Capa da Publicação

Empresa diz que armaduras do Homem de Ferro serão comuns no futuro

Por Raphael Martins

Não é raro ver tecnologias que antes pareciam coisa de ficção científica acabarem virando realidade depois de alguns anos. Vários itens apresentados em Star Trek e De Volta Para o Futuro, por exemplo, se tornaram parte da vida cotidiana décadas depois de aparecerem nas telas. E ao que parece, o mesmo pode acontecer com as armaduras do Homem de Ferro, que já tem suas contrapartes reais em desenvolvimento.

De acordo com o site BBC, a fabricante de exoesqueletos SuitX acredita que haverá uma distribuição em massa deste tipo de tecnologia, que poderá ser adquirida ou encomendada em lojas. Homayoon Kazerooni, fundador da companhia, disse:

“Não há dúvidas na minha mente de que esses dispositivos eventualmente serão vendidos em lojas de hardware. Com os preços baixando, você poderá simplesmente comprá-las em lojas de departamentos.”

Hoje, exoesqueletos ainda são usados apenas no âmbito militar ou em campos de testes, com o objetivo de aprimorar as capacidades físicas de seu usuário para realizar todo tipo de tarefa. Segundo Kazerooni, o uso de exoesqueletos deve facilitar bastante a vida do trabalhador braçal e até diminuir custos com segurança:

“Nós mostramos que a atividade muscular nas costas nos ombros e nos joelhos caiu para 50%. Se a atividade muscular diminui, significa que o risco de lesão muscular é menor. Isso significa que os gerentes de fabricas obtém mais produtividade, seus custos com segurança são menores e há menos dias de trabalho perdidos por causa de lesões. Há menos custos e mais produtividade.”

O exoesqueleto da SuitX: a expectativa da empresa é a de que o grande público tenha fácil acesso

Embora não sejam tão vistosas ou cheias de recursos como as armaduras usadas por Tony Stark, os exoesqueletos da vida real podem significar uma mudança e tanto na área industrial. Jason Cottrell, presidente da fabricante MyPlanet, disse que “dispositivos que dão suporte à estrutura de uma pessoa enquanto ela faz seu trabalho irão mudar de forma fundamenta como as empresas funcionam”. Trajes feitos pela Delta Airlines, por exemplo, ajudam seus usuários a levantarem facilmente pesos de até noventa quilos por períodos de até oito horas.

Mas nem tudo são rosas. Segundo Sandra Watcher, professora da universidade de Oxford e especialista em inteligência artificial, ressaltou que muitos destes exoesqueletos possuem uma inteligência artificial incorporada a eles, e que mesmo que elas não sejam tão avançadas quanto o J.A.R.V.I.S., isso poderia levar a novas formas de vigiar o ambiente de trabalho, fazendo com que as pausas e a velocidade dos funcionários fossem meticulosamente monitoradas e comparadas.

Exoesqueleto produzido pela Delta Airlines: com ele, funcionários conseguem levantar pesos de até 90 quilos com relativa facilidade e por longos períodos de tempo

E vocês, querem ver esta tecnologia sendo usada de forma comum por aí? Gostariam de testar algum dia? Deixem seus comentários!

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael