Review: Scarlet Nexus é o futuro dos jogos de anime

Capa da Publicação

Review: Scarlet Nexus é o futuro dos jogos de anime

Por Gabriel Mattos

Scarlet Nexus é o novo jogo da Bandai Namco — distribuidora conhecida por levar as maiores histórias dos animes, como Dragon Ball Z e Naruto, para o mundo dos games. Dessa vez, ela resolveu aplicar a experiência que adquiriu com suas adaptações para entregar uma história original feita para conquistar os fãs de animes.

Para descobrir se a Bandai atingiu seu objetivo, a Legião jogou o título no PlayStation 4 para te contar o que esperar. Então aumente o som e escute esse opening porque o anime vai começar!

Ficha Técnica

Lançamento: 24 de junho

 

Estúdio: BANDAI NAMCO Studios, Tose

 

Distribuidora: BANDAI NAMCO

 

Plataformas: PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox Series X|S, Xbox One e PC

 

Gênero: JRPG, Hack and Slash e Aventura

 

Modos: Single-player (duas campanhas)

Heróis do fim do mundo

Visual ajuda a vender as mecânicas de anime

Scarlet Nexus é absolutamente comprometido a entregar uma experiência equivalente aos animes e, por esta razão, assume o desafio árduo de equilibrar uma história complexa e introspectiva com batalhas espalhafatosas e explosivas. Para tal, a Bandai escolheu o melhor caminho: abraçar elementos de gêneros renomados por esses dois pilares.

Mesclando a estrutura de JRPGs e Visual Novels, o enredo bebe da fonte da ficção científica para costurar uma trama que combina super heróis, viagens no tempo e dramas familiares. Tudo se conecta organicamente de uma maneira surpreendente e não fica tão confuso de entender, muito graças ao carisma dos protagonistas.

Os acontecimentos são contados a partir de dois pontos de vista distintos — sob o olhar de Yuito Sumeragi, um garoto otimista e inocente herdeiro de um grande império; e Kasane Randall, uma garota fria e prática que faz de tudo para proteger a irmã. Ambos tem sua própria história que se conecta em diversos momentos e culmina em um grand finale. Mas no início, você escolhe apenas um para jogar e sobreviver a um mundo hostil.

Reviravoltas e alianças quebradas mudam o ritmo da história a todo o momento

O universo de Scarlet Nexus é desolado, abandonado, morto. Monstros interdimensionais espreitam a cada esquina e seu protagonista faz parte de uma força tarefa de super-heróis para enfrentá-los. Independente de quem escolha, sua habilidade será a telecinese e aprender a incorporá-la em combate é a chave para a vitória.

Reflexos de platina

As batalhas seguem um caminho diferente do que costumamos encontrar em hack’n’slash. As batalhas frenéticas contra grupos de inimigos com combos devastadores, como visto em Bayonetta e God of War, está presente. Mas você não precisa decorar uma tabela de comandos para ser incrível, basta saber a hora certa de reagir.

Como em Astral Chain, o segredo para se dar bem em combate é aprender a hora certa de reagir, seja para usar ataques telecinéticos devastadores, desviar no último instante ou ativar os poderes de seus amigos. Conforme você desbloqueia novas opções de combate na árvore de habilidades, as batalhas ficam cada vez mais complexas e estratégicas. Assim, novos jogadores não se sobrecarregam com o sistema, mas o game não precisa sacrificar profundidade.

Reflexos e atenção são determinantes para matar as Criaturas

Ativar os poderes de seus amigos é crítico para ir bem em combate e adiciona diversas camadas ao jogo. Testar e aprender as melhores combinações de poderes é muito divertido, mas também é preciso gerenciar o momento certo para ativá-los. Isto sem falar nos benefícios da história.

Quanto mais você investe nas relações com os amigos, mais úteis em combate eles se tornarão. Atrelar relacionamentos ao sistema de batalha foi uma jogada de mestre para motivar os jogadores mais competitivos a desacelerar, respirar e criar laços honestos com cada personagem. E todo o elenco de suporte tem muito a oferecer, com passados profundos e motivações bem convincentes.

Anime ao máximo!

Esses poderes só acabam sendo desperdiçados na hora da exploração. Os mapas de Scarlet Nexus, apesar de impactantes, não passam de uma série de corredores que te levam de uma batalha à outra. Poucos locais quebram essa sensação e há pouca variedade na exploração.

Poderes podem virar uma batalha

Os poderes são raramente usados para acessar novos locais. O que é uma pena, pois teleportar para atravessar portas trancadas ou ficar invisível para evitar câmeras de segurança são as partes mais empolgantes de algumas fases.

A lista de semelhanças com Astral Chain é extensa — os irmãos protagonistas, a história com monstros de outra dimensão, o combate reativo e etc — mas apesar de conseguir igualar ou superar os feitos de seu antecessor em diversos âmbitos, Scarlet Nexus derrapa quando a questão é sidequests.

Elas simplesmente são introduzidas muito tarde, não apresentam objetivos interessantes e falham em providenciar atividades para entreter os jogadores entre fases. Essa função acaba recaindo para o sistema de presentes, bem similar ao visto em Fire Emblem: Three Houses, que culmina em encontros onde conhecemos melhor o elenco de personagens.

Todo elenco é cativante, se você der uma chance

Felizmente a trama principal é muito competente e as missões secundárias acabam fazendo pouca falta. As reviravoltas são surreais e é difícil saber em quem confiar, prendendo sempre a atenção do jogador em cada segmento. É tão imersivo que é difícil largar o jogo! Clichês típicos de animes surgem para apimentar o ritmo do jogo e resultam em momentos marcantes, como os embates entre os protagonistas.

Quando a história acabou, ainda estava empolgado e nada disposto a deixar os personagens que demorei tanto a me apegar. Por sorte, há a chance de jogar com o segundo personagem em um New Game+, que transporta todo seu progresso de níveis para a nova aventura. Assim, continuar e descobrir o outro lado da história é muito menos custoso, mas igualmente empolgante.

A única grande ressalva que tenho é quanto à performance no PlayStation 4. O game parece ter sido otimizado apenas para a nova geração e, apesar de não ter motivos aparentes para isso, sofre para rodar na geração atual. O PlayStation 4 se esforçava tanto que parecia uma turbina em muitos momentos e os carregamentos demoravam, mas nada que atrapalhasse a jogabilidade.

Nota

Scarlet Nexus é uma experiência equilibrada para quem gosta de ação, mas não abre mão de uma boa história. Seu combate prende a respiração e os personagens, mesmo os mais irritantes, tem um passado tão bem construído que justifica qualquer atitude.

Ele consegue alcançar uma sensação análoga à de um anime, usando as melhores ferramentas disponíveis do seu meio, sem esquecer nem por um segundo que é um jogo. Sem dúvida o melhor jogo que eu tive a chance de jogar este ano. Se você se interessa por animes ou combates ágeis e estratégicos, vale a pena comprar! Fez por merecer uma nota 9/10.

Antes de ir, fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Editor, repórter correspondente de Wakanda, caçando Pokémon por onde eu vou! Sempre nas lives da Legião! • @gabeverse