Quarteto Fantástico: Por que Jessica Alba não gosta dos filmes?

Capa da Publicação

Quarteto Fantástico: Por que Jessica Alba não gosta dos filmes?

Por Arthur Eloi

É difícil encontrar gente que goste dos filmes do Quarteto Fantástico. Produzidos no limbo entre o sucesso do Homem-Aranha de Sam Raimi, e o início do Universo Cinematográfico da Marvel com Homem de Ferro (2008), os filmes são marcados por todos os problemas de tom e trama que assolam a maioria das adaptações de HQs pré-Marvel Studios e pré-Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008).

Mas dentre todas as pessoas, Jessica Alba – que viveu a Mulher Invisível nos dois filmes – é uma das com menos carinho pelos longas. Acontece que ela chegou muito perto de largar a atuação por conta dos filmes do Quarteto Fantástico.

O quão ruins são os filmes do Quarteto Fantástico?

A Primeira Família da Marvel pode ter sido um dos primeiros sucessos da empresa, mas só foi ganhar adaptação para os cinemas nos anos 2000. Até houve um filme feito em 1994, com direção de Roger Corman, o mestre do Filme B, mas que nunca foi oficialmente lançado. Já em 2005, foi a vez do diretor Tim Story (Táxi, Um Salão do Barulho) comandar um blockbuster, para surfar a onda de filmes de herói como os dois Homem-Aranha de Sam Raimi, e os dois X-Men.

Quarteto Fantástico (2005) reuniu Ioan Gruffudd como o Reed Richards, Jessica Alba como Sue Storm, Michael Chiklis como Ben Grimm e Chris Evans como Johnny Storm, contra o Doutor Destino de Julian McMahon. O resultado foi um filme que apanhou bastante da crítica, com apenas 27% de aprovação no Rotten Tomatoes, mas que ainda fez modestos US$333 milhões na bilheteria mundial (para referência, o filme custou US$100 milhões). Ninguém morreu de amores pelo longa, mas foi o suficiente para garantir uma sequência.

A continuação ganhou o título de Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado (2007), e custou um pouco mais caro que o antecessor (US$130 milhões), trazendo todo o elenco de volta para enfrentar o Surfista Prateado. A recepção foi um pouco melhor, com 37% no Rotten Tomatoes, mas a bilheteria caiu levemente, ficando na arrecadação mundial de US$301 milhões.

Ambos são filmes que até divertem, mas que no geral são bastante esquecíveis. O próprio elenco não guarda muitas mágoas desses projetos. Chris Evans, por exemplo, que viveu o Tocha Humana antes de estourar como o Capitão América, já defendeu o papel durante uma entrevista em 2019, dizendo que foi bem pago, e que estrelar em uma adaptação da Marvel era uma vitória que o astro precisava em momentos complicados em sua vida pessoal.

O que fez Jessica Alba desgostar dos filmes do Quarteto Fantástico?

As críticas bateram em ambos os longas da família de heróis, mas deram bastante foco para as atuações medíocres de todos os envolvidos. Além dos personagens serem ruins, os atores não convenciam. A frustração de Jessica Alba só aumentou quando percebeu que era impedida de fazer um bom trabalho.

Em entrevista para a revista Elle em 2010, a atriz contou que se sentiu desvalorizada no set. Durante uma das cenas importantes de Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, em que Sue Storm morre nos braços de Reed Richards, ela entregou uma performance apta para alguém que acabou de ser assassinada na frente do marido. O diretor Tim Story não gostou do que viu (via Vulture):

Ele me disse ‘Parece real e sofrido demais. Não dá para você ficar bonita enquanto chora? Chore de um jeito bonito, Jessica’. E então me falou ‘Não faça isso com o seu rosto, apenas deixe imóvel. Nós podemos colocar as lágrimas por computador’. 

 

Isso me deixou pensando que eu não era boa o bastante, que meus instintos e emoções não eram o suficiente, e que as pessoas odiavam ao ponto de não quererem que eu fosse uma pessoa. Não posso ser humana no meu trabalho? Então percebi que f*da-se, eu não ligava mais para essa indústria.

O diretor Tim Story pediu que Jessica Alba chorasse de um jeito bonito durante a morte de Sue Storm, empalada pelo Doutor Destino utilizando dos poderes do Surfista Prateado

Depois dessa decepção, a atriz considerou para de atuar de uma vez por todas. Nos anos seguintes, ela passou a pegar menos papéis, com aparições mais espaçadas. Nesse tempo, Jessica Alba virou mãe, e ela afirma que isso foi algo fundamental para que ela desenvolvesse mais resiliência e aceitação. Com isso, ela não só se manteve na indústria, como até mesmo voltou aos holofotes, estrelando projetos como a série L.A’s Finest.

Esse processo foi tão valioso para Jessica Alba que a atriz até melhorou sua relação com seu tempo como Sue Storm. Em 2019, durante aparição em um talk show, um fã perguntou para a opinião da atriz sobre Quarteto Fantástico (2015), de Josh Trank, e se ela aceitaria voltar ao papel da Mulher Invisível.

Por mais que Alba tenha dito que não viu o último filme dos heróis, ela admitiu que gostaria sim de voltar, caso tivesse uma nova oportunidade – ou até mesmo de interpretar alguma heroína latina nas obras da Marvel. Dessa vez, quem sabe nas mãos de um diretor (ou uma cineasta) que saiba como usar suas habilidades.

Todos os filmes do Quarteto Fantástico – incluindo o reboot de 2015 – estão disponíveis no catálogo do Disney+.

Aproveite e confira:

Imagem de perfil
sobre o autor Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117