Capa da Publicação

Demon Slayer Mugen Train: Filme recebe críticas no Japão após ser exibido na TV

Por Leo Gravena

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba é um dos animes de maior sucesso atualmente e, pouco tempo atrás, a trama ganhou um filme, que se passa entre a primeira e segunda temporada, chamado “Mugen Train“, o filme foi um grande sucesso de bilheteria, não apenas no Japão como no resto do mundo, mas ao ser exibido na TV à cabo japonesa, algumas pessoas ficaram incomodadas com o que assistiram.

Demon Slayer – Mugen Train: O Filme foi exibido pela Fuji TV antes da estreia da segunda temporada, porém, após a exibição a Organização de Ética em Transmissão e de Melhoria do Programação do Japão, que analisa o que é exibido na TV e rádio do país, recebeu várias críticas sobre o conteúdo do filme.

A noticia foi dada pelo SoraNews24, que revelou algumas das reclamações feitas anonimamente. Uma das reclamações dizia: “Tem muitas cenas de sangue e crueldade”, enquanto outra explicava: “Fiquei muito desconfortável com as representações grotescas de pessoas sendo comidas, um braço sendo arrancado e outros atos terríveis de violência”. 

Dessa forma, a Organização de Ética do Japão liberou uma declaração sobre o conteúdo exibindo, afirmando:

“A popularidade da série e do filme sugerem que seu conteúdo foi considerado aceitável. Em adição, o conceito de poder de escolha do espectador é amplamente reconhecido e aceito”.

Cena de Demon Slayer – Mugen Train: O Filme 

Ou seja, basicamente eles disseram que “se não gostou, é apenas não assistir”. O termo “viewer discretion” é amplamente utilizado na TV antes de programas com conteúdo se cunho mais violento e ou sexual, para deixar claro para o espectador o que ele deve estar da obra. No Brasil, a TV aberta sempre exibe, no começo de cada programa, a classificação indicativa, tendo como base o que é representado e mostrado em tela.

Aproveite e confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor | @LeoGravena
Escrevo sobre cultura geek na internet desde 2012
"Don't look back -- the past is exactly where it belongs."