Capa da Publicação

Lúcifer: O que acontece no final da série

Por Arthur Eloi

Cinco após sua estreia, nos quais passou por fortes emoções como um cancelamento e um resgate, Lucifer chegou ao fim na sexta temporada. A série, que foi adquirida pela Netflix das mãos da Fox, conquistou uma legião de fãs pelo mundo, e conseguiu acabar por cima, mesmo com várias viradas desafiadoras para resolver.

Relembre tudo que aconteceu no final de Lucifer!

Confusão temporal

Rory, filha de Lúcifer e Chloe, volta no tempo para cobrar respostas do pai ausente

Por mais que Lúcifer tenha começado como uma série policial procedural, ao longo dos anos se tornou uma espécie de drama, indo além de seus personagens para apresentar os vários conflitos no Céu e no Inferno. Se o escopo já não fosse grande o bastante, a temporada final ficou levemente mais complexa com um elemento de viagem no tempo.

Na leva final, Lúcifer (Tom Ellis) é visitado por Rory (Brianna Hildebrand, de Deadpool), sua filha com Chloe (Lauren German) – mas apenas no futuro. Sim, a garota voltou no tempo para conhecer o próprio pai ausente, e lhe entregar um sermão sobre o que precisou passar ao longo de sua vida sem ele por lá. Sem maiores explicações, Lúcifer então fica se questionando sobre o que motivou o seu desaparecimento, e a temporada gira em torno desse mistério.

Ao longo da temporada final, Lúcifer conseguiu aproveitar mais um tempo com a sua filha

Chegando nos últimos momentos, e já em tom de despedida (tanto na trama quanto para o público), o demônio consegue se despedir daqueles com quem viveu nos anos anteriores, além de aproveitar o tempo que restava ao lado de Chloe. Então, de repente… nada acontece. Lúcifer “sobrevive” ao que tinha julgado ser o seu último dia na Terra, e passa a acreditar que conseguiu mudar o futuro e evitar seu desaparecimento.

Essa paz toda não dura para sempre. O mercenário e assassino Le Mec (Rob Benedict) liga para o casal, e revela ter sequestrado Rory. Lúcifer e Chloe descobrem a localização do bandido, e se juntam para invadir o galpão onde sua filha está sendo mantida refém.

Sem pontas soltas

Quando Lúcifer enfim confronta Le Mec, o cramunhão usa de toda a sua lábia para convencer o mercenário a deixar a garota livre. A estratégia não dá tão certo assim, mas pelo menos compra tempo o suficiente para que Rory se libertar e render o seu sequestrador. Com sangue nos olhos, ela fica tentada a acabar com Le Mec de uma vez – mas Lúcifer, mostrando que cresceu muito ao longo dos anos (e depois de muita terapia) a convence que não vale a pena viver com o peso e a culpa do assassinato.

O mercenário, porém, não fica tão grato pela misericórdia da garota, e tenta atacar o protagonista – apenas para ser baleado por Rory, e acabar tendo sua alma levada ao Inferno. Com essa ameaça resolvida, o trio volta a discutir o inevitável sumiço de Lúcifer, mas todos os eventos da temporada enfim geram uma reflexão no demônio.

Lembrando de como conseguiu guiar Dan (Kevin Alejandro) ao Céu, Lúcifer enfim entende o seu propósito: ao invés de assumir o trono de Deus, ele é mais útil ao universo no Inferno, onde pode se tornar uma espécie de terapeuta de almas torturadas, ajudando-as a superar a culpa e a dor. O problema é que a decisão não tem volta. Nesse caso, cumprir o seu propósito significa abandonar Chloe e, por consequência, fazer com que Rory cresça sem um pai. Entendendo melhor as motivações de seu progenitor, a jovem aceita que é o melhor cenário.

Após Lúcifer retornar ao Inferno, é possível ver o desfecho de cada um dos personagens. Mesmo grávida, Chloe retorna ao departamento de polícia, e bota as mãos na massa para tentar corrigir alguns dos problemas da instituição.

No fim das contas, Lúcifer encontra seu verdadeiro propósito ao ajudar os outros no Inferno

Outros rostos mostrados são Ella (Aimee Garcia) e Carol (Scott Porter), que assumem a instituição de caridade de Dunlear, deixada pelo protagonista. Também é mostrado que Maze (Lesley-Ann Brandt) e Eve (Inbar Lavi) se casaram, e passaram a caçar juntas. Por fim, a alma de Dan é mostrada no Céu, enfim reunido com sua amada Charlotte (Tricia Helfer). E quanto ao trono de Deus, que Lúcifer recusou? Amenadiel (D.B. Woodside) é quem assume o posto, e passa a reinar o paraíso como uma entidade mais benevolente.

No fim das contas o desaparecimento de Lúcifer não era nada macabro. Muito pelo contrário, o protagonista se viu forçado a deixar sua parceira e filha para atender o bem maior, o que serve como prova do seu crescimento ao longo de todos esses anos. É até curioso ver o demônio atendendo Le Mec no Inferno, discutindo a conturbada jornada pela qual ambos passaram. A série então é concluída com Chloe no hospital, dando a luz à Rory e cercada por todos aqueles que ama. Lúcifer, claro, não está presente – mas por um bom motivo.

Todas as temporadas de Lúcifer estão disponíveis no catálogo da Netflix. Aproveite e confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117