Capa da Publicação

Pokémon: Artistas imaginam como seriam os Pokémon do Brasil

Por Gabriel Mattos

Pokémon ganhou popularidade graças a criaturas incríveis inspiradas, entre outras coisas, em animais do mundo real. Mesmo com a nossa riquíssima biodiversidade, ainda não existe uma região centrada no Brasil. Mas isso não impede os fãs de sonharem.

A Região de Braringá

Uma dupla de artistas brasileiros, Walisson e Gabriel Gonçalves, decidiu criar uma região influenciada pelo melhor de nosso país — a região de Braringá. Eles conseguiram adaptar com maestria as convenções da franquia para funcionar com a realidade nacional.

Primeiramente, a região faria parte dos jogos fictícios Pokémon Soul e Pokémon Fate, capturando a crença no misticismo bastante disseminada no imaginário popular. Os treinadores que começam sua jornada em Braringá precisam escolher seu Pokémon inicial com o Professor Paulo Rasil — que, como todo grande pesquisador Pokémon, tem seu nome inspirado em uma árvore local (o pau-brasil).

Os iniciais de Braringá

Uma Pokédex brasileira

Os iniciais são tão adoráveis quanto esperado e carregam consigo inspirações em animais bem conhecidos no Brasil. Representando os tipo grama, temos o Quatittle, inspirado nos quatis. Já quem decidir pelo tipo fogo, poderá treinar um Aeroboo, com fortes influências dos urubus e de um certo time de futebol. Por fim, o tipo água traz Manake, uma adaptação incrível dos peixe-boi.

Claro que a nossa Pokédex não iria parar nos iniciais. Também estão planejadas mais de 100 novos Pokémon que irão homenagear, não só nossa fauna e flora, como também a cultura diversa de cada canto do país.

A Pokédex brasileira combina novos monstrinhos com formas regionais

Entre os Pokémon já publicados, que podem ser vistos na galeria oficial do projeto, podemos notar influência dos tamanduás-bandeiras (Tamandant), mosquitos (Mozzquit), chupa-cabras (Sucwool), araucárias (Araucaice), capivaras (Capajé) e até do guaraná (Guarardian).

Confira alguns dos monstrinhos na nossa galeria abaixo:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse