Nia DaCosta, de The Marvels, culpa o Capitão América pelo estalar de dedos de Thanos

Capa da Publicação

Nia DaCosta, de The Marvels, culpa o Capitão América pelo estalar de dedos de Thanos

Por Gus Fiaux

Em 2023, a Capitã Marvel retorna com uma nova aventura no Universo Cinematográfico da Marvel graças a The Marvels, o filme que deve colocá-la lado a lado com novas heroínas – Ms. Marvel e Espectro. O filme será dirigido por Nia DaCosta, que neste ano surpreendeu a todos com A Lenda de Candyman, a sequência do clássico filme de terror de 1992. Porém, a diretora também tem algumas opiniões polêmicas sobre os heróis da Casa das Ideias.

Muito recentemente, ela conversou com o Inverse sobre como enxerga os super-heróis e seu lugar no mundo. Em um dos trechos mais interessantes da entrevista, ela fala sobre como vê o Capitão América como o “culpado” pelo estalar de dedos de Thanos em Vingadores: Guerra Infinita, justamente por ter tentado fazer a “coisa certa” o tempo todo, em vez de ter tomado uma solução um pouco mais questionável:

“Às vezes, eu gosto de dizer algo bem polêmico sobre o Capitão América, que é como o estalar de dedos [de Thanos] foi sua culpa, porque ele estava tentando dar o seu melhor, tentando fazer a coisa certa o tempo todo. Existe um mundo onde ele é um vilão porque, no fim do dia, ele deveria apenas ter sacrificado o Visão. Ele escolheu a vida de um robô, apesar de ser um robô com consciência, acima de literalmente todo o universo. Existe algo de anti-herói nisso, se você quiser olhar por essa ótica.”

No filme, Steve Rogers (que na época, tinha se tornado Nômade e renegado o título de Capitão América) decide armar um grande esquema de defesa em Wakanda, enquanto o Visão é tratado pelos cientistas da nação. Isso atrai a atenção da Ordem Negra para o país e, eventualmente, Thanos chega e conclui seus planos, roubando a última Joia do Infinito e aniquilando metade do universo no processo.

De acordo com a cineasta, o herói deveria apenas ter sacrificado o Visão para acabar com a Joia da Mente.

Nia continua, falando sobre como acredita que há algo de anti-heroico no Capitão América – e que, na verdade, as jornadas do herói e do anti-herói são entrelaçadas por signos similares, principalmente a dor. Para ela, esse ponto está enraizado nas histórias de heróis e anti-heróis, mas possuem significados diferentes ao longo de suas jornadas, e é isso que forma o contraste entre eles:

“As pessoas acham que eu sou louca por pensar dessa forma, mas há algo conectado na jornada do anti-herói e do herói. A dor do herói é algo que surge do automartírio, já a dor do anti-herói é algo que meio que dá início à jornada deles, em vez de finalizá-la.”

Nia DaCosta foi contratada para dirigir The Marvels, que chega aos cinemas no começo de 2023. O filme reúne Brie Larson no papel de Carol Danvers/Capitã Marvel, Iman Vellani como Kamala Khan/Ms. Marvel e Teyonah Parris como Monica Rambeau/Espectro.

The Marvels está previsto para chegar nos cinemas em fevereiro de 2023.

Abaixo, confira os poderes e habilidades de Monica Rambeau nas HQs:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux