Capa da Publicação

Liga da Justiça: Ray Fisher diz que Joss Whedon não foi o único culpado por falta de inclusão

Por Melissa de Viveiros

Com o lançamento de Liga da Justiça de Zack Snyder, o público finalmente pôde ver as diferenças entre o filme que chegou aos cinemas e o que o diretor desejava fazer. As comparações com a versão de 2017 foram imediatas, e algo muito notado foi a diferença de destaque que personagens não-brancos tem em cada produção. O ator Ray Fisher, intérprete do Ciborgue, voltou a comentar o assunto, afirmando que a culpa dessa disparidade não é apenas de Joss Whedon, mas sim da Warner como instituição.

Na primeira versão de Liga da Justiça, o personagem de Fisher foi um dos mais prejudicados pelos cortes, e a versão de Zack Snyder mostrou que seu papel na trama foi bastante reduzido na versão de Whedon. Ele, no entanto, não foi o único: Ryan Choi, um herói coreano-americano, que conhecemos no filme como um dos trabalhadores dos laboratórios STAR, Silas Stone, o pai de Ciborgue, e Iris West, o interesse amoroso de Flash que aparece em uma grande demonstração de poderes do velocista. Todos eles tiveram sua participação reduzida ou até mesmo completamente cortada do filme que chegou aos cinemas.

Ray Fisher como Ciborgue em Liga da Justiça.

Com a saída de Zack Snyder da produção devido à morte de sua filha, o filme passou a ser dirigido por Joss Whedon, a quem Ray Fisher vem criticando abertamente em suas redes sociais, denunciando uma conduta abusiva e racista, no que levou até mesmo a investigações internas sobre as refilmagens de Liga da Justiça.

O ator, no entanto, afirmou em sua conta no Twitter que Whedon não é o único culpado, e que não aceitará que ele assuma toda a culpa sozinho:

“As conversas discriminatórias de Toby Emmerich, Geoff Johns e Jon Berg foram grandes fatores nas diferenças [de representação nos dois filmes].

Eu posso não gostar de Joss Whedon, mas eu me recuso a permitir que ele leve toda a culpa.

A>E”

O ator finalizou o tuíte, como de costume, com “A>E”, uma forma reduzida de Accountability Over Entertainment, expressão que pode ser traduzida como Responsabilidade antes de Entretenimento.

Esta não é a primeira vez que Fisher cita outros executivos da Warner como sendo culpados pelos problemas que o ator alega ter enfrentado durante as filmagens de Liga da Justiça. Além deles, Walter Hamada também é frequentemente incluso pelo intérprete do Ciborgue como parte do problema. Assim, parece que Fisher está determinado a deixar claro que os problemas vêm também da própria Warner e que outros deveriam ser responsabilizados, já que ele os considera tão culpados quanto Whedon.

O que você acha da afirmação de Ray Fisher?

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Graduanda em Letras na UFMG. || What is infinite? The universe and the greed of men. || @windrunning_