Naomie Harris, atriz de James Bond, revela que foi assediada por grande astro em teste de elenco

Capa da Publicação

Naomie Harris, atriz de James Bond, revela que foi assediada por grande astro em teste de elenco

Por Junno Sena

Após quatro anos do início do Movimento Me Too, as pessoas começam a se perguntar o que mudou na indústria cinematográfica. Depois das publicações no The New York Times terem encorajado mulheres a denunciar décadas de abuso e assédio sexual em Hollywood, algumas atrizes tem notado uma diferença no tratamento profissional, como é o caso da atriz Naomie Harris.

Com uma filmografia que vai de Moonlight até o clássico Extermínio e a personagem Moneypenny nos últimos filmes da franquia 007, a atriz contou ter sido assediada por um “grande astro” do cinema em entrevista para a Deadline.

Sem detalhes sobre o nome do ator, Naomie contou que ele deslizou a mão por debaixo de sua saia durante uma leitura de texto.

“O que foi chocante no acontecido foi que o diretor de elenco estava lá e também o diretor do filme e claro, ninguém disse nada porque ele era e é um grande astro. Esse foi meu único incidente com #MeToo, então me senti sortuda, dado o quão frequente é esse comportamento.”

Ela ainda contou um pouco sobre a situação do atual mercado de trabalho cinematográfico em relação ao assédio:

“Agora as coisas definitivamente mudaram: Eu estava em um projeto onde ocorreu uma situação #MeToo e não houve hesitação, [o assediador] foi removido imediatamente.”

Imagem de protesto do Movimento #MeToo.

Mesmo com a atriz apontando as mudanças das atitudes da indústria, é importante destacar que este ainda é um assunto delicado, dado que figuras que sofreram um hiato forçado devido a pressão popular estão retornando aos cinemas, como é o caso do ator Kevin Spacey.

Dentre os casos do #MeToo, o mais popular foi o do ex-produtor de cinema Harvey Weinstein, com mais de 80 mulheres o apontando como autor de algum tipo de má conduta sexual.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ.