Jon Kent, Mark Grayson e Gohan: O que os faz ter um potencial maior que o de seus pais?

Capa da Publicação

Jon Kent, Mark Grayson e Gohan: O que os faz ter um potencial maior que o de seus pais?

Por Flávia Pedro

Atenção: Alerta de Spoilers!

Goku, Omni-Man e Superman são os heróis mais fortes em seus respectivos universos, mas com a nova geração crescendo (incluindo seus filhos) é normal que os mantos de heróis sejam passados adiante a medida que a evolução dessa geração mais recente é notável.

Gohan, Mark Gayson e Jon Kent são a prova de que, mesmo cada um estando em pontos diferentes em suas respectivas jornadas, os 3 possuem uma característica importante para se tornarem heróis tão memoráveis quanto seus pais: a fisiologia meio alienígena e meio humana. (via CBR)

Os três heróis dessa nova geração ganharam poderes imensos devido a herança genética de seus pais, sendo Gohan meio Sayajin, Jon meio Kryptoniano e Mark meio Viltrumite. Gohan possui habilidades de voo, superforça, envelhecimento lento e a capacidade de se transformar em Super Sayajin, enquanto Jon e Mark tem habilidades parecidas (voo, superforça, invulnerabilidade…).

Porém, sua herança genética humana herdada de suas mães é o que os torna mais fortes que seus antecessores, diferente do que muitos fãs pensam.

Os personagens

Jon Kent

Apesar de conhecido por ser quase invulnerável, a kriptonita sempre foi o ponto fraco do Superman devido a sua genética Kriptoniana. Diferente de seu pai, Jon demonstrou que não sofre os mesmos efeitos quando é exposto à pedra. Quando foi exposto a kriptonita vermelha pura, ele sobreviveu, muito provavelmente por ser metade humano.

Gohan

Já Gohan, como um híbrido entre as duas raças, nasce sem um impulso nato para lutar, mas possui um potencial que é naturalmente maior do que o de seu pai e pode ser amplamente trabalhado a partir de treinos físicos. Acompanhamos esse potencial assombroso de Gohan quando ele foi a pessoa mais jovem a alcançar o Super Sayajin 2.

A única coisa que o impede de se tornar um guerreiro formidável é que o garoto abandonou as lutas e se dedica aos estudos, pelo menos antes de ser forçado a voltar a lutar em Dragon Ball Super.

Mark Gayson

Mark, diferente dos outros dois, tem a genética de seu pai mais dominante em seu organismo, diferente da divisão 50/50 que ele possuía quando nasceu. Ao decorrer da trama descobrimos que a genética de Viltrumite possui uma alta compatibilidade com a genética humana e por isso esse processo dela aumentar com o tempo acontece, então mesmo com sua parte humana, Mark se torna um Viltrumite completo.

O lado humano dos novos heróis

Além de fatores biológicos, questões sociais e de criação também influenciam nessa evolução. A educação humana, por exemplo, os tornou pessoas mais compassivas, principalmente tendo em vista o motivo pelo qual seus pais foram enviados à Terra.

Além disso, a criação meio-humana de Gohan permitiu que o garoto enxergasse a constituição de uma família e ser presente, mais importante que treinamentos incansáveis, completamente diferente de Goku que sempre priorizou treinar e lutar. Gohan, mesmo sabendo que se treinasse se tornaria o ser mais forte da Terra, abdicou disso por vontade própria.

Já sobre o pai de Mark, Omni-Man foi enviado à Terra para dominar o planeta e tornar os humanos escravos de Viltrumites, mas a educação humana do garoto permitiu que ele se libertasse dos sonhos totalitários de seu pai e se tornasse o maior líder que sua espécie conheceria.

Jon é o privilegiado entre os três, uma vez que seu pai sempre o criou para valorizar a verdade e a justiça acima de tudo. Isso com certeza fez com que Jon aproveitasse de uma vida mais humana do que a de seu pai, o fazendo compreender que violência nem sempre é a resposta.

A vantagem que Goku, Superman e Omni-Man tem sobre seus filhos é a experiência na hora de utilizar seus poderes, mas para os heróis da próxima geração, seus poderes extremos não são a única coisa que os torna imbatíveis, mas também sua humanidade.

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Flávia Pedro

Historiadora formada pela UFF e apaixonada por cultura japonesa, animes, mangás, filmes... Criadora de conteúdo no instagram Anime Dicria, viciada em café e leitora de fanfics ruins nas horas vagas. Instagram: fllavia_pedro