Capa da Publicação

Por que o filme da Liga da Justiça de 2008 foi cancelado?

Por Gabriel Mattos

Mesmo reunindo os heróis mais conhecidos de todo o mundo, a Liga da Justiça sempre teve problemas para emplacar um filme para chamar de seu. Antes da versão divisiva que Joss Whedon levou aos cinemas, a equipe teria um longa dirigido por George Miller, o mesmo diretor do aclamado Mad Max: Estrada de Fúria. O projeto não saiu do papel, mas por que o filme da Liga da Justiça de 2008 foi cancelado? É isso que vamos discutir hoje.

Greve dos roteiristas

Os uniformes da Liga da Justiça de Miller

Sob o título de Liga da Justiça Mortal, a história iria explorar um universo onde os super-heróis conquistaram a paz mundial. Segundo o portal Den of Geek, desconfiado de seus aliados, o Batman decidiria vigiar toda a Liga. Tal como Tony Stark em Vingadores: A Era de Ultron, o vigilante acaba criando robôs para proteger a Terra que se revoltam contra os heróis, forçando o Superman a sair da aposentadoria para liderar a Liga em batalha.

Uma história dessas, que exigia a introdução de tantos super-heróis ao público geral, parecia impossível de funcionar em um mundo pré-MCU. Mesmo com ajustes de Miller, o roteiro tinha muitos problemas de ritmo, segundo o The Hollywood Reporter. Kieran Mulroney e Michele Mulroney, os roteiristas responsáveis pelo projeto, estavam dedicados a lapidar a ideia até que ela funcionasse, mas infelizmente foram forçados a parar.

Isto porque, em 2007, a Writers Guild of America deflagrou uma greve que se estendeu até o ano seguinte. Nenhum roteirista de Hollywood representado pelo sindicato tinha permissão para trabalhar em projetos em desenvolvimento. Esse hiato atrasou demais a produção do longa e foi crucial para que a Warner desistisse do projeto.

Recusa da Austrália

Ação do filme era muito custosa

Outro fator decisivo foi a lei de incentivo à cultura da Austrália. O longa tinha um orçamento inicial de 200 milhões de dólares, já considerado alto para a época. Porém, sem poupar gastos com artes conceituais, cenas de luta extravagantes e uma equipe reforçada de efeitos especiais, o custo de produção estava escalando em uma velocidade alarmante, extrapolando 300 milhões em pouquíssimo tempo.

Para tentar equilibrar as contas, George Miller planejava mover toda a produção para a Austrália para se beneficiar de suas leis culturais. Filmes australianos, na época, conseguiam financiar 40% de seu valor pelo estado. Mas apesar de Miller e boa parte do elenco serem australianos, uma comissão determinou que a produção era majoritariamente americana.

Sem alternativas, Miller precisaria mover a produção para Vancouver. Extrapolar ainda mais o orçamento não parecia um investimento saudável para os investidores, o que pode ter influenciado no cancelamento do longa.

Sucesso do Batman

Batman acabou com o filme

Para piorar, o Batman de Christopher Nolan era um sucesso estrondoso. Batman — O Retorno surpreendeu quaisquer expectativas do estúdio, aumentando a pressão para que Liga da Justiça fosse um grandioso acerto. Seria complicado convencer o público a aceitar um Batman tão diferente, então quando Batman: O Cavaleiro das Trevas estreou como um fenômeno mundial de bilheteria, o destino do filme de Miller foi selado.

Daquele momento em diante, a Warner incorporou o tom sombrio como o futuro de suas propriedades de heróis no cinema, algo que iria se concretizar com O Homem de Aço de 2013. Liga da Justiça Mortal, por outro lado, estava mais para um episódio live-action de Liga da Justiça: Sem Limites. O filme foi oficialmente cancelado no início de 2008.

Gostaria de ter visto a versão final de Liga da Justiça de George Miller? Não deixe de comentar!

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Editor, repórter correspondente de Wakanda, caçando Pokémon por onde eu vou! Sempre nas lives da Legião! • @gabeverse