Capa da Publicação

Liga da Justiça: Joss Whedon ameaçou Gal Gadot e Patty Jenkins durante as filmagens

Por Cristiano Rantin

Ray Fisher, o Ciborgue, tem feito inúmeras denúncias contra Joss Whedon ao longo do último ano. O ator se pronunciou sobre a conduta abusiva e potencialmente racista do diretor que assumiu o projeto que pertencia a Zack Snyder, além de apontar que os executivos da Warner tentaram ativamente ignorar e esconder isso. Agora, o The Hollywood Reporter apresentou uma longa reportagem sobre o caso, trazendo denúncias de que Whedon teria ameaçado Gal Gadot, a Mulher-Maravilha, e a diretora Patty Jenkins quando a atriz discordou das decisões dele.

De acordo com fontes do site, que foram mantidas em sigilo, Gal Gadot e Jeremy Irons, o Alfred, não gostaram do que Whedon estava fazendo, incluindo sua conduta no set, e isso resultou em reclamações feitas diretamente para os chefes da Warner Bros.

Uma outra fonte revela que Gadot estava muito preocupada com a versão de Whedon, que contrastava diretamente com o que havia sido escrito por Zack Snyder. Isso incluía “problemas sobre a personagem dela ser mais agressiva do que é característico da Mulher-Maravilha. Ela queria fazer a personagem fluir de um filme para o outro.” 

A situação foi ficando mais tensa com o passar dos dias e fontes apontam quando Gadot se recusou a gravar algumas falas com as quais ela não concordava. Whedon ameaçou Gadot, dizendo que acabaria com a carreira dela e de Patty Jenkins (diretora dos filmes da Mulher-Maravilha) caso ela não gravasse as novas cenas.

Ano passado, rumores surgiram que Gal Gadot se recusou a gravar uma das cenas mais infames da Mulher-Maravilha em Liga da Justiça de Joss Whedon, quando Flash cai de cara sobre os seios da amazona. A dublê da atriz teria filmado a sequência.

Uma das piores cenas de Liga da Justiça, que espelha um momento de Vingadores com a Viúva Negra, veio de Joss Whedon

Na entrevista ao THR, Fisher se recusou a falar sobre o caso, mas uma testemunha do caso contou aos investigadores que, depois de uma briga, “Joss estava se gabando de ter lidado com a Gal. Ele disse a ela que era o roteirista e que ela iria calar a boca e dizer as falas, e que ele poderia fazer ela parecer incrivelmente estúpida em seu filme.” 

Outra fonte diz que Gadot e Jenkins não ficaram caladas, tendo uma reunião com o antigo chefe da Warner, Kevin Tsujihara. Quando foi questionada pelo site, Gadot disse em uma declaração: “Eu tive meus problemas [com Whedon] e a Warner Bros lidou com isso de forma oportuna.”

É importante lembrar que, três meses após o lançamento de Liga da Justiça, Joss Whedon foi afastado de Batgirl, filme que ele estava no comando. Ainda que ele estivesse envolvido com outros projetos da Warner, como a série The Nevers, em novembro do ano passado o estúdio declarou que não estava trabalhando com o diretor. No comunicado oficial, no entanto, Casey Bloys, chefe da HBO, disse que não tinha nenhuma reclamação sobre a série ou o comportamento de Whedon.

Recentemente, várias pessoas vieram a público denunciar o comportamento do diretor, fazendo coro as denúncias feitas por Fisher. Atrizes de Buffy: A Caça VampirosAngel detalharam a conduta abusiva que Whedon apresentava desde aquela época.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"