Capa da Publicação

Invencível: Zazie Beetz e Gillian Jacobs falam sobre a violência na série animada

Por Chris Rantin

Invincible, série animada que adapta a HQ de mesmo nome, está chegando no Amazon Prime Video. Em nome da Legião dos Heróis, participei de uma coletiva de imprensa com Zazie Beetz (Coringa, Deadpool 2) e Gillian Jacobs (Community), que emprestam suas vozes para AmberAtom Eve, respectivamente, duas personagens importantes para a animação.

Em Invincible, acompanhamos Mark Grayson, um adolescente de 17 anos que é filho de Omni-Man, o maior herói da Terra. Ao descobrir seus poderes de forma tardia, o jovem está mais do que ansioso para seguir os passos de seu pai, lutando para encontrar seu lugar no mundo como um protetor da humanidade. No entanto, quanto mais ele mergulha nesse mundo, mais Grayson começa a perceber que o legado do Omni-Man pode não ser tão heroico quanto ele imagina.

Mark Grayson e Atom Eve na série animada

Enquanto isso, Samanthe Eve Wilkins, a Atom Eve, é uma heroína jovem com mais experiência que Grayson. Nos quadrinhos, ela é treinada desde pequena para ser uma arma, sendo uma das personagens mais poderosas deste universo criado por Robert Kirkman. Atom Eve pode voar, criar campos de força, utilizar telecinese, criar construtos de energia, disparar rajadas energéticas e manipular tudo em um nível subatômico. Quando consegue romper seus bloqueios e acessar o seu potencial ilimitado, Eve descobre possuir imortalidade e a habilidade de ressuscitar.

Amber Bennet é uma colega de Mark, que acaba se tornando o interesse amoroso do jovem herói. A personagem é de muita importância para o desenvolvimento de Grayson. Ainda que nos quadrinhos ela acabe sendo mais clichê, servindo como uma das âncoras do protagonista em seu núcleo humano, a série parece seguir por uma outra direção, dando uma personalidade mais decidida e empoderada para a garota.

Personagens fortes

Amber, personagem de Zazie Beetz

Falando sobre o que a atraiu para o projeto, Jacobs destaca que Robert Kirkman fugiu do que está presente na maioria das histórias em quadrinhos: “Eu acho que o que é tão único nesse projeto foi a maneira que Robert escreveu e lidou com esses clichês de super-heróis. Eu acho isso muito distinto e único. É algo bem bacana”.

Já Beetz ficou interessada na personalidade da sua personagem: “Amber não é uma heroína mas, diferente dos quadrinhos, na série ela tem uma personalidade muito confiante e um senso de identidade bem definido,” explica. “A confiança dela vem do caráter que ela desenvolveu para si mesma, com base no que ela acredita. Isso é algo que os super-heróis da série tem dificuldade para lidar.” Segundo ela, essa capacidade de lutar pelo que acredita, faz de Amber uma das personagens mais fortes da série, sendo muito importante na jornada de Mark para descobrir o seu lugar no mundo.

Violência e The Boys

Um traço marcante de Invincible é a sua violência, por vezes sendo retratada de forma extremamente gráfica. Entre sangue e gore, o projeto mostra consequências reais para as ações dos personagens, abordando temas mais complexos do que estamos acostumados a ver em outras produções dos quadrinhos de super-heróis. Por conta disso, é impossível não traçar paralelos com The Boys que, após ganhar uma série live-action (também pela Amazon Prime Video), conquistou uma imensa popularidade.

Para Zazie, a explicação para ambos projetos retratarem a violência de forma tão aberta é por conta do público:

“Eu acho que as pessoas estão buscando por realismo, acho que é isso que está acontecendo com a TV também. As pessoas buscam coisas além de comédia e fantasias, elas querem ver as suas vidas sendo trabalhadas nas séries,” justifica. “Invincible, estando no universo dos super-heróis, e nesse mundo fantástico, ainda deixando tudo muito realista. Eu acho que as emoções ali e as dinâmicas familiares são bem realistas. Até mesmo a maneira que a violência é retratada ali é bem real. De certa forma o que esses personagens sacrificam e o trauma de ter que ser responsável pela segurança do mundo, eu acho que isso é demais. E acho que as pessoas estão interessadas nisso, em engajar com essa realidade.”

Violência brutal é marca registrada da série

Falando especificamente de The Boys, a atriz confessa que ainda não assistiu a série, vendo apenas algumas cenas específicas. Ela acredita, no entanto, que o seriado “está trazendo a história de volta ao comportamento real da humanidade e não nos ideais que o Superman representa. Eu acho isso muito interessante e é por isso que eu quis fazer parte de Invincible”.

Toda essa violência da história, no entanto, não surpreendeu Gillian, que já conhecia os quadrinhos quando foi envolvida em Invincible. A atriz conta que ao gravar suas falas, isolada em uma cabine de gravação, ela se sentiu desconectada do projeto, mas ressalta que “assistir ao seriado vai ser uma experiência completamente diferente do que gravar apenas meu papel”.

Para Beetz, foi justamente a violência que a fez gostar tanto da sua participação na série: “Eu tenho que dizer, eu fico irritada com filmes em que muitas mortes estão acontecendo, seja uma comédia ou não, fica por isso mesmo. Eu sinto como se isso fosse meio que um exagero.”

Falando sobre como a animação difere desses outros projetos, Zazie argumenta que isso é parte do que faz a série ser única:

“Isso adiciona muitas camadas e complexidade que, muitas vezes, eu acho que falta em alguns filmes. Eu acho que, pra mim, Invincible não é como apenas uma história de herói – bom, nenhuma história de herói é apenas isso – mas pra mim é verdadeiramente sobre família, identidade e ansiedades e essas coisas são viscerais. Acho que isso também se relaciona com a maneira que as mortes são trabalhadas na série. Eu fiquei feliz com isso.” 

A série animada Invincible estreia 26 de março no Amazon Prime Video, com o lançamento dos três primeiros episódios. A partir daí, novos episódios serão lançados semanalmente, toda sexta-feira. A temporada será finalizada no dia 30 de abril.

Confira também nossa lista com mais lançamentos do Prime que sairão este ano:

Imagem de perfil
sobre o autor Chris Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"