Jujutsu Kaisen: Conheça o “Jogo do Abate”, o macabro novo arco do mangá

Capa da Publicação

Jujutsu Kaisen: Conheça o “Jogo do Abate”, o macabro novo arco do mangá

Por Márcio Jangarélli

Atenção: Alerta de Spoilers!

Dando sequência ao trágico e violento arco de Shibuya, o mangá de Jujutsu Kaisen apresentou sua nova história: o Jogo do Abate. A situação para os Feiticeiros da Escola de Tóquio deve ficar cada vez mais caótica a partir de agora, então é bom nos prepararmos para reviravoltas chocantes a caminho.

Se você está curioso ou quer entender melhor o novo arco de Jujutsu Kaisen, não se preocupe. Preparei este texto para destrinchar tudo o que já sabemos sobre o Jogo do Abate e as maquinações malignas de Kenjaku, o grande vilão dessa história.

SPOILERS do mangá de Jujutsu Kaisen adiante, então estejam avisados!

O que é o “Jogo do Abate”?

Mesmo “absorvido” ele ainda dá problema.

Jogo do Abate é o novo arco do mangá de Jujutsu Kaisen, dando sequência ao trágico arco de Shibuya. O início dessa história é no capítulo 137, revelando as consequências do 30 de Outubro em Shibuya planejado pelo “Geto”, mas o Jogo em si só é abordado um pouco depois, no capítulo 143.

Durante os eventos em Shibuya, o “Geto” usou sua Técnica de Manipulação de Espíritos Amaldiçoados para absorver o Mahito, depois que o vilão foi derrotado pelo Yuji. Assim, usando o Mui Tenpen (Transfiguração Ociosa) do Mahito, junto do seu vasto poder amaldiçoado, “Geto” lança um feitiço que cobre o Japão todo, instituindo o Jogo do Abate.

“Geto” intenciona com o Jogo do Abate iniciar um processo de “evolução” em cidadãos comuns da população japonesa, transformando-os em Feiticeiros Jujutsu. A Transfiguração Ociosa em larga escala liberou o potencial amaldiçoado no cérebro de pessoas selecionadas e outros elementos dessa maquinação forçarão estes novos Feiticeiros a lutarem entre si por sua sobrevivência, gerando um massacre em grande escala no país, liberando cada vez mais energia amaldiçoada.

Dessa forma, “Geto” tem três objetivos principais com o Jogo do Abate: desestabilizar ainda mais a comunidade Jujutsu, liberar o máximo possível de energia amaldiçoada no país e testar os poderes da Transfiguração Ociosa na “evolução” de pessoas comuns.

Por que os Feiticeiros precisam lutar entre si no Jogo do Abate?

Kenjaku é o Feiticeiro ocupando o corpo do Geto.

Mas se o “Geto” planeja criar mais Feiticeiros Jujutsu, por que ele vai fazer a comunidade se enfrentar no Jogo do Abate? A resposta é mais simples do que parece.

No momento, o que sabemos do objetivo final do “Geto”, ou melhor, de Kenjaku, aquele que manipula o corpo de Suguru Geto, é o de transformar toda a população japonesa em Feiticeiros Jujutsu, algo que ele chama de “evolução”. Com a Transfiguração Ociosa do Mahito, absorvida no final do arco de Shibuya, isso é possível, mas em pequena escala. Ele precisa de muito, muito poder amaldiçoado para englobar todo o Japão na maldição.

Dessa forma, o Jogo do Abate funciona como uma grandiosa fonte de energia amaldiçoada. Assassinatos, conflitos, guerras, produzem toneladas dessa força só pelos sentimentos negativos envolvidos, sem contar o derramamento de sangue. Isso aumenta de forma grandiosa quando os envolvidos são Feiticeiros, que já carregam uma quantidade enorme de energia amaldiçoada em si. Quando essas pessoas morrem, a liberação de energia é muito maior, acelerando os planos de Kenjaku.

As regras do Jogo do Abate foram feitas para estimular uma “guerra civil” entre os Feiticeiros, gerando uma fonte abundante de energia amaldiçoada para Kenjaku. Além disso, essa maldição é também um “teste” para o feitiço final que o vilão planeja e gera caos o suficiente para fechar o país e manter a população confinada, esperando a concretização do plano.

Quem é Kenjaku, o invocador do Jogo do Abate?

Bizarro? Só um pouquinho.

Depois de algum tempo no escuro, finalmente descobrimos mais sobre o grande vilão de Jujutsu Kaisen. Kenjaku é um feiticeiro muito antigo, que está agindo há mais de um milênio. Existe até a suspeita de que ele está relacionado com o Sukuna de alguma forma, por conta do poder e tempo.

No entanto, ao longo dos anos, ele já utilizou outros nomes. Ele já foi Noritoshi Kamo, conhecido como o Feiticeiro Jujutsu mais maligno de todos os tempos, criador dos Fetos Amaldiçoados: Pinturas da Morte, e, atualmente, ele é Suguru Geto. Aparentemente, a forma verdadeira do Kenjaku é a de um cérebro amaldiçoado, que foi transplantado no corpo dessas pessoas e assumiu suas identidades e técnicas.

Não se engane, porém; Geto era um Feiticeiro normal antes, quando estudou com Satoru Gojo e atacou a Escola de Tóquio em Jujutsu Kaisen Vol. 0. Kenjaku só tomou esse corpo depois dos eventos do Desfile Noturno de 100 Demônios, quando fica implícito que Suguru foi morto por Gojo no fim da história.

Há também a suspeita de que a mãe do Yuji tenha sido uma hospedeira de Kenjaku. Em um fragmento de memória de quando era um bebê, Yuji se lembra de uma conversa entre seu avô, seu pai e sua mãe, que aparece com uma cicatriz similiar à do Geto na testa. Na discussão, o avô Itadori está tentando convencer o filho de que a mulher é uma ameaça.

Como o Jogo do Abate funciona?

É bom se preparar porque o Yuta vai estar no jogo desde o início.

Essa sim é uma pergunta complexa. Existe uma lista de regras e mecanismos estabelecidos para o Jogo do Abate, além de novos personagens importantes sendo apresentados.

O Jogo do Abate acontecerá em 10 barreiras espalhadas pelo Japão – erguidas de forma estratégica para influenciar na saída de pessoas comuns do país. Não há número limite de pessoas para participarem do jogo em cada redoma e cidadãos comuns também contam no placar dos participantes.

De primeira, os jogadores serão aqueles que foram atingidos pela Transfiguração Ociosa e se tornaram Feiticeiros. No entanto, as regras também dizem que não-jogadores que entrarem na barreira durante a vigência do Abate serão considerados participantes automaticamente.

Também, as regras foram instituídas de forma que os Feiticeiros serão obrigados a participar do massacre ou morrerão. Ao lançar a maldição, a primeira regra do jogo afirma que, após despertarem suas técnicas, se houver recusa do Feiticeiro em integrar o Jogo do Abate, sua técnica será revogada. Se uma técnica amaldiçoada é removida de um Feiticeiro, ele morre.

De acordo com as regras, o jogo começará 19 dias depois dos eventos em Shibuya.

Quais são as regras do Jogo do Abate?

Depois de tudo, o Yuji se prepara para mais um massacre.

Oito regras foram estabelecidas por Kenjaku para o Jogo do Abate. Para monitorar seu cumprimento e estabelecer uma conexão entre o próprio jogo e os participantes, um shikigami chamado “Kogane”, semelhante a uma pequena abelha, será vinculado aos jogadores.

As regras do Jogo do Abate são:

  1. Após despertar sua técnica amaldiçoada, os jogadores terão 19 dias para declarar sua intenção de participar do Jogo em uma das barreiras.

  2. Jogadores que quebrarem a regra anterior terão sua técnica amaldiçoada revogada.

  3. Não-jogadores que entrarem em uma barreira durante o Jogo do Abate serão considerados participantes.

  4. Jogadores pontuam matando outros jogadores.

  5. O Mestre do Jogo determina os pontos, baseando-se no valor da vida de cada jogador. O valor base é 5 pontos para Feiticeiros e 1 ponto para não-feiticeiros.

  6. Com exceção do valor da sua própria vida, os jogadores podem usar 100 pontos acumulados para negociar com o Mestre do Jogo e adicionar uma regra ao Jogo do Abate.

  7. O Mestre deve aceitar qualquer regra nova, desde que ela não possua efeito marcante ou duradouro no Jogo.

  8. Se um Jogador permanecer com a mesma pontuação por 19 dias, sua técnica amaldiçoada será revogada.

Vale dizer que o “Mestre do Jogo” citado nas regras ainda é um conceito nebuloso. Para funcionar, o Jogo do Abate é um contrato forçado entre Kenjaku e os participantes. No entanto, depois de estabelecido, o contrato dificilmente será quebrado pelo vilão, ou ele sofrerá consequências graves.

Portanto, como foi dito no mangá, deve-se considerar que o Mestre é, na verdade, o próprio Jogo do Abate – representado pelo shikigami vinculado, o Kogane. Ele deve agir de maneira “justa” até certo ponto, dentro daquilo que foi estabelecido pelo Kenjaku.

Ah, não esqueci de falar do Mestre Tengen (o líder das escolas de Jujutsu)! A questão é que precisamos de um texto inteiro sobre ele, não apenas um tópico.

E aí, o que você espera do novo arco de Jujutsu Kaisen? Não esqueça de comentar!

Veja agora nossa lista sobre Jujutsu:

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.