Capa da Publicação

Loki Clássico: saiba mais sobre a origem e história do personagem

Por Camila Sousa

Atenção: Alerta de Spoilers!

A Marvel está aproveitando suas séries no Disney+ para desenvolver alguns personagens e também apresentar nomes interessantes. Esse é o caso de Loki, produção solo sobre o Deus da Trapaça, que revelou nas últimas semanas outras variantes do personagem. Ou seja, neste universo, o personagem interpretado originalmente por Tom Hiddleston tem várias versões, incluindo uma clássica, feita por Richard E. Grant.

Loki Clássico na série

Apresentada no episódio “O Evento Nexus”, essa variante ganhou mais desenvolvimento no capítulo recente, “Jornada ao Mistério”. Ao lado de outras versões que tentam sobreviver no vazio, o Loki Clássico explica que tudo ia bem em sua realidade, até o ataque de Thanos à sua nave. O personagem de Grant revela que não tentou atacar o titã, e sim criou uma projeção de si mesmo para fingir que estava morto. Depois disso, ele ficou à deriva no espaço e se isolou em um planeta por muito, muito tempo. Quando finalmente decidiu sair, foi pego pela AVT e enviado para este lugar vazio.

Richard E. Grant como Loki Clássico

Em entrevista ao Marvel.com, o roteirista da série Michael Waldron afirmou que pensou nessa história para mostrar o que teria acontecido ao Loki conhecido dos fãs, se ele tivesse sobrevivido em Vingadores: Guerra Infinita:

“E, se isso tivesse acontecido, como ele teria envelhecido? Como ele teria vivido seus dias de um modo que a AVT não o encontrou? É trágico quando este Loki percebe que deveria ter ficado sozinho. É apenas triste e há uma lição aqui para o nosso Loki: ele vai rejeitar essa noção, e ele se recusa a ficar sozinho. Loki quer fazer a coisa certa e descobrir se pode ter uma companhia de verdade em sua vida”.

Ao ver o episódio, fica claro como o Loki de Hiddleston se relaciona com a variante interpretada por Grant, vendo a si mesmo nele e ficando curioso com sua história, especialmente ao enfrentar Thanos.

E nos quadrinhos?

Primeira versão de Loki nas HQs – sim, ele era ruivo

Embora tenha uma história de origem diferente, que se relaciona mais ao MCU, este Loki Clássico presta uma homenagem aos quadrinhos, em que o personagem já teve várias versões. A primeira, do final da década de 1940, mostra Loki como um membro dos deuses do Olimpo, que foi banido para o Mundo Inferior.

Esta versão do personagem era governante do submundo e um vilão de fato, ao invés do anti-herói apresentado nos cinemas. Ele podia entrar nos corpos dos humanos e tinha o objetivo de espalhar o ódio na Terra. Essa versão mais “tradicional” de Loki foi substituída na década de 1960, pelo personagem cujo uniforme lembra a versão de Richard E. Grant. A história deste Loki já se aproxima mais com o personagem dos filmes, já que ele também é filho biológico de de Laufey, de Jotunheim.

Loki Clássico dos quadrinhos e Loki Clássico da série

Futuro no MCU

A Marvel já indicou várias vezes que não investe em personagens e atores aleatoriamente. Assim, ainda que o Loki Clássico tenha se sacrificado ao final de “Jornada ao Mistério”, é possível que ele retorne futuramente, com Grant trazendo mais de seu talento para o personagem.

Sacrifício do Loki Clássico

Aliás, a própria história que o Loki Clássico conta pode ser um indicativo de seu futuro: se antes ele conseguiu enganar Thanos com uma projeção extremamente real de si mesmo, será que ele não pode ter feito o mesmo agora? Resta esperar o finale de Loki, que será exibido em 14 de julho, para descobrir.

Antes de ir, fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Camila Sousa

Jornalista por formação e nerd por natureza. Fã de diversos mundos fantásticos por aí e criadora do podcast Podcakes | @cakes_sousa no Twitter e Instagram