de milhões para o vencedor. Entretanto, o preço da eliminação é a morte.

Se esta for a sua única saída para mudar de vida, calma que nem tudo está perdido. As probabilidades estão contra você, claro, mas estamos aqui para te ajudar. Temos uma estratégia vencedora para você sair vitorioso. Só prepare-se para sujar as mãos quando for necessário. Pronto para descobrir como sobreviver aos jogos de Round 6?

#0 – Ddakji

Jogo de origami de Round 6

O primeiro jogo serve apenas para te dar um gostinho de como é bom ganhar. Afinal, você terá chances praticamente infinitas de revanche, contanto que aceite levar um tapa na cara. Para evitar uma humilhação desnecessária, entretanto, você pode simplesmente aprender com os jogadores coreanos profissionais de Ddakji que levam essa brincadeira a sério.

Neste jogo de usar um origami para virar completamente a peça de seu adversário, o segredo é apostar no lado mais plano. Pode parecer intuitivo jogar os lados pontudos, para tentar enganchar ou algo do tipo, mas é a pior estratégia. Afinal, ao jogar o lado plano você consegue transmitir o momentum, a energia acumulada, de seu origami para o alvo, aumentando a chance de virá-los.

#1 – Batatinha Frita 1,2,3

Se ela ver… é morte na certa

Seu rosto pode estar um pouco corado, mas você conseguiu entrar na competição. O primeiro desafio é uma partida de Batatinha Frita 1,2,3… As regras são simples: só pode se mover enquanto a garotinha robô cantarola a música do jogo. Ao terminar, ela vira para inspecionar qualquer sinal de movimento. Caso encontre, aquele jogador é alvejado com tiros.

E ninguém aqui quer ser alvejado, eu suponho. Então é melhor entender direitinho do que se trata este jogo. Existem duas chaves para a vitória: tempo e estabilidade. Com apenas cinco minutos para concluir a prova, é importante aproveitar todas as oportunidades para se movimentar. Para fazer isso da maneira mais segura possível, o melhor é apostar em passadas longas sem abrir mão da estabilidade.

Se você não encontrar imprevistos, isto deve ser o suficiente para vencer, mas é claro que existem truques para aumentar suas chances. O primeiro é usado na própria série: esconda-se atrás de alguém como escudo humano. Desta forma, você consegue mascarar pequenos movimentos e se proteger de pelo menos um equívoco. Mas tente manter uma distância segura de outros jogadores, para não ser agarrado de propósito.

É bom perceber que olhar para a boneca é um desperdício, afinal, você só precisa ouvi-la. Seus sentidos são recursos valiosos para sobreviver, então use-os com cautela. O melhor é focar sua visão em possíveis obstáculos para evitar tropeçar ou se envolver em qualquer outro acidente.

#2 – Biscoito de colmeia

Para tudo tem um jeito

Se você tem dificuldade em manter suas mãos estáveis mesmo que seja para um curto filtro de TikTok, eu tenho péssimas notícias… O segundo jogo te desafia a separar a forma de um biscoitinho de açúcar, o Dalgona.

Esta é uma tradicional mistura coreana, de açúcar e bicarbonato de sódio, que é um sucesso entre as crianças. A reação química libera bastante gás carbônico que resulta em uma estrutura extremamente quebradiça ao biscoito. É como uma colmeia que qualquer peça tirada fora da hora pode destruir tudo de uma vez.

Mesmo sem saber nada sobre o desafio, há duas dicas para aumentar suas chances de se dar bem. Antes de escolher a forma, tente encontrar visualmente alguém confiante com sua decisão, alguma pessoa disposta a confiar sua vida em geometria. No final, ou esta pessoa era louca, ou acabou lembrando de ter visto Dalgona em algum lugar.

Se ninguém parecer muito aliviado, é sempre uma boa estratégia formar um grupo. Nesta altura, é fato que muita gente vai sobreviver. Trabalhar em equipe não apenas garante que você tenha mais aliados nos desafios que ainda estão por vir, mas vocês podem pensar juntos em um jeito de resolver a tarefa adiante.

Molhar o biscoito em qualquer tipo de líquido é a solução mais simples para as formas difíceis, mas com paciência, pode ser tranquilo separar os formatos básicos. Nem se o tempo estiver acabando é recomendado correr. Mais pessoas morrem por impaciência do que por tentarem fazer as coisas com calma. Relaxe e boa sorte.

#3 – Cabo de Guerra

Vale tudo para ganhar

Lembra que eu falei para manter seus aliados vivos? Espero que tenha escutado, pois você já vai precisar deles. O próximo desafio é Cabo de Guerra: uma competição que depende mais de força e estratégia. Duas equipes puxam as extremidades da corda no alto de um desfiladeiro. A equipe que se desequilibra e cai acaba morrendo.

Para começar na vantagem, escolha os aliados mais fortes fisicamente, mas tenha certeza que eles conseguem trabalhar bem em grupo. Desavenças podem ser o fim em um jogo de equilíbrio e harmonia.

Se o seu adversário demonstrar a mesma força que seu time ou uma força maior, seu plano precisa incorporar formas de quebrar seu ritmo. Soltar um pouco da corda quando eles fizerem mais esforço, pode pegar os inimigos desprevenidos, assim como um grito repentino, um puxão fora de ritmo ou uma combinação de tudo isso. Só cuidado para não dar uma vantagem ao adversário sem querer.

Não hesite em jogar sujo para ganhar e fique atento aos arredores para encontrar detalhes que podem te dar uma vantagem. Grades podem dar um apoio melhor para o pé, sapatos podem ser jogados nos seus adversários e sua corda pode ser amarrada em estruturas fixas dando sopa. Se ninguém falou que não pode, é porque você deve fazer!

Formas de usar a força de mais partes do corpo também são bem vindas. Depender só dos seus braços é um pensamento muito limitado. Apoiar os braços nas pernas traz estabilidade e jogar seu peso para trás usa a gravidade a seu favor. Mas a melhor forma de usar seu potencial máximo é prendendo a corda embaixo de um dos seus braços, usando o outro para estabilidade e correndo em direção ao lado seguro.

#4 – Bolinhas de gude

Sagacidade é metade do desafio

A vitória na próxima etapa só depende de você! Não, é sério… O quarto jogo envolve bolinhas de gude e você só precisa pegar as 10 esferas de sua dupla. Como você cria as regras da partida, que só não pode envolver violência, você pode enganar seu adversário a escolher um jogo que parece justo mas que vai sempre terminar na sua vitória.

Em um jogo de par ou ímpar, onde o adversário tem que adivinhar a natureza da quantidade de bolinhas em sua mão, é fácil tirar bolinhas sem ser percebido. Só precisa causar a distração certa. Outro jeito mais garantido é convencer o adversário a jogar “nim”, um jogo que cada um só pode tirar duas ou uma bolinha de um monte. Se quem começar decidir retirar duas bolebas, a vitória é inevitável.

A partir daí, basta tirar sempre o número oposto a seu adversário que invariavelmente você conquista todas as bolinhas. Porém, para não perder tempo, se sua dupla for inocente, você pode propor qualquer coisa e simplesmente pedir para cada um contar as bolebas do adversário. O pretexto é fazer um jogo limpo, mas você não entrega o seu antes de receber o monte inimigo. Quando isso acontecer, apenas anuncie a vitória e sobreviva mais um dia.

Violência é proibida, então mesmo que você passe a perna no adversário, ele não poderá revidar fisicamente. Afinal, se você sobreviver, quer dizer que ele morreu. E se ele morreu, não tem como ele se vingar. O crime perfeito.

#5 – Painéis de Cristal

Usar o cenário traz grande vantagem

Sim, ele chegou… Aquele que é o mais temido de todas as edições do Round 6… Os Painéis de Cristal!

O quinto desafio exige que os competidores atravessem uma ponte de placas de vidros de materiais diferentes para chegar ao outro lado em segurança. Alguns painéis são mais frágeis e vão quebrar com o peso de uma pessoa. Outros são fortes o suficiente para sustentar o peso de dois competidores de uma só vez.

Se você tiver o luxo de não ser o primeiro, comece observando bem os seus adversário e gravando o caminho caso eles não caiam de primeira. Morrer por bobeira a essa altura é sacanagem…

A próxima dica é usar qualquer coisa a seu alcance para tentar testar a resistência dos próximos painéis. De preferência, quebrando no processo. O importante é tentar variar um pouco sua tática para que os organizadores não pensem em um jeito de combatê-la por pura birra.

Algumas sugestões incluem levar alguns sapatos consigo, bolinhas de gude do desafio anterior, empurrar um competidor que esteja na sua frente… Note também que, ao longo da ponte, existem lâmpadas presas para iluminar seu caminho. Desenrosque ou solte algumas e terá mais munição para testar.

#6 – Jogo da Lula

No fim, é cada um por si

Bem, depois de sobreviver a tudo isso, você ganha uma faca para enfrentar o Jogo da Lula. Menos político do que pode parecer, é uma brincadeira infantil coreana com regras muito específicas. Mas na real, você não precisa saber de nada disso para ganhar: agora você tem uma arma, então é melhor usá-la.

Para ter mais chances em uma luta de facas, enrole seu casaco no braço se tiver chance. Use o seu escudo improvisado para absorver os danos da faquinha de bife do adversário e contra ataque com golpes rápidos sempre que for seguro. Se você souber qualquer arte marcial, agora seria um bom momento de colocá-la em prática.

Esta é a batalha final até a morte. Apenas um pode vencer e é melhor você usar todas as armas à sua disposição para ganhar. O cenário não vai ajudar, não tem nenhum atalho, só uma batalha em que o mais digno emergirá vitorioso. Se este é você, parabéns, você finalmente está rico.

Agora, mesmo depois de sobreviver a tudo isso e ganhar o grande prêmio, você ainda precisaria sobreviver ao maior jogo de todos: o capitalismo. E para este, infelizmente, não há vencedores.

Fonte: Cinema Summary

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Editor, repórter correspondente de Wakanda, caçando Pokémon por onde eu vou! Sempre nas lives da Legião! • @gabeverse