O dia em que o Homem de Ferro foi morto pelo Capitão América nas HQs

Capa da Publicação

O dia em que o Homem de Ferro foi morto pelo Capitão América nas HQs

Por Arthur Eloi

Atenção: Alerta de Spoilers!

Mesmo alguns anos após a estreia de Vingadores: Ultimato (2019), a morte de Tony Stark (Robert Downey Jr.) continua sendo um dos eventos mais memoráveis e traumáticos do Universo Cinematográfico da Marvel. O Homem de Ferro foi quem construiu o MCU, e sua conclusão homenageou todo esse legado em um sacrifício pela humanidade.

A morte de um personagem desse nível foi realmente marcante para o cinema, mas acontece com certa frequência nas HQs. Nas páginas da Marvel, o Homem de Ferro morreu de forma bastante trágica – na verdade, foi assassinado pelas mãos do Capitão América.

O incidente ocorreu no arco “Tempo Esgotado” das HQs dos Vingadores, escrito por Jonathan Hickman, originalmente publicado entre 2013 e 2015 (via ScreenRant). Na trama, os heróis da Marvel entram em conflito após Steve Rogers declarar o Homem de Ferro e seus companheiros, os Illuminati, como inimigos. Isso se deu por conta de uma confusão no Multiverso, quando Terras de realidades paralelas estavam misteriosamente colidindo (nas chamadas Incursões) e destruindo umas às outras. Para evitar o colapso da realidade, Tony Stark se reuniu com Reed Richards e outros gênios, e a solução que encontraram para ganhar tempo foi drástica: destruir Terras paralelas para que não se cruzem com a deles, o que deixou Rogers e outros heróis furiosos.

Esse cenário de guerra civil só foi se expandindo, com diversas alianças sendo formadas, traições, e a presença de muitos nomes da editora, numa briga que incluiu o Doutor Estranho, o Pantera Negra, Sue Storm e até mesmo uma nova equipe de Vingadores, liderada pelo brasileiro Mancha Solar.

O grande problema é que, como sugere o nome do arco, não havia nenhuma solução para a Incursão final, onde a Terra principal da Marvel seria invadida e destruída pela versão Ultimate – e Tony Stark era um dos poucos que sabia que o problema era inevitável. Durante as edições finais, publicadas nos EUA em 2015, Steve Rogers aceitou a destruição de sua realidade, mas quis garantir que o Homem de Ferro lidasse com as consequências, por julgá-lo o grande culpado pelo evento.

Desentendimento entre o Capitão América e o Homem de Ferro teve conclusão dramática nas HQs da Marvel

Assim, em Vingadores #44, o Capitão América invadiu a base do Homem de Ferro e vestiu um protótipo de armadura que o colega havia preparado para ele. Enquanto os demais heróis fugiam do colapso em uma expedição liderada por Reed Richards, os dois ficaram na Terra, e saíram na mão durante os momentos finais da realidade. Durante o confronto, Steve Rogers tinha um único objetivo: fazer com que Tony Stark admitisse que sabia do inevitável, e que mentiu para todos com sua solução genocida. O Homem de Ferro não só admite, como também garante que faria tudo de novo, se tivesse a chance. Eles lutam até a morte, enquanto a Terra é destruída ao seu redor. Dessa forma, nas HQs da Marvel, o Capitão América garantiu a morte do Homem de Ferro no apocalipse, mesmo que isso tenha levado a sua vida junto.

Eventualmente, a Marvel seguiu para outro arco, “Guerras Secretas”, e a Terra original foi reconstruída por Franklin Richards, o filho de Reed Richards com Sue Storm. Assim, tanto o Capitão América quanto o Homem de Ferro “voltaram” a vida, ainda que sejam apenas reconstruções das versões que se mataram em uma batalha final. Considerando que nenhum dos dois heróis já está mais na ativa no Universo Cinematográfico da Marvel, é certo que não haverá um confronto tão dramático e intenso entre eles nas telas do cinema, ainda que os dois já tenham trocado socos em Capitão América: Guerra Civil (2016).

No Brasil, Vingadores: Tempo Esgotado saiu recentemente em quatro volumes, publicados pela Panini entre abril e junho de 2021.

Aproveite e confira:

 

Imagem de perfil
sobre o autor Arthur Eloi

Repórter entusiasta de filmes ruins, jogos de tiro e de horror em todas as suas formas. Dá notas duvidosas para obras questionáveis • @ArthurEloi117