O Último Duelo: Ridley Scott culpa millennials e seus celulares pelo fracasso de bilheteria

Capa da Publicação

O Último Duelo: Ridley Scott culpa millennials e seus celulares pelo fracasso de bilheteria

Por Junno Sena

Com 85% de aprovação da crítica especializada e 81% da audiência, O Último Duelo pode ter sido bem avaliado, mas não se saiu muito bem quando o assunto é a sua bilheteria. Com Matt Damon, Adam Driver e Jodie Comer no elenco, além de roteiro de Damon e Ben Affleck, o longa não se destacou no seu primeiro final de semana de estreia. E a culpa, de acordo com Ridley Scott, é dos millenials, “que preferem brincar com seus celulares do que assistir um filme” (via ComicBook).

Em entrevista para o WTF Podcast, da Screenrant, o diretor disse que a Disney, atual proprietária da 20th Century Studios que distribuiu O Último Duelo, fez um bom trabalho promovendo o filme, mas que a atual audiência foi o que fez a bilheteria se tornar um fracasso.

“Acho que o ponto principal é que o que temos hoje é um público que foi criado nesses malditos celulares. Os millennials não querem aprender nada a não ser que você mostre nos celulares.” O diretor comentou. “Isso é a falta de direcionamento que aconteceu e deu o tipo errado de confiança para essa geração, eu acho.”

Mesmo que o diretor deixe claro a sua posição, é importante frisar que existem diversas razões para o filme não ter emplacado nas bilheterias, começando com o COVID-19. A maioria do público pode já estar vacinada, mas nem todos se sentem confortáveis a voltar ao cinema. Além de que, quem se colocou ao risco, pode não ter se sentido tão inclinado a assistir a O Último Duelo, já que sua estreia se deu em outubro, no meio de diversos grandes lançamentos.

Dentro eles tivemos Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis, além da sequência Halloween Kills, Maligno e até mesmo Venom: Tempo de Carnificina, que mesmo com duras críticas, foi uma das maiores bilheterias do mês.

Mas, de certa forma, a crítica do diretor é contundente. Uma vez que a maioria dos filmes estão tentando encontrar uma forma de serem lançados nos streamings, esses que possuem apps. Uma prova disso é como Duna já vai fazer sua estreia na HBO Max, um mês depois do lançamento nos cinemas.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ.