Capa da Publicação

Invencível: Uma série animada para quem gostou de The Boys

Por Cristiano Rantin

Na última semana, recebi em nome da Legião dos Heróis os três primeiros episódios de Invincible, a série animada da Amazon Prime Video que adapta os quadrinhos de mesmo nome. Direcionada a um público adulto, o projeto promete agradar os fãs de histórias mais pesadas e que, de certa forma, apresentam uma visão mais realista sobre o mundo heroico.

Sobre o que é Invincible?

Invincible, nova série da Amazon Prime Video, é uma adaptação dos quadrinhos de Robert Kirkman

Escrita por Robert Kirkman (The Walking Dead), a HQ gira em torno de Mark Grayson, um rapaz de 17 anos que é filho do Omni-Man, o super-herói mais poderoso do planeta. Na trama acompanhamos os primeiros passos heroicos do protagonista, que finalmente descobriu seus poderes e agora quer seguir seu pai e ser um grande salvador da Terra. Contudo, quanto mais ele mergulha neste mundo complexo de super-seres, mais ele descobre que as coisas não são como parecem e que, no fim das contas, o legado do Omni-Man pode não ser tão heroico quanto ele imaginava.

Nos quadrinhos, a história Invincible já foi concluída. Ou seja, será possível que a série adapte uma trama completa com começo, meio e fim. O trabalho de Kirkman nesta HQ se encerrou em 2018, depois de 15 anos de histórias.

O que achamos de Invincible?

Logo de cara o que chama a atenção em Invincible é a sua duração. Diferente de outros desenhos e séries animadas, ela possui quarenta minutos — o padrão de séries live-action. Isso significa que a história não é apressada, com ação acontecendo a todo instante, mas sim que ela leva seu tempo para desenvolver algumas coisas.

Em um primeiro momento, especialmente no primeiro episódio, esse modelo cansa um pouco. Algumas cenas parecem desnecessárias, sem se conectar com aspectos relevantes (pelo menos até o momento) e sem trazer qualquer impacto significativo para a série. É quase como se houvesse tempo demais para ser preenchido, o que justificaria esses momentos extras.

Mas por fim, a sensação que temos é que Invincible não é como as demais séries animadas, trazendo o modelo que estamos acostumados no live-action para a animação. E isso funciona muito bem. Por passar mais tempo vendo esses personagens em tela, você se apega mais rapidamente com eles, justamente porque, ao ter mais tempo para desenvolvê-los, a série permite que você conheça e se importe com os protagonistas.

E então, quando você está começando a se cansar da monotonia, a série quebra isso de forma brutal.

Uma série sem medo da violência

Eu não conhecia a história de Invincible e não estava preparado para a violência presente na trama. Fui surpreendido com as reviravoltas chocantes e, sem dar nenhum spoiler, posso dizer que gostei muito da forma que a séria avança depois a partir dessa mudança brusca.

Mais dinâmica e imprevisível, a história ganha um ritmo intenso e uma sensação de perigo constante, o que resulta em uma narrativa mais interessante e urgente. Assim, a série deixa de ser slow burn, continuando a desenvolver seus personagens com toda sua vulnerabilidades, mas agora adicionando elementos mais tensos e que permitem que a trama se desenvolva de forma menos engessada.

Os protagonistas são carismáticos e, mais do que tudo, humanos. Apesar de suas habilidades e poderes especiais, os dramas que eles enfrentam são relacionáveis. É difícil terminar o primeiro episódio sem gostar de pelo menos um dos personagens da série. No fim, você se importa com eles e se identifica com algumas coisas que eles estão passando, ou com como eles estão se sentindo, mesmo com todos os elementos fantásticos da história.

No entanto,  principal característica de Invincible – e isso é algo que surpreende os desavisado – é que consequências existem e elas são muito reais. O universo da série é brutal e não tenta, nem por um momento, seguir o que estamos acostumados em outras histórias heroicas que vemos na Marvel ou na DC Comics. E a diferença que isso faz para a história é imensa.

Consequências reais e devastadoras são parte da série

Invincible segue um modelo de adaptações de HQs que começou a ser explorado recentemente. Agora não há medo de mostrar o lado mais sombrio e gore deste mundo de super-heróis, algo que, ainda que cada um da sua maneira, Watchmen, The Boys e a série animada da Arlequina também trabalham muito bem.

Ainda que choque, a violência e cenas mais gráficas não parecem tão forçadas, estando ali só para causar desconforto em quem assiste. Mas sim para trazer uma sensação de realismo, mesmo entre todos os elementos absurdos e fantasioso, que é muito bem-vinda para o gênero das produções de super-heróis. Entre seres com poderes quase divinos, as casualidades são reais e os impactos na sociedade são devastadores. E isso faz com que a história de Invincible ganhe um novo significado e mais profundidade.

Terminei esses três episódios gostando muito do que assisti e ansioso por mais. Eu definitivamente não esperava pelo que me foi mostrado, mas agora que tive um gostinho dessa história, eu preciso acompanhar os próximos capítulos das aventuras de Mark Grayson e seus amigos.

Quando Invincible estreia na Amazon Prime Video?

Invincible chega dia 26 de março, na Amazon Prime Video

A série animada Invincible estreia 26 de março no Amazon Prime Video, com o lançamento dos três primeiros episódios. A partir daí, novos episódios serão lançados semanalmente, toda sexta-feira. A temporada será finalizada no dia 30 de abril.

Invincible é produzido por Skybound, contando com Robert Kirkman como produtor executivo. Simon Racioppa, David Alpert (The Walking Dead, Fear the Walking Dead), Catherine Winder (Angry Birds: O Filme, Star Wars: A Guerra dos Clones) também assumem essa função. Jeff Allen (Avante Vingadores e Ultimate Homem-Aranha) é o diretor supervisor do projeto, enquanto Linda Lamontagne foi a diretora do elenco de vozes da série.

O elenco de vozes originais traz  Steven Yeun (The Walking Dead) no papel do protagonista e J.K. Simmons (Homem-Aranha) dando voz a Nolan Grayson, o Omni-Man. Além disso, outros grandes nomes do elenco incluem Sandra Oh (Killing Eve), Mark Hamill (Star Wars: The Last Jedi), Seth Rogen (É o Fim), Zazie Beetz (Deadpool 2), Jason Mantzoukas (Brooklyn Nine-Nine), Zachary Quinto (Star Trek), Malese Jow (The Flash), Mahershala Ali (Luke Cage), e Ezra Miller (Liga da Justiça), entre outros.

Confira também nossa lista com mais lançamentos do Prime que sairão este ano:

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"