Capa da Publicação

Falcão e o Soldado Invernal: Diretora fala sobre teoria envolvendo a sexualidade de Bucky Barnes

Por Gus Fiaux

Falcão e o Soldado Invernal acabou há cerca de uma semana e vai deixar uma saudade entre os fãs desses dois personagens. Na série, pudemos ver Sam Wilson Bucky Barnes crescerem juntos, enquanto deixavam para trás parte de seus traumas e dilemas para assumir um novo lugar no mundo. Quando se trata do Soldado Invernal, vimos ele tentando se livrar do peso de seu passado – e até mesmo se enturmar com novas pessoas por aí.

Uma popular teoria surgiu justamente disso. Lá pelo primeiro episódio da série, o Soldado Invernal comenta que já tentou usar aplicativos como o Tinder, mas que achava muito estranho e que havia muitas pessoas “tirando fotos com tigres”. Tendo em vista que a vasta maioria das pessoas que usavam fotos com tigres no Tinder dos EUA eram homens (o que se tornou uma piada recorrente no país), muitos acreditavam que poderia ser uma pista de que Bucky era bissexual, e que estava procurando tanto por homens quanto por mulheres no aplicativo.

Porém, não foi essa a intenção da diretora Kari Skogland, que assumiu os seis episódios da série. Em entrevista à Variety, ela explica que tinha mais interesse em trabalhar a estranheza do mundo moderno para Bucky Barnes, e que sua intenção também girava em torno de mostrar como o herói não tinha muitas habilidades sociais para interagir com outras pessoas:

“Eu acho que só pensamos na estranheza dos tempos, porque ele fica muito confuso com isso. Não vamos nos esquecer, ele tem 106 anos. Ele fica confuso com a coisa toda. O que estávamos tentando mostrar é sua completa falta de habilidades técnicas, assim como ser parte de qualquer tipo de comunidade. Ele não se encaixa. Então, eu acho que essa era a nossa intenção, mais do que apontar para uma particular afinidade.”

Apesar disso, Kari fala também sobre a relação entre Bucky Barnes Sam Wilson. A diretora deixa bem claro que os dois começam a série como “amigos forçados”, mas que até o final, eles começam a desenvolver uma relação de amor fraternal muito forte. Skogland ainda explica que não queria se limitar aos conceitos de masculinidade no sentido de como eles demonstram o carinho pelo outro e sua própria amizade:

“É realmente amor, sabe? Eles se amam – no fim. Eles não se amam no começo, mas eles chegam a uma amizade tão bonita, que eles só se amam. Eu não penso na masculinidade como uma barreira para que o amor seja demonstrado ou manifestado. Sou totalmente fluida quando se trata disso. Então não há uma sexualidade definida a nada disso. Mas eu acho que, realmente, há um afeto.”

Para muitos, a dinâmica entre Sam e Bucky conseguiu até superar a relação de Bucky com Steve Rogers, com base na química de Anthony Mackie Sebastian Stan. Esperamos que o Soldado Invernal retorne no quarto filme do Capitão América e possa ser um aliado frequente para Sam, já que os dois realmente são muito sincrônicos em combate e até mesmo em sua dinâmica cotidiana.

Em Falcão e o Soldado Invernal, vemos Bucky Barnes tendo que reaprender a viver em sociedade.

Felizmente, Falcão e o Soldado Invernal é apenas o começo de mais um capítulo na vida dos dois heróis. E, ao que tudo indica, é a série que trouxe uma mudança significativa não apenas para Sam Wilson (que assumiu de vez o manto do Capitão América), mas para o próprio Bucky Barnes, que também conseguiu se livrar do estigma do Soldado Invernal. Será muito interessante ver o que esses dois personagens vão fazer em capítulos futuros.

Falcão e o Soldado Invernal está disponível no Disney+, com seus seis episódios.

Abaixo, veja 9 perguntas que Falcão e o Soldado Invernal deixa para o futuro:

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux