Capa da Publicação

Crítica: 2ª temporada de Eu Nunca… acerta ao mostrar como a vida pode ser imperfeita

Por Camila Sousa

Quando falamos sobre protagonistas de filmes e séries, sempre pensamos em pessoas heróicas, nas quais vamos nos espelhar durante os problemas da vida real. Mas o que acontece quando o protagonista da história é uma pessoa extremamente falha? Essa é uma das várias questões abordadas na segunda temporada de Eu Nunca…, série adolescente da Netflix criada por Mindy Kaling (The Office, Projeto Mindy). Ao longo dos dez episódios do segundo ano, Devi Vishwakumar (Maitreyi Ramakrishnan) tem tantas atitudes questionáveis, que muitas vezes chegamos a desgostar dela. No entanto, tudo isso traz uma reflexão interessante sobre a nossa própria vida.

Desde o começo da história, Devi é mostrada como uma jovem que tinha tudo, mas sofreu um grande trauma com a perda repentina do pai. Isso desencadeou uma série de problemas na vida da garota, desde uma convivência ruim com a mãe, até uma paralisia que era totalmente psicológica. No segundo ano, embora já tenha começado a superar o que lhe aconteceu, Devi ainda sente repercussões disso, especialmente em sua personalidade: ela está mais impulsiva, com mais raiva e não sabe o que fazer com todos esses sentimentos conflitantes dentro de si. O resultado são decisões erradas, que chegam a magoar até pessoas com as quais ela se importa bastante.

Embora seja fácil julgar as atitudes de Devi, em diversos momentos o seriado joga a pergunta de volta e nos faz pensar sobre nossos próprios erros – especialmente durante a adolescência – , mas também durante este período confuso de isolamento social, afinal, quem não está se sentindo mais ansioso diante de qualquer pequeno problema? Um dos momentos mais importantes do novo ano, aliás, é quando a própria Devi se questiona sobre sua sanidade e fica triste ao perceber as consequências de suas ações, feitas totalmente no calor do momento. Felizmente, Eu Nunca… dá para a personagem (e para nós) um momento de acolhimento, em um discurso da Dra. Ryan (Niecy Nash) que fala sobre pessoas que sentem tudo intensamente e, por isso, vivem no extremo todas as suas emoções.

Mas não é só com Devi que a nova temporada traz boas discussões. Eu Nunca… brinca constantemente com os conceitos de “quem eu sou” e “quem eu deveria ser” também com Kamala (Richa Moorjani), a prima da protagonista que finalmente começa a trabalhar com seu sonho, mas percebe que nem tudo é tão fácil. Aos poucos, ela percebe também pequenos problemas em sua relação com Prashant (Rushi Kota) e se questiona se não poderia ter uma vida diferente daquela que todos pensaram para ela. A mãe de Devi, Nalini (Poorna Jagannathan), também ganha destaque em uma narrativa de culpa e medo quando começa a ter sentimentos por outra pessoa pela primeira vez após a morte do marido. Ao ser criada por uma mulher, a série também não deixa de mostrar o quanto tais questionamentos são mais difíceis para elas, constantemente julgadas (e condenadas) por suas ações.

Devi erra ao tentar ser perfeita

Outro ponto que merece destaque positivo é o conflito de Fabiola (Lee Rodriguez) para entrar no universo de Eve (Christina Kartchner), sua namorada. Após assumir sua homossexualidade, a personagem imaginou que todos os seus problemas de aceitação estavam resolvidos, mas, de repente, se viu em um universo que não tinha nada a ver com ela, com músicas pop e gírias comuns da comunidade LBGTQIA+. Em prol de agradar e ser aceita, Fabiola começa a deixar de lado coisas que realmente ama e começa se tornar mais o que esperam dela, ao invés de quem realmente é. Por ser uma série adolescente e good vibes, tudo termina bem no final, mas trazer um conflito tão complexo para este ambiente descontraído mostra como a produção tem um bom roteiro, pensado para falar com os problemas reais da geração atual.

Refletindo a adolescência, a segunda temporada de Eu Nunca… termina muito diferente de como começa, com casais “trocados”, a chegada de novos personagens e um desencontro que pode deixar alguns fãs frustrados. Mas até mesmo isso faz sentido com a confusão que é este período da vida, deixando claro como os sentimentos e situações mudam rapidamente. Ainda é incerto se a produção terá um terceiro ano (ficaram alguns ganchos para isso), porém, mesmo que tenha encerrado sua jornada aqui, Eu Nunca… é um dos maiores acertos dos últimos anos ao falar de tramas voltadas para o público jovem.

Ficha técnica

Título: Eu Nunca…
Criação: Mindy Kaling, Lang Fisher
Direção: Kabir Akhtar
Ano: 2020-
Data de lançamento: 15 de julho de 2021 (Netflix)
Número de episódios: 10
Sinopse: Após passar por um grande trauma, a adolescente Devi volta para a escola com o objetivo de se tornar uma garota popular, mas precisa lidar também com a família, amigos e suas próprias emoções.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Camila Sousa

Jornalista por formação e nerd por natureza. Fã de diversos mundos fantásticos por aí e criadora do podcast Podcakes | @cakes_sousa no Twitter e Instagram