Capa da Publicação

Returnal: Tudo o que você precisa saber antes de jogar

Por Gus Fiaux

Atenção: Alerta de Spoilers!

Lançado no dia 30 de abril deste ano, Returnal é o mais novo game exclusivo do PlayStation 5. O jogo foi criado pela Housemarque e está conquistando a crítica não apenas por seu visual sinistro e inovador, repleto de seres que parecem ter saído direto de nossos piores pesadelos, mas também por ser um dos melhores jogos atualizados para as melhorias e tecnologias originais do novo console – como por exemplo os gatilhos adaptativos do DualSense.

Porém, muitos ainda estão caindo de paraquedas e ficando confusos com a proposta do jogo. Afinal, como assim não há salvamento? Se você morre, você volta do início? Como você progride na história? Ou melhor, qual é a trama de Returnal? Neste artigo, vamos dar uma ideia de como funciona o jogo para que você não se sinta tão perdido nessa obra de arte jogável! 

Qual é a trama de Returnal?

Selene Vassos é uma astronauta que trabalha para a ASTRA Corporation, fazendo explorações pela vastidão do espaço e descobrindo novos mundos. O jogo começa no momento em que ela desobedece uma ordem da agência para a qual trabalha, pousando no planeta Atropos para investigar um sinal bizarro captado por seu comunicador. Ela chama esse sinal de “Sombra Branca” e sente uma forte conexão com isso, ainda que não entenda bem o porquê.

Ao pousar no planeta, Selene sofre um acidente e sua nave se despedaça. Ela cai perdida, em uma clareira. Lá, ao acordar, ela se vê rodeada por uma flora estranha e pelas ruínas do que costumava ser uma civilização alienígena ancestral. Ainda perdida, ela começa a andar e passar por portões, até que descobre um cadáver de um astronauta jogado na sua frente. Ao se aproximar, Selene percebe: é ela mesma.

A partir disso, sabemos que ela está vivendo um loop e que seus vários corpos estão espalhados pelo mapa – vestígios de que ela já viveu e morreu em cada um daqueles lugares, antes de acordar novamente na queda de sua nave. Assim entramos de cabeça na história de Returnal. A meta é simples: ela primeiro precisa encontrar a Sombra Branca, já que não consegue se comunicar com a ASTRA e essa é a única forma possível de encontrar alguma escapatória do planeta.

Porém, não pense que a história acaba aí. Ao longo do jogo, ela tem vários flashes de seu próprio passado e da queda de sua nave. Selene vê alguém em uma roupa antiga de astronauta e lembra também de sua mãe, Theia, com a qual não tinha uma relação muito boa. Certa vez, Theia e Selene estavam em um carro quando sofreram um acidente. Elas precisaram desviar na estrada para se desviar de algo estranho. Nesse acidente, Theia acaba indo para a cadeira de rodas.

Todos esses são os principais mistérios de Returnal e são lentamente desenvolvidos conforme você joga o jogo.

O gameplay de Returnal

Returnal é um roguelike de tiro em terceira pessoa. Isso significa que suas “fases” são geradas aleatoriamente e que cada morte conta na trama – não é possível voltar através de checkpoints ou mesmo salvar seu progresso, seja de forma manual ou automática. Ou seja, sim: Returnal é um jogo difícil pra caramba. Cada vez que você morre, acaba retornando do começo, do local onde sua nave caiu. Isso torna toda a experiência muito complexa e faz com que você precise tomar um cuidado extra com inimigos e outras armadilhas do mapa.

O jogo tem seis biomas. Três deles aparecem no Ato 1 e mais três aparecem no Ato 2. Cada um desses biomas tem mudanças, tanto em seu próprio ambiente – um é gelado e cheio de neve, outro é uma floresta sombria, outro é uma série de ruínas e detritos, por aí vai. Toda vez que você revive, o ambiente ao seu redor muda e o mapa é alterado, de modo que não há como se guiar por um “padrão”. E em cada fase, temos novos inimigos.

Basicamente, você precisa passar pelos mapas atirando em criaturas alienígenas que têm formas e modos de ataque diferentes, tudo enquanto tenta lutar para manter Selene viva, sem reiniciar o ciclo. Além disso, há também 5 chefes no jogo, cada qual com três fases de combate que mudam quando você atinge determinados pontos de vida deles. Se eles te matam, você retorna ao começo novamente e precisa encontrá-los e combatê-los desde o início.

Tudo isso pode tornar a experiência frustrante, mas Returnal tem lá sua cota de diversão. Em algumas parte dos mapas, você encontra baús com novas armas e pode trocar sua pistola por alguma delas – carabinas, rifles de assalto e coisas do tipo. E já no seu primeiro ciclo você encontra uma “melhoria permanente”, que permite que você dispare um “ataque especial”, embora exista um tempo de recarga consideravelmente alto.

Além disso, há outros itens e apetrechos espalhados pelo mapa que podem te ajudar com alguns chefes específicos ou momentos mais intensos de combate. Você também consegue fazer algumas outras melhorias permanentes, aumentando sua saúde, por exemplo – e isso é essencial para conseguir derrotar seus inimigos sem ter que reiniciar os ciclos.

A meta principal é derrotar cada um dos cinco chefes – que se chamam PhrikeIxionNemesisHyperion e o temido Ophion. Quando você termina o Ato 2, o jogo parece ter chegado ao final, mas é aí que você pode retornar para o Ato 3 e descobrir um final secreto.

Finais misteriosos

Quando derrotar Ophion, o último boss, você deve acessar um buraco no mar deixado onde ele estava. Você então vai encontrar um carro e vai poder reviver os últimos minutos da vida de Selene, ao encontrar uma criatura com tentáculos. Aqui, você vai reviver o acidente de carro que Selene sofreu com Theia, sua mãe. As duas estão na estrada quando são surpreendidas por um astronauta.

A mãe de Selene consegue desviar a tempo de não atingir o astronauta, mas acabam indo parar em um rio. Enquanto as duas se afogam dentro do veículo, a visão de Selene começa a fica turva e ela é “puxada” para o começo de outro loop em Atropos. Esse é o “final principal” do jogo e muitos já conseguiram atingi-lo. Porém, há uma outra conclusão secreta bem interessante.

Após isso, você precisa retornar ao Ato 1 e ao Ato 2 usando uma máquina do tempo para encontrar seis “fragmentos de face do sol”. Esses fragmentos são espalhados, um para cada bioma, e podem ser encontrados em qualquer lugar deles. É difícil inclusive determinar em que lugar específico vai aparecer cada fragmento, mas basta prestar atenção no ambiente ao seu redor e você irá encontrá-los. E pode ficar tranquilo, se você morrer, os fragmentos que encontrou ficarão em seu inventário e não vão sumir a cada loop.

Com os seis fragmentos coletados, você precisa passar pelas sequências na casa de Selene. Lá, você precisa encontrar as chaves do carro. Quando isso for feito, é hora de enfrentar Ophion mais uma vez. Depois que a criatura for detida, você segue o mesmo procedimento inicial: desce pela cratera no mar e encontra novamente o carro. Porém, ao usar as chaves, você libera o final secreto do jogo.

Não daremos muitos detalhes sobre esse final para não estragar a experiência dos jogadores, mas certamente é uma daquelas coisas que vai fazer você ficar pensando por semanas depois de ter terminado o jogo. E essa é justamente a graça de Returnal. Pode ser um jogo complicadíssimo e muito desafiador, mas é também uma obra que vai te deixar pensando e refletindo sobre ela por um bom tempo.

Returnal está disponível no PlayStation 5.

Abaixo, confira 10 jogos que você precisa conferir na Coleção PS Plus do PlayStation 5:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux