Capa da Publicação

Call of Duty: Mais de 350 mil jogadores são banidos por racismo

Por Cristiano Rantin

Ainda que sejam uma fonte de diversão e entretenimento, jogos online também são conhecidos como locais com muita toxidade. Felizmente, as desenvolvedoras tem assumido a missão de deixar esses ambientes mais saudáveis, garantindo que os jogadores tenham uma espaço seguro para se divertirem. Por esse motivo, mais de 350 mil jogadores foram banidos de Call of Duty por conta de comportamento inadequado e racismo.

A notícia veio através do Twitter oficial do jogo, que divulgou um longo artigo sobre os novos compromissos e diretrizes da equipe.

“Nós temos um compromisso de entregar uma experiência divertida para todos os nossos jogadores. Não existe espaço para comportamento tóxico, discurso de ódio ou assédio de qualquer tipo nos nossos jogos e na nossa sociedade. Nós estamos focados em avançar positivamente e celebrar junto dos melhores fãs do mundo. 

 

Nós sabemos que falar sobre toxicidade não é simples e isso exige um esforço duradouro. Nos últimos 12 meses, nos nossos jogos  Call of Duty®: Warzone™Black Ops Cold WarModern Warfare®, e Call of Duty: Mobile, nossa tecnologia anti-toxicidade e nossos times de tecnologia: 

 

  • Baniram mais de 350 mil contas com nomes racistas ou comportamento tóxico, baseada em relatórios enviados por jogadores e uma avaliação extensa dos nossos registros de username.
  • Desenvolveram novos filtros dentro do jogo para encontrar nomes, siglas de clã e perfis potencialmente ofensivos. 
  • Implementaram novas tecnologias para filtrar texto ofensivo no chat. 
  • Implementaram filtros em 11 línguas diferentes. 

 

Há muito mais a ser feito, incluindo o aumento de possibilidades para os jogadores reportarem e a moderação, assim como resolver os problemas do chat de voz para combater a toxidade. 

 

Nosso objetivo é dar aos jogadores as ferramentas necessárias para resolver suas próprias experiências no jogo, combinando isso com uma abordagem que lida com discurso de ódio, racismo, machismo e assédio.” 

Call of Duty: Warzone baniu mais de 350 mil jogadores por racismo e comportamento tóxico.

A publicação continua, citando algumas das formas que eles planejam evoluir ao longo dos próximos meses, e finaliza com o seguinte recado:

“Nós sabemos que temos um longo caminho até alcançarmos nosso objetivo. Isso é apenas o começo. Abordar isso é um compromisso contínuo do qual não vamos vacilar. Nós estamos ansiosos para progredir nessa frente e nos unir com vocês para compartilhar a diversão e alegria de jogarmos juntos.” 

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"