Capa da Publicação

Invincible: Robert Kirkman, criador da HQ, conta o que podemos esperar da série animada

Por Cristiano Rantin

Chegando neste mês na Amazon Prime Video, a série animada Invincible adapta o quadrinho de mesmo nome. Escrita por Robert Kirkman, a história narra as aventuras de Mark Grayson, um rapaz de 17 anos que é filho do Omni-Man, o herói mais poderoso do planeta, trazendo muita violência, reviravoltas chocantes e sequências dramáticas. Em nome da Legião dos Heróis, participei de uma coletiva de imprensa com Kirkman, que contou o que podemos esperar da animação.

Em um primeiro momento, Invincible pode parecer uma história como outra HQ de super heróis qualquer. Na trama, Mark Grayson descobre seus poderes aos 17 anos e agora tenta seguir os passos do pai, se tornando um grande herói da Terra e tentando fazer a diferença neste mundo de super-seres. Mas as semelhanças com outros quadrinhos acabam ai. Destinada a um público adulto, a trama da animação entrega muito sangue, gore e temas complexos, especialmente conforme Grayson começa a perceber que o legado do Omni-Man pode não ser tão heroico quanto ele imaginava.

Invincible chega na Amazon Prime Video esse mês

Uma história surpreendente

Quando questionado se o público estaria preparado para todas as reviravoltas da história, Kirkman deixa claro que torce para que as pessoas não estejam preparadas para isso: “Eu acho que uma das coisas mais interessantes que a série entrega é essa sensação de novidade e imprevisibilidade, sabe?” E para o criador deste universo, este é o melhor momento para a série animada ser lançada, justamente por termos tantos projetos envolvendo super-heróis por ai. “Todo mundo sabe muito bem o que acontece em uma história de super-heróis, mas Invincible é famosa por fugir disso, por fugir do que você esperaria de uma história normal de super-heróis,”  conta. “Eu acho que, de certa, forma as pessoas estão preparadas para isso. Mas, em outros aspectos, elas estão completamente despreparadas. E é exatamente isso que queremos.” 

Parte das surpresas da história surgem por, contrariando o que é padrão no gênero heroico, a série realmente explorar as consequências mais sombrias e terríveis de um mundo cheio de heróis e vilões. Respondendo uma pergunta da LH sobre o assunto, Kirkman declarou:

“A maioria das histórias desse gênero fogem dessas consequências, isso faz com que Invincible se torne [uma história] única. Eu acho que tem um drama que aparece quando mostramos as consequências realistas de uma batalha de super-heróis, e Invincible vai se destacar por causa disso.”

Consequências do realismo

Violência é marca registrada da história!

Citando os filmes dos Vingadores como exemplo, o quadrinista comentou sobre como eles evacuam civis das cenas de batalha em poucos segundos. Ainda que isso seja necessário para a conclusão de um filme, que possui uma quantidade limitada de tempo para contar sua história, isso é algo que pode ser melhor explorado em uma série.

“Em uma série, nós vamos viver nesse mundo. Você nunca gostaria de fazer isso. Você quer ouvir que ‘Oh, meu deus, esse prédio caiu em cima dessas pessoas. O que vamos fazer?’ e, tipo, ‘nossa estratégia resultou nessa ponte caindo e matando 30 pessoas. Nós precisamos melhorar como equipe'”.

Logo na sequência inicial da série animada, vemos os Guardiões do Globo em ação, gastando um bom tempo para salvar os civis antes de finalmente enfrentar a ameaça que surgiu. “Eu acho que mostrar essas táticas é realmente mostrar como os heróis trabalham nesse mundo. Quando eles são bons no que fazem. Eu acho que isso é muito importante,” disse.

Vantagens da animação

Ainda que estejamos em uma era de adaptações em live-action, Kirkman acredita que trabalhar Invincible como uma série animada é um grande diferencial. “Nós fomos capazes de abraçar a bobagem inerente do gênero de super-heróis,” conta. “Eu acho que nós conseguimos mostrar reinos submarinos, colônias marcianas, aliens e demônios e todos os tipos de elementos que parecem ser arrancados da maioria das adaptações porque eles estão tentando fazer uma adaptação mais séria.”

Essa galhofa, no entanto, não tira o mérito da série de se aprofundar em temas mais dramáticos:

“Invincible é muito séria e muito dramática. Todo o nosso drama tem peso e a gente não foge das ramificações da violência, mas é incrível ver essas coisas lado a lado. Tipo, nós podemos ter o lado mais clássico dos heróis, aquilo que os deixava tão divertidos, excitantes e diferentes, mas ainda ter todo o peso dramático que você recebe de outras coisas. Eu não acho que a gente conseguiria mesclar esses dois elementos tão diferentes na série se não fosse uma animação.”

Mark Grayson terá uma longa jornada até se tornar um grande herói

Por fim, Kirkman afirma que está muito animado em poder revisitar essa história, que foi finalizada nas HQs em 2018, depois de 15 anos ganhando novas edições. E é justamente o fato da história já estar concluída que, para ele, deixa tudo tão interessante: 

“Eu acho que Invincible ter uma conclusão realmente faz ela ser uma história única. É uma das poucas histórias de heróis que tem um começo, meio e fim bem definidos, onde você vê que o protagonista seguiu por uma jornada muito bem definida, mudando muito por causa disso. Então, ser capaz de voltar para o começo dessa história e poder contá-la de forma animada é muito incrível. Você pode mudar algumas coisas, deixá-las mais interessantes e legais, eu estou muito animado para a oportunidade de fazer isso.

A série animada Invincible estreia 26 de março no Amazon Prime Video, com o lançamento dos três primeiros episódios. A partir daí, novos episódios serão lançados semanalmente, toda sexta-feira. A temporada será finalizada no dia 30 de abril.

Confira também nossa lista com mais lançamentos do Prime que sairão este ano:

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"